Topo

Violência contra a mulher


Filhos descobrem que pai matou mãe há 37 anos: "Era uma sombra que pairava"

Irmãos fizeram investigação e descobriram que pai matou a mãe deles há 37 anos - Reprodução/YouTube
Irmãos fizeram investigação e descobriram que pai matou a mãe deles há 37 anos Imagem: Reprodução/YouTube

De Universa

22/08/2019 18h50

Nesta terça-feira (20), Genir Cela e seus cinco irmãos foram até a delegacia da Polícia Civil de Lucas do Rio Verde (MT) para denunciar o próprio pai. Após ser confrontado por uma investigação feita pelos filhos, Raimundo Cela confessou que matou a mulher, Pierina Carroro, há 37 anos, em Quilombo (SC). A família suspeitava do crime há quase quatro décadas.

O caso ganhou repercussão na mídia nacional e o resto da família, bastante conhecida no interior de Santa Catarina, se pronunciou nas redes sociais. "Desde pequena soube que havia algo errado, uma sombra pairava no ar", escreveu Giovana Cela Bazzana, neta de Pierina, em seu perfil no Facebook. De acordo com a Polícia Civil do Mato Grosso, Raimundo deve permanecer em liberdade porque o crime prescreveu.

Em contato com a reportagem, Giovana disse que ela, seu pai e tios não querem dar entrevistas sobre o caso e, por isso, decidiu se pronunciar pelo seu perfil. "Meus primos e eu crescemos sem termos conhecido nossa avó. Não sabíamos bem o porquê. Um dia a minha mãe me contou sobre a 'nuvem' que pairava. E assim pude entender porque meu pai era tão calado. Ele nunca tocou no assunto na minha presença. Havia um grito engasgado."

Segundo a família, Pierina Carroro foi morta porque queria divórcio. "Ele só pensava em como ia ficar para ele", falou Genir - Reprodução/YouTube
Segundo a família, Pierina Carroro foi morta porque queria divórcio. "Ele só pensava em como ia ficar para ele", falou Genir
Imagem: Reprodução/YouTube

Na publicação, a jovem falou sobre o alívio da família por finalmente ter descoberto o que aconteceu com a avó. "Quase quarenta anos depois de chuva fria e dúvidas, sabemos a verdade. Não podemos voltar no tempo e resgatar a nossa avó, vítima de um crime cruel". Giovana disse que acredita que o que aconteceu com Pierina deve impactar a família ainda por muitos anos. "Sabemos que impactou gerações. Sabemos que não precisava ter sido assim."