Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

Conheça o significado dos sonhos mais recorrentes na gravidez

Enquanto a mulher se prepara para dar à luz, o inconsciente vem à tona - Getty Images/iStockphoto
Enquanto a mulher se prepara para dar à luz, o inconsciente vem à tona Imagem: Getty Images/iStockphoto

Heloísa Noronha

Colaboração com Universa

05/08/2019 04h00

Durante a gestação, além dos diversos hormônios que sofrem alterações em prol do desenvolvimento do bebê e da preparação para o parto, o psiquismo das futuras mães também passa por grandes mudanças. "Isso acontece porque as questões mais precoces de suas vidas estão prestes a serem revividas por intermédio do nascimento de seus filhos", diz a psicóloga clínica Silvia Malamud, especialista em abordagem direta a memórias do inconsciente, de São Paulo (SP).

"A partir do momento em que uma gravidez é inaugurada, junta-se uma série de eventos que antes podiam estar escondidos nas mais profundas camadas do inconsciente. Eles pouco a pouco começam a ser liberados e revistos, de algum modo, como se estivessem ocorrendo novamente", explica Silvia.

Tudo isso vem à tona através dos sonhos. De acordo com o psiquiatra Carlos Eduardo Carrion, de Porto Alegre (RS), é natural que em períodos mais atribulados da vida todo mundo sonhe mais. "É possível, por conta da tensão, que a qualidade do sono se deteriore e se torne mais superficial", afirma. Segundo a psicóloga clínica Patrícia Atanes, de São Bernardo do Campo (SP), como os sonhos são a manifestação inconsciente das sensações internas da gestante, seu conteúdo normalmente estará representando preocupações, medos e angústias que conscientemente se esforça para controlar. "Assim, o inconsciente se vale de coisas ou situações bizarras, estranhas ou irreais para serem mais bem aceitos e interferir menos no dia a dia da grávida", completa.

Existem alguns elementos que são mais recorrentes nos sonhos das futuras mães, porém a interpretação tem um contexto muito individual para cada uma. Os mais conhecidos são:

Água: de torneiras abertas a enchentes e mergulhos em rios, mares e cachoeiras, a água surge principalmente nos sonhos do início da gestação, período que coincide com a produção do líquido amniótico que envolverá e protegerá o bebê. A água ainda simboliza o feminino, a criatividade, o novo. E, também, o medo em relação ao nascimento e a saída da criança do útero.

Terra: a maternidade é a própria terra semeada e germinada. Sonhar com montes ou estradas de terra significa o processo natural de se tornar mãe, em que é necessário paciência e cuidado para a semente brotar.

Animais e seres estranhos ou irreais: mais comuns em situações de primeira gravidez, esses sonhos podem sinalizar um medo subjacente da responsabilidade por um ser desamparado, angústia com a falta de experiência e as inseguranças em relação à capacidade de levar a gestação a termo ou ao momento do parto. Na gestação, as mudanças físicas e emocionais seguem um ritmo próprio e incontrolável. A mulher não tem mais o domínio de nada, pois é regida pela própria natureza. Por isso, o preparo instintivo pode vir na forma de um sonho em que se está dando à luz um bicho, por exemplo.

Sexo: os hormônios influenciam a libido e os sentidos, mesmo durante o sono. Sonhar com conteúdos eróticos representa o medo de conciliar o papel de mulher com o de mãe, e o de perder a intimidade ou a privacidade com a chegada do bebê.

Traição do parceiro: "as mudanças hormonais e físicas causam inseguranças e sentimentos de vulnerabilidade na grávida, que se manifestam inconscientemente nos sonhos em que o par aparece envolvido com pessoas conhecidas ou mesmo estranhas", conta Patrícia.

Bebês e crianças: todas as futuras mamães têm a preocupação em saber se seus bebês serão saudáveis e com quem vão parecer. A ansiedade da gravidez pode fazer com que as mulheres imaginem o pior cenário possível e isso se manifesta em sonhos onde se deixa acidentalmente o bebê sem supervisão ou o esquece ou perde.

"Outros tipos de sonhos que costumam surgir são do tipo 'contatos' com o futuro filho, nos quais ele literalmente diz o nome que gostaria de receber ou aparece em cenas cotidianas futuras. A grande questão aqui é se seriam sonhos premonitórios ou projeções do psiquismo das mães por conta da ansiedade", observa Silvia.

Tais sonhos podem ocorrer durante toda a gravidez ou somente em alguns períodos; depende de como a grávida está lidando com suas alterações emocionais. Em geral, os conteúdos se manifestam de forma diferente, porque os medos, angústias e inseguranças vão se alterando de acordo com a evolução da gestação. Após o parto, esses sonhos costumam cessar porque as inseguranças se tornam conscientes e a realidade cotidiana acaba com a necessidade da expressão inconsciente.

Para a psicóloga, é importante que a grávida não se impressione com o conteúdo de seus sonhos, mesmo os mais assustadores. "Sentimentos de ambivalência sobre a maternidade, seu papel em mudança e novas responsabilidades são normais. O fato de a futura mãe vivenciar conflitos não significa que ela não quer ter um bebê. Reconhecer seus sentimentos, mesmo os negativos, e buscar apoio para as dúvidas, ajuda a lidar com esse período de uma maneira mais produtiva", pondera.