PUBLICIDADE

Topo

Pausa

Pare, respire e olhe o mundo ao redor


Pausa

"Bolsolteiros", investimentos e vagas: grupos virtuais criados por mulheres

Roseane Santos

Colaboração para Universa

10/03/2019 04h00

Se está precisando de uma indicação de uma boa manicure, onde procuraria? Errou quem pensou em salão de beleza ou um site especializado em unhas.

Muitas pessoas lançam a pergunta em grupos virtuais e garantem que a resposta é satisfatória. Logo surgem muitos recomendando não só o profissional, mas dando referências, como preço e localidade mais próxima. Essas verdadeiras "comunidades" de informações específicas já conhecidas em aplicativos e redes sociais facilitam a vida de muita gente.

Através delas, pode se encontrar desde uma cadeira de rodas até um namorado.  

Pegamos o exemplo de quatro mulheres que criaram grupos virtuais e falam das vantagens de participar um. 

Garotas do Poder

Camila, do grupo Garotas no Poder - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Camila, do grupo Garotas no Poder
Imagem: Arquivo Pessoal

A produtora Camila Mazzini, 35 anos, precisava  de encanador e queria achar uma mulher para realizar essa tarefa. Era padrão sempre pensar em homens para esse tipo de serviço. Assim como ela, muitas mulheres que moram sozinhas têm receio de colocar um homem desconhecido em casa.

Essa dificuldade de encontrar alguém que indicasse uma profissional fez com que ela idealizasse um grupo que é sucesso na internet. "Eu criei o Garotas do Poder no Facebook para achar mulheres que fazem esse tipo de trabalho dito masculinos. Só que a procura foi crescendo e abri para qualquer tipo de vaga ou busca de trabalho. Foi criado em 2016 e têm mais de 48 mil membros, só mulheres", informa.

Camila esclarece que não existe preconceito de idade, região ou seguimento especial de mercado. "Aceitamos todos os tipo de vagas, com filtro de qualidade e salário digno. Não recebo muitos feedbacks, mas sei de amigas que conseguiram emprego por lá e indicaram alguém para a vaga antiga também. Sei de uma pessoa que mudou de cidade por causa de uma vaga que achou lá e de eventos contrataram quase toda a mão de obra feminina através do grupo", disse.

Regras do grupo 

  • Não é um espaço para discussões pessoais. Divulgação do trabalho sim, depoimentos não. Quanto mais direto, organizado e resumido o post melhor. Evitar exposição de terceiros.
  • Só indicar mulheres: é aberto pra qualquer tipo de trabalho, mas as indicações só podem ser femininas!
  • Posts apenas sobre trabalho ou algo que leve a algum tipo de trabalho. Vale divulgação de trabalho pessoal ou de amigas, espaço de coworking, cursos, workshop, bazares, procura de fonte, todos organizados e/ou voltados para mulheres.
  • Evitar ao máximo qualquer tipo de discussão. Quando algo parecer errado converse por inbox com a pessoa ou denuncie para as moderadoras que elas tentarão resolver. Nunca ofenda nenhuma integrante do grupo.
  • Sororidade não é aproveitamento. Cuidado para não usar a sororidade do grupo para pedir preços abaixo do mercado ou "descontinhos amigos". Todas merecem serem remuneradas de forma justa.
  • Evite posts repetidos. Use a busca para encontrar serviços ou profissionais que já foram solicitados anteriormente.


Sovinas - Mulheres que Investem

Elaine, do grupo Sovinas - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Elaine, do grupo Sovinas
Imagem: Arquivo Pessoal

Em 2017, a especialista em Marketing Elaine Fantini, 37 anos, reencontrou uma amiga dos tempos de faculdade e marcaram um café para colocar o papo em dia e trocar umas informações sobre investimentos.

Na conversa, ambas comentaram a dificuldade que é encontrar outras mulheres para falar de investimentos. "Aí, veio uma daquelas idéias que a gente não sabe muito bem explicar como aparecem e resolvemos montar o grupo só para falar sobre isso.", recorda Elaine. 

Ela lembra com humor como escolheram o nome inusitado "Sovinas - mulheres que investem".

"Eu disse que depois de começar a investir eu não queria mais saber de gastar aleatoriamente, só queria investir, que eu estava muito sovina. E ela na hora disse "nossa, eu também". Então, aproveitamos o trocadilho do nome e batizamos logo o nosso novo investimento", brincou.

Para divulgar o grupo, o primeiro passo foi à propaganda boa a boca. "Começamos chamando as nossas amigas e usando uma tática de guerrilha para divulgar o grupo, que consistia em entrar em outros grupos e apresentar nossa iniciativa, além de ir aos canais de youtubers e deixar nos comentários o endereço do grupo, convidando as mulheres para fazer parte.", conta. 

Um ano e meio depois, somos quase 2.500 mulheres no grupo, que não para de crescer.

O grupo fala exclusivamente sobre investimentos e só entram mulheres. Para não ter fuga ao tema e ao público, todos os posts e solicitações de entrada sofrem moderação.

Todo dia há novas postagens das integrantes. No início, as discussões precisavam ser estimuladas. Hoje, acontecem naturalmente. Há todo o tipo de mulher no grupo, das que investem a mais tempo, às que ainda têm dificuldade de guardar dinheiro.

Uma característica muito bacana é a solidariedade entre as integrantes. Estão sempre dispostas a ajudar e ensinar as colegas. No último ano (fevereiro de 2018 a fevereiro de 2019), o número de mulheres no grupo cresceu 145%.

Regras do grupo

  • Falar sobre investimentos. Temas ligados a empoderamento, liderança, feminismo e diversidade são apoiados, mas não são temas de discussão no grupo. "Há outros grupos melhores e mais competentes para tratar desses assuntos. Então, não fique triste, mas posts que fujam de investimentos e dinheiro não serão publicados", diz a mensagem.
  • O grupo não tem patrocínio, logo qualquer pessoa de qualquer empresa de investimento pode postar desde que o conteúdo agregue conhecimento e/ou traga benefício para as participantes. "Autopromoção não está incluída nessa categoria. Se você tem um canal no youtube ou coisas do tipo, pode até postar, desde que o objetivo seja levantar a discussão de um tema e não simplesmente fazer auto-propaganda".
  • Post com teor "quer enriquecer, pergunte-me como" que nitidamente, segundo as administradoras, fazem relação a esquemas duvidosos ou anúncios de crédito/empréstimo ou venda de qualquer coisa não serão aceitos.

 
Para viajar e passear pela cidade

Cinthia tem um grupo de viagens - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Cinthia tem um grupo de viagens
Imagem: Arquivo Pessoal

Após 10 anos enfrentando um problema familiar, a securitária  Cinthia Bastos, 31 anos, estava desanimada e com falta de perspectiva. As viagens sempre foram uma válvula de escape para ela. Desde 2013, viajava sem nenhuma companhia e em 2014 começou a fazer  parte de grupos de mulheres que viajam sozinhas, no Facebook. Só que uma coisa a chamou atenção. "Reparei, que a grande maioria delas não viaja sozinha. Estão ali para tirar dúvidas, ou incrivelmente para arrumar alguém para acompanhar", conta. 

Com o passar do tempo, ela percebeu que o problema era ainda maior. "As mulheres não só deixavam de viajar por falta de companhia; como estavam em casa pelo mesmo motivo. Elas estavam deixando de sair. Li relatos de pessoas que trancavam a porta de casa sexta-feira à noite, após sair do trabalho e só saiam de casa segunda de manhã", lembra. 

 E foi assim que ela resolveu unir as mulheres do Rio de Janeiro e formar o grupo do Whatsaap para promover encontros. "Através de amizades para passear pelo Rio, viagens pelo Brasil e exterior. Já fizemos dois piqueniques na Lagoa Rodrigo de Freitas e um churrasco. A adesão é cada vez maior.", comemora. 
 
A idéia que teve início em outubro de 2018 cresceu tanto que Cinthia foi obrigada a criar o grupo no Facebook Girls Love Trip, já que no Whatsaap cabem somente 257 integrantes. "No Girls Love Trip, o foco são dicas e experiências de viagem, e não somente encontros pelo Rio, já que mulheres de outros estados e países também já fazem parte.

Hoje posso dizer que o grupo é uma distração, motivo de gargalhadas, novas amizades e encontros saudáveis. Eu diria que até uma terapia porque é um exercício de paciência já que são pessoas totalmente diferentes, muitas perguntas; e prática de solidariedade.", conclui.  

Regras do grupo

  • Não é permitido assuntos de política, religião, futebol, preconceito e propagandas de negocio próprio.
  • Assuntos permitidos: viagens, encontros, relatos pessoais- histórias de motivação, assuntos do dia a dia também.

Médicos, empregadas domésticas e paqueras

Elaine, grupo virtuais dos Bolsolteiros - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Elaine, grupo virtuais dos Bolsolteiros
Imagem: Arquivo Pessoal

A assistente social Elaine Souza, 43 anos, começou a criar grupos virtuais considerando seus obstáculos do dia a dia. Com filho pequeno e sem muito tempo para tarefas que envolvam uma pesquisa longa, ela queria facilitar sua vida e também ajudar a amigos que passavam pelas mesmas dificuldades. O primeiro grupo surgiu em 2014.  

"Eu já trabalho em contato com planos de saúde, mas sentia a necessidade de ter recomendações para encontrar bons profissionais nessa área. Afinal, com saúde não se brinca. Então pensei em criar uma rede onde as pessoas pudessem contribuir umas com as outras", fala. Dessa forma, nasceu o "Gostou do Médico: Indique". Esse grupo já tem hoje mais de 6 mil inscritos. 

Em 2015, seguindo a mesma linha, Elaine criou o "Empregados (as) domésticos (as) e empregadores RJ e Niterói", hoje com 6.755 inscritos. Nele, há o oferecimento de mão de obra e pedidos específicos de quem precisa de um trabalhador. O grupo mais inusitado foi criado nas últimas eleições. O "Bolsolteiros" é destinado a eleitores do presidente Jair Bolsonaro que desejam interagir e também encontrar um par que compartilhe das mesmas idéias políticas.

A assistente social ressalta que conta com a ajuda de outras moderadoras para colocar sempre o grupo ativo e evitar problemas de comportamento inadequado. "O que eu sinto também é que muitos entram no grupo para procurar amizades. Existe um clima agradável. O funcionamento é 24 horas e alguns encontram pessoas para conversar até de madrugada", informa. O grupo já ultrapassa os 5 mil inscritos e segundo Elaine, o número cresce freneticamente depois da divulgação de que alguns casais foram formados.

Regras dos grupos

É proibido:

  • Colocar imagens de crianças ou menores de 18 anos, palavrões, ofensas, fotos obscenas e conteúdo de violência. 
  • Fazer lives do grupo
  • Postagens sobre sexo, religião, política e futebol. 
  • Fotos de nudez, sem camisa ou roupas íntimas
  • Postar números de telefone ou links de grupo de whatsaap
  • Propagandas de qualquer natureza

Pausa