PUBLICIDADE
Topo

'Alexa, apague a luz': lâmpada inteligente ajuda a reduzir conta de luz?

Lâmpada Inteligente - Getty Images
Lâmpada Inteligente Imagem: Getty Images

Letícia Naísa

De Tilt, em São Paulo

02/09/2021 04h00

O brasileiro quando recebe a conta de luz atualmente leva um susto. O período de seca e a economia do país balançada fizeram o preço da energia elétrica ir às alturas nos últimos meses. Para reduzir os gastos, muita gente tem buscado alternativas. Tilt conversou com especialistas para descobrir se as lâmpadas inteligentes, que se conectam à internet, podem ajudar na economia da luz ou se elas gastam mais que as tradicionais.

Abaixo eles explicam como esses dispositivos funcionam e se eles podem impactar no orçamento.

'Alexa, acenda a luz': o que são e como funcionam

As lâmpadas inteligentes são chamadas assim porque podem ser controladas por aplicativos no celular ou por dispositivos compatíveis com assistentes de voz, como a Alexa e o Google Assistente. O usuário, além de pedir em voz alta os comandos, pode programar horários para deixar a lâmpada acesa, apagada, com maior ou menor intensidade — e, em alguns modelos, escolher a cor da emissão de luz.

Os modelos ainda não são tão populares no país — o preço ainda é alto, custam a partir de R$ 60 as mais baratas —, mas a tendência, diz Fabrizio Mancini, professor do curso de engenharia elétrica da Universidade Positivo, de Curitiba (PR), é que as lâmpadas inteligentes se tornem mais presentes à medida que os custos caiam.

"Seria interessante se o governo incentivasse a produção nacional desse tipo de dispositivo", afirma o docente. "Creio que teremos mudanças muito grandes com relação à conectividade ainda no Brasil", completa.

Esse tipo de dispositivo integra um conjunto de uma série de itens, como tomadas e interruptores, que fazem parte do conceito de internet das coisas (com vários eletrônicos e eletrodomésticos conectados ao mesmo tempo). "Tudo isso junto dá poder para o consumidor fazer a gestão de energia da casa", afirma José Baesso Aquiles Grimoni, engenheiro e professor da Poli-USP (Escola Politécnica da Universidade de São Paulo).

O "poder" existe graças a um microprocessador integrado às lâmpadas. Elas têm uma espécie de "interruptor interno".

"Por conta das opções de controle a distância e programação automatizada, ajuda a diminuir o consumo", diz Mancini. "Mas tudo vai depender dos hábitos do consumidor", alerta.

'Ok, Google, apague a luz': elas gastam mais? Gastam menos?

Por serem feitas de LED, as lâmpadas inteligentes gastam quase o equivalente de energia elétrica de uma lâmpada comum de mesmo material — que é muito mais econômico do que as lâmpadas fluorescentes e incandescentes, e tem uma vida útil muito maior.

Sendo assim, se você é alguém que já tem o hábito de manter as luzes apagadas quando não está usando, não deve sentir diferença alguma no boleto no fim do mês usando a lâmpada de LED comum ou a inteligente. Nem mesmo o controle de intensidade de luz (que pode ficar mais ou menos iluminado) ou das cores (coloridas) pode aumentar a conta.

"O controle da lâmpada, o ligar e desligar, tem um consumo muito pequeno. Não é isso que impacta na conta de luz", diz Grimoni.

O que vai fazer a diferença é se você for uma pessoa que vive deixando luzes acesas por muito tempo por onde passa sem necessidade.

As lâmpadas inteligentes, no fundo, são apenas mais um dispositivo prático e, talvez, de conforto, do que realmente itens de grande impacto na conta de luz. Se decidir ter uma, não espere uma conta de luz mais baixa — nem mais alta.

Segundo o professor Grimoni, a iluminação de uma residência corresponde de 15 a 20% do consumo de energia elétrica do local. "Não é o grande gastador da casa", afirma. Os grandes vilões são os eletrodomésticos, como geladeira, que tem um consumo constante, a máquina de lavar, e o chuveiro.

Opções de lâmpadas inteligentes para comprar:

Preço: R$ 64,00*

Preço: R$ 74,90*

Preço: R$ 155,00*

* Os preços e a lista foram checados no dia 02/09/2021 para atualizar esta matéria. Pode ser que eles variem com o tempo.

**O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.