PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Sex toys: conheça as 5 principais tendências para experimentar em 2021

conheça as novidades para esquentar sua vida sexual em 2021. - Cecília Oliveira
conheça as novidades para esquentar sua vida sexual em 2021. Imagem: Cecília Oliveira

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

03/01/2021 04h00

De sugadores de clitóris mais em conta a brinquedos para usar a dois mesmo que o casal esteja separado por quilômetros distância, conheça as novidades para esquentar sua vida sexual em 2021.

1. Sugadores de clitóris mais potentes e baratinhos
O amor pela invenção destinada às mulheres mais espetacular dos últimos tempos vai continuar - ou melhor, aumentar. Isso porque novos modelos já começaram a chegar ao mercado e devem seduzir um público ainda mais abrangente. Primeiro, por conta do preço: versões à pilha, mais baratinhas, devem provocar orgasmos intensos sem pesar no bolso. Segundo, pela tecnologia: alguns sugadores de última geração combinam ondas de pressão, vibração e ainda podem ser usados sob a água. E, por último, formatos lúdicos, divertidos também devem atrair novas consumidoras.

2. Brinquedos para uso compartilhado à distância
Enquanto a população mundial se imuniza contra o coronavírus e cuidados como distanciamento e isolamento social ainda são necessários, empresas reconhecidas por unir tecnologia e design em sex toys se empenham para lançar novidades que possam ser adotadas por casais, mesmo longe um do outro. Brinquedos controlados por aplicativos e até com webcam interativa devem turbinar a maneira como as pessoas farão sexo em 2021.

3. Produtos para a saúde sexual feminina
De dilatadores vaginais e anais, que ajudam a combater problemas como vaginismo, dispareunia e dores em geral, a produtos para a prática do pompoarismo - alguns, inclusive, que vibram durante os exercícios -, a saúde sexual feminina vai ser olhada com carinho em 2021. Muitos dos produtos têm como objetivo fortalecer a musculatura do assoalho pélvico e evitar problemas como flacidez (inclusive na menopausa), incontinência urinária e dificuldade de obter orgasmo. Deve ocorrer, também, uma maior oferta de lubrificantes específicos para a região, com componentes naturais.

4. Itens para Slow Sex e práticas orientais
Também por conta da pandemia do coronavírus, os casais vêm sendo obrigados a ficar mais tempo em casa. A convivência e a rotina pedem novas formas de explorar o prazer e se conectar com o par, priorizando a prática do Slow Sex - relações que favorecem as preliminares, o contato físico mais íntimo e o adiamento da penetração. Na mesma linha, as práticas orientais que valorizam o sexo como experiência sensorial e espiritual despertaram a curiosidade de muitos pares e, claro, o interesse da indústria erótica. Assim, géis, velas, óleos e cremes de massagem seguem em alta, cada vez mais sofisticados e confortáveis para que os movimentos sejam gostosos e sensuais para os envolvidos. Kits com máscaras, lençóis e vendas também serão tendência.

5. Sex toys personalizados
Segundo a pesquisa de mercado "Global Female Sex Toys Market 2020-2024", realizada pela Technavio, a crescente preferência por brinquedos sexuais femininos personalizados foi identificada como um dos principais impulsionadores do mercado erótico no exterior - e a previsão é de que a tendência também aporte no Brasil. A Wobbling Willy, por exemplo, oferece vibradores feitos de silicone seguro para o corpo que podem ser personalizados online com a cara do parceiro - ou de um crush aleatório conforme o gosto da cliente. Já a Bad Dragon propõe a customização de vibradores feitos à mão. Até a atriz Gwyneth Paltrow entrou na onda: sua marca Goop criou o Clone-a-Willy, um kit no estilo DIY (do it yourself, em tradução livre, "faça você mesmo") que contém os materiais necessários para que a consumidora consiga fazer um vibrador com o molde do pênis do par.

Fontes consultadas: Camila Gentile, sócia-proprietária da Exclusiva Sex; Christiane Marcello, CEO e idealizadora da marca Sophie Sensual Feelings; Natali Gutierrez, sexóloga e sócia-proprietária da sex shop virtual Dona Coelha, e Stephanie Seitz, diretora da INTT Cosméticos.

Sexo