PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral

Mapa astral: por que fazer e, afinal, o que ele mostra? Astróloga explica

Informações do mapa astral podem ser fonte de autoconhecimento, diz especialista - Getty Images
Informações do mapa astral podem ser fonte de autoconhecimento, diz especialista Imagem: Getty Images

Claudia Dias

Colaboração para Universa

17/09/2020 04h00

Quem não é muito ligado no universo astrológico, provavelmente, não sabe que o mapa astral é a "fotografia" tirada do céu, no exato momento do nascimento de alguém. Tal registro lista a posição de cada planeta na ocasião e, também, em quais setores da vida cada signo do zodíaco se encontrava.

A partir da análise dessa imagem, feita por especialistas, é possível descobrir informações importantes, que vão desde a personalidade até como essa pessoa "funciona" no seu inconsciente. A seguir, a astróloga, taróloga e thetahealer Vivi Pettersen aponta 5 bons motivos para encarar a leitura do mapa astral.

Por que fazer um mapa astral?

1. Estimula o autoconhecimento

Ao ter acesso às informações do mapa, a pessoa fica sabendo sobre traços de personalidade, dificuldades e facilidades que são tendências para ela durante toda a sua existência. "Somente com a ajuda da posição dos planetas, signos e casas astrológicas, é possível dizer onde estão medos, anseios... E, como um verdadeiro guia, pode ajudar a se entender e se aceitar melhor", diz Vivi.

2. Aponta tendências profissionais

Dentro de uma das áreas da astrologia, chamada astrologia vocacional, é possível identificar carreiras certeiras para essa pessoa, com a ajuda dos astros. Há casas específicas, dentro das 12 existentes dentro do zodíaco, em que o astrólogo consegue detectar quais áreas de atuação são mais favoráveis. O mapa também permite identificar se há tendência a ser um empreendedor, a trabalhar em área pública, a chegar a cargo de liderança, entre outras situações.

3. Descreve o tipo de parceiro ideal

Vênus, representante do amor, é um dos planetas identificados no mapa de todo indivíduo. "Fomos criados para amar e sermos amados. Todos nós temos a dádiva de termos um amor em nossas vidas", comenta a astróloga. Com a leitura do mapa, é possível identificar características, tendências e, com um pouco de sorte, até em que setor ou momento da vida a pessoa poderá encontrar esse parceiro perfeito.

4. Antecipa habilidades (ou não) com dinheiro

Existem duas casas astrológicas (2 e 8), dentro do mapa astral, para tratar de finanças. A análise delas pode ajudar a entender qual é o papel individual diante de determinada situação financeira, indicando facilidades ou dificuldades. Conhecendo as possibilidades, é possível manter ou modificar atitudes, a fim de se atingir melhores resultados. "Ao conhecermos este posicionamento, a tendência é que tudo fique mais claro e que possamos lidar melhor com este assunto, por todo o sempre", afirma Vivi.

5. Ajuda a melhorar o relacionamento com os outros

Não se trata apenas de relações amorosas mas, também, a coexistência com pais, amigos, irmãos... É possível detectar no mapa o porquê de existirem problemas com certas pessoas e dificuldades de sociabilidade, por exemplo, bem como aspectos positivos. Com disso, permite mudanças comportamentais para uma melhor convivência.

Entendendo o mapa astral

A astróloga Vivi Pettersen responde, a seguir, às questões básicas sobre o mapa que muita gente quer saber, mas nunca teve a quem perguntar.

Como definir o mapa astral de maneira resumida?

"O mapa é uma representação astral, planetária do céu do exato momento em que nascemos. Traz informações sob ponto de vista energético de extrema importância, que nos acompanharão durante toda a vida - tanto de desafios, quanto de oportunidades".

O que o mapa astral revela sobre alguém?

"O mapa traz aspectos de comportamento e personalidade em diversos setores da vida. São 12 casas astrológicas ou setores que se interligam e trazem diferentes formas de atitudes e comportamentos, que são permeados ou possuem suas características de acordo com os signos e planetas que tais casas estão. É possível, por exemplo, detectar como uma pessoa age ou se comporta dentro de um relacionamento, o que busca na carreira, como será com os filhos etc."

Qual o melhor momento para fazer o mapa astral?

"Costumo dizer que a pessoa sente o chamado. Acredito muito que cada um tem seu tempo, seu processo. A leitura do mapa é o início de uma busca por autoconhecimento".

Precisa refazê-lo em algum momento da vida?

"Não é necessário. Normalmente, é feita a leitura uma só vez, pois as informações que estão no mapa não se alteram. Contudo, muitas pessoas gostam de repetir, respeitando um espaço de tempo grande - até de anos -, para obter interpretações diferentes dos astrólogos em questão, o que é uma prática bem comum".

Todo mundo pode ter a leitura do seu mapa astral?

"Todas as pessoas possuem mapa e podem passar pela leitura. No caso de crianças, por exemplo, os pais podem fazê-la mas, geralmente, são abordados aspectos que, por ora, a criança irá vivenciar. Conforme a criança for crescendo, os pais podem abordar outros setores em uma nova consulta. Para quem busca esse autoconhecimento, mesmo que seja adolescente, o mapa é sempre indicado".

Pet também?

"Até poderia, considerando a data de nascimento do animal de estimação. Mas o mapa traz aspectos de 12 setores diferentes da vida, entre eles: saúde, carreira, relacionamento, o que não aplica para pets. Particularmente, só considero o signo do pet e nada mais. Não há necessidade de fazer um mapa para eles".

Qual a diferença entre mapa astral e mapa de revolução solar?

"O mapa astral é uma representação do céu no momento do nascimento, ou seja, traz aspectos para a vida toda. Já o mapa de revolução solar tem a duração de 1 ano - de um aniversário da pessoa a outro. E essa leitura nada mais é do que sobrepor as informações da revolução solar em cima do mapa astral. O mapa de revolução solar traz aspectos de evidência que a pessoa passará dentro do ano seguinte e não anula o mapa astral".

Alto Astral