PUBLICIDADE

Topo

Universa

Mulher é estuprada durante entrevista de emprego em Cuiabá; homem foi preso

Fachada de delegacia da mulher, em Cuiabá; em funcionamento 24h por dia - Divulgação/Polícia Civil de Mato Grosso
Fachada de delegacia da mulher, em Cuiabá; em funcionamento 24h por dia Imagem: Divulgação/Polícia Civil de Mato Grosso

Aliny Gama

Colaboração para Universa, em Maceió

30/10/2020 19h01

Uma jovem de 18 anos foi vítima de estupro durante entrevista de emprego, após ser atraída por anúncio de vaga publicado na internet feito por uma loja localizada no bairro Jardim Leblon, em Cuiabá, na última terça-feira (27). O proprietário do estabelecimento investigado pelo crime foi preso em flagrante pela polícia, logo depois que a vítima procurou ajuda na Delegacia de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual de Cuiabá.

O homem tem passagem pela polícia por crime semelhante, ocorrido em 2010, segundo informou a Polícia Civil de Mato Grosso ao UOL. A polícia suspeita que ele tenha cometido o mesmo crime com outras mulheres, e pede que quem tiver passado por situação semelhante procure a Delegacia de Atendimento a Vítimas de Violência Doméstica e Sexual de Cuiabá.

A Polícia Civil de Mato Grosso não divulgou o nome dele. Em depoimento, o homem negou o crime e também que a jovem tenha voltado ao local. Entretanto, a polícia teve acesso a mensagens dele enviadas para a vítima reforçando que ela deveria retornar naquele dia e perguntando o porquê de ela não ter retornado ainda ao local.

A vítima relatou à polícia que estava procurando emprego quando viu o anúncio de vaga para atendente de assistência técnica, na rede social da empresa, e entrou em contato para agendar entrevista. Logo, o proprietário pediu que ela fosse levar o curriculum vitae. Ao chegar ao estabelecimento, segundo depoimento da jovem, o homem pediu que ela retornasse "com uma roupa mais adequada" para que ele e a gerente da loja visualizassem melhor sua aparência e entrevista ao cargo.

Precisando do emprego, a jovem retornou ainda no mesmo dia e se deparou com o proprietário sozinho na loja, que rapidamente fechou o estabelecimento e iniciou a série de abusos sexuais.

"Quando chegou, ela se deparou com ele sozinho na loja, que foi fechada rapidamente. Ele deu início ao teste em que consistia em ele analisar o significado de cada tatuagem do corpo da vitima. Ele determinou que ela vestisse o uniforme da empresa e tirasse a parte de baixo, a calça que ela estava vestindo. Além disso, ele teria passado as mãos pelo corpo dela, nas nádegas dela e carregado ela colocando-a em uma mesa", contou a delegada Jannira Laranjeira Siqueira Campos, que ouviu a vítima logo que ela procurou a polícia.

Ainda, de acordo depoimento da vítima, o homem disse que ela teria de tirar uma peça de roupa a cada resposta que ela errasse. A jovem contou que ficou bastante nervosa e chorosa, pediu para desistir da entrevista e correu para trocar de roupa, conseguindo sair do estabelecimento. "Antes, o suspeito ofereceu carona e disse que o emprego estava garantido para ela retornar no dia seguinte", relatou a delegada.

A jovem contou à polícia que acionou um motorista de aplicativo para levá-la para casa e, ao entrar no veículo, o rapaz, vendo o desespero da cliente a orientou a procurar a polícia. "Ele a levou direto para a delegacia. Esse motorista de aplicativo teve empatia e a encorajou a tomar decisão de denunciar o abusador e a dar início a essa investigação. É importante que outras pessoas que tenha conhecimento de abuso sexual ou violência doméstica que alguém esteja sofrendo que denunciem a Polícia Judiciária Civil para tomarmos providência e evitarmos um mal maior", destacou Campos.

Prisão do suspeito

A delegada disse que a jovem reconheceu o suspeito de estupro por meio de fotos e a polícia iniciou busca para prendê-lo em flagrante.

"Foi possível, logo no primeiro atendimento, inclusive da rede social, identificar o suspeito, e a gente o qualificou e em pesquisas aos registros policiais ele responde por crime de mesmo modus operandi. É importante destacar que outras pessoas passaram por esse constrangimento e é importante que denuncie, procure uma delegacia de polícia porque essa pessoa precisa responder pelos atos."

O homem foi preso em uma residência no bairro Ribeirão do Lipa, em Cuiabá. Ele foi interrogado pela delegada e autuado em flagrante por estupro. Depois, o suspeito foi transferido para a Cadeia Pública de Várzea Grande (MT).

"O que chama atenção é que a vaga divulgada pela empresa era para atendente, serviço realizado exclusivamente por telefone. Mesmo assim, o suspeito alegou a aparência da vítima para buscar a oportunidade para ficar sozinho com ela e praticar o abuso", disse a delegada.

A Polícia Civil está em busca de imagens do estabelecimento e de outros ao redor que mostram o homem entrando na loja e que a jovem teria retornado naquela tarde. "É importante esclarecer que para o delegado de polícia o mínimo de indício configura uma prisão em flagrante delito", informou a delegada.

Universa