PUBLICIDADE

Topo

Alto Astral


Na astrologia, ano só começa em março. Entenda por quê

RgStudio/Getty Images
Imagem: RgStudio/Getty Images

Claudia Dias

Colaboração para Universa

07/01/2020 04h00

Se é em 1º de janeiro que os seguidores do calendário gregoriano — nós e quase todo o resto do mundo, diga-se! — celebram o início de um novo ciclo, na visão astrológica, a data não tem valor algum. É só em março, quando o Sol entra na casa de Áries, que começa oficialmente o ano para os astrólogos.

"A data muda por uma série de fatores, como o ano ser ou não bissexto, por exemplo. Mas sempre acontece mais ou menos nesta época, no equinócio em março, momento em que ocorre a entrada do outono no hemisfério sul e da primavera no hemisfério norte", explica a astróloga Bianca Ballesteros.

Data astrológica para Ano Novo

Em 2020 — ano em que o Sol brilhará, segundo os especialistas —, a "virada" de ano astrológico acontece em 20 de março, coincidindo com a data em que o sol chega a zero grau de Áries. "Este fenômeno astronômico caracteriza-se como símbolo do início e do impulso, da aventura do 'começar'", argumenta a especialista.

É por esta razão que primeiro dia de janeiro não tem valor astrológico de ano novo. "Para nós, é apenas um ano novo cultural determinado por um calendário, que não sofre influência dos movimentos dos astros", pontua Bianca.

De acordo com a astróloga, o equinócio de março traz a energia de renovação, de inícios e términos de ciclos influenciados pelo planeta Marte, regente do signo de Áries, considerado pioneiro dentre todos os signos. "Áries é, portanto, a primeira verdade expressa pelo sagrado círculo do zodíaco", comenta.

A astróloga lembra que, durante a permanência do Sol em Áries, tem-se a época mais propícia para o início de novos projetos e para se colocar em práticas todas as resoluções de ano novo.

A força do Sol

O ano de 2020 será regido pelo Sol, energia planetária que confere brilho e expansão a todos, com mais força entre os nascidos em Leão, já que Sol é o regente do signo.

Não só isso, a posição em que o Sol se encontra no mapa astral de cada pessoa também é motivo de destaque no novo ano.

"Quando fazemos o mapa astral de alguém, calculamos em que casa zodiacal o Sol se encontrava no momento do nascimento. Cada casa zodiacal representa uma área de interesse de nossas vidas, como carreira, dinheiro, filhos, relacionamentos afetivos, entre outras. Onde o Sol estiver, será uma área de importância na vida desta pessoa", detalha Bianca.

Na maioria das vezes, significa a casa (ou área) em que os indivíduos mais se destacam, dão prioridade ou sofrem restrições. "O Sol, em sua plenitude, vai acentuar com seus raios todo e qualquer aspecto ali presente, seja fortalecedor ou desafiador", diz.

Vale, também, identificar onde o Sol se posiciona no ano em questão para cada pessoa.

"Combinando as informações, saberemos em que área da vida vamos ter maiores ou menores desafios ao longo de 2020, sendo beneficiados pela energia positiva ou restritiva do Sol, de acordo com os aspectos formados", continua Bianca.

Mas independentemente desse "Sol pessoal", o astro-rei vai cobrar mais energia e disposição para se alcançar objetivos. Como lembra a astróloga, será um ano de muitas conquistas para quem já vem plantando há algum tempo, uma vez que nada cai do céu.

Os planetas: Júpiter, Saturno e Plutão

Além do mais, de acordo com a astróloga, a partir de 20 de março, ocorrerá uma conjunção dos planetas Júpiter, Saturno e Plutão, o que é um fenômeno raro.

"Saturno e Plutão limitam e pedem mudanças, enquanto Júpiter e Plutão expandem e permitem crescimento, ou seja, teremos forças díspares, mas que, somadas, podem produzir efeitos transformadores em nossas vidas", avalia.

Diante do cenário, cabe a cada um repensar as próprias escolhas de forma mais consciente, abrindo mão das emoções e assumindo mais responsabilidades com os verdadeiros propósitos de vida.

Alto Astral