PUBLICIDADE

Topo

Ano novo astrológico começa nesta sexta. Veja as previsões para o Brasil

1xpert/iStock
Imagem: 1xpert/iStock

Camila Eiroa

Colaboração para Universa

20/03/2020 04h00

Feliz ano novo? Sim. Para a astrologia, o Ano novo astral acontece nesta sexta (20), às 00h53, pelo horário de Brasília. É quando o Sol ingressa no primeiro grau do primeiro signo do zodíaco, Áries. Ao mesmo tempo, chega a primavera no hemisfério norte, onde surgiu a astrologia; no hemisfério sul, é a entrada do outono.

Quer saber as previsões para esse novo ano em nosso país? Leia mais abaixo.

Por que não é em 1º de janeiro?

"Uma associação de astrólogos norte-americana sugeriu que esse dia para comemorar, internacionalmente, a prática astrológica. Por isso chamamos de Réveillon ou ano novo astrológico", explica o astrólogo Nando Guimarães.

É o momento propício para calcular um mapa com as tendências vigentes previstas para até março de 2021. Há, também, mapas secundários para solstícios e equinócios.

Como é feito o cálculo para países

O astrólogo conta que o cálculo é feito para a capital de cada país, já que se trata de uma previsão mundial com tendências sociais, políticas e econômicas, respeitando as coordenadas geográficas de cada lugar.

Para o Brasil, o Sol no grau zero de Áries fica posicionado na casa astrológica de número 3, que diz respeito à relação com países vizinhos, fronteiras, imprensa, transporte, estradas e comunicação.

Assuntos para Brasil: previsões da astrologia

Ou seja, serão os assuntos focais para o nosso governo, já que o Sol representa aquele que governa. Além disso, o signo ascendente para o Brasil em 2020 é Capricórnio, com um alinhamento nas casas 1, 2 e 3. "Esse primeiro quadrante é muito pessoal e trata de assuntos importantes para o povo, como a economia e sua postura no mundo. O planeta regente do ascendente é Saturno, que está na casa 1, em seu próprio signo. Ele cobra responsabilidades sociais e coletivas e ensina, à força, que colhemos o que plantamos".

O especialista explica que Saturno também é o planeta da economia, do realismo e do posicionamento social. "Na antiguidade, era considerado maléfico, pois trazia castigos, atrasos, crises, impedimentos e tudo o que se considerava negativo, incluindo enfermidades. É exigente e requer excelência em tudo que faz", alerta. Mas antes que criemos (mais) medo e ansiedade, o astrólogo tranquiliza: "Quem faz a lição de casa bem feita, não tem o que temer".

Quem sentirá mais os efeitos do novo ano

O astrólogo destaca que as pessoas que podem sentir mais fortemente esses efeitos e cobranças são aquelas que tem Sol, Lua ou ascendente no final dos signos cardinais: Capricórnio, Áries, Câncer e Libra. "Também os países [sim, países tem mapa de independência e fundação], cidades e empresas com essas colocações", completa.

É possível, inclusive, que já estejam sentindo essas cobranças há um bom tempo, visto que há uma concentração de planetas lentos interagindo com essa parte do zodíaco.

Cuidados que devemos ter

Pessoas, países, cidades e empresas que tenham o Sol ou o signo ascendente em signos de ar (Aquário, Gêmeos e Libra) são os que devem cuidar mais intensamente da saúde, das limitações e desafios cotidianos. Aqueles com o signo solar ou ascendente em fogo (Sagitário, Áries e Leão) serão os que devem cuidar melhor de suas finanças, patrimônio e investimentos econômicos, assim como propriedades.

Já as pessoas, países, cidades e empresas que tenham como signo solar e/ou ascendente em signos de água (Câncer, Escorpião e Peixes) ou de terra (Capricórnio, Touro e Virgem) são os que podem contribuir com soluções práticas, intuitivas e criativas às crises que teremos pela frente.

"Talvez seja a última chance desses signos, já que no final do ano civil (dezembro) as regras do jogo cósmico mudam radicalmente com o ingresso dos planetas lentos em signos de ar", alerta Nando.

Coronavírus: o que virá

"A oposição ao governo está representada pela casa 4, regida por Marte, que destaca os confrontos e as cobranças, muitas vezes de forma não racional, com impaciência e desacatos. Já os desafios estão representados pela casa 12, atrás do ascendente. Lá está Sagitário, que é regido por Júpiter. Com os nodos lunares, vemos como tendência o isolamento, os riscos de saúde física e mental, principalmente com a população minoritária, carcerária, hospitalar e sem recursos materiais", destaca Nando.

Ele também observa que a comunidade internacional, os aeroportos e cultura estarão em xeque. No entanto, destaca que é importante ter maturidade para enfrentar os desafios da vida de maneira mais prática e racional. "Busque estar, ainda que virtualmente, com pessoas e grupos que tenham os mesmos valores que os seus. Não se precipite, medite e saiba que a mudança faz parte da vida e dos planetas. Tudo está acontecendo pelo bem comum".

Tendências para o mundo

O astrólogo explica que, em 2020, o Sol faz quadratura aos pontos de eclipses, o que traz instabilidade emocional, financeira e geológica em nível mundial.

"Tudo parece atentar contra as tradições, estrutura sociais inadequadas ou antiquadas, bem como a própria vida, forçando os humanos, através de seus governos, a tomarem novas atitudes com relação à economia e bem-estar de todos."

Poder das mulheres

A Lua também é outro indicador importante de saúde da população. Neste mapa, ela está no signo de Aquário, aquele das soluções coletivas, fazendo bom aspectos ao meio do céu do mapa. Aquário é o signo que se preocupa com o coletivo, com a liberdade e igualdade de oportunidades.

"As mulheres terão grande influência em relação a pressões populares aos governos locais e federal. Com a Lua na casa da economia, é possível ter instabilidade de câmbios e investimentos", conta o astrólogo.

Vênus, por sua vez, é um planeta que representa pequena ações de boas sortes e está domiciliado em Touro na casa 5, fazendo bom aspecto ao grau do ascendente. Isso pode representar uma ajuda extra às crises, mas que não necessariamente ajudam ao povo de maneira geral.

Alto Astral