PUBLICIDADE
Topo

Galaxy Z Fold e Flip: Samsung lança terceira geração de dobráveis

Lucas Carvalho

De Tilt, em São Paulo

11/08/2021 11h00Atualizada em 11/08/2021 21h09

Sem tempo, irmão

  • Samsung anuncia hoje Galaxy Z Fold 3 e Z Flip 3, seus novos celulares dobráveis com 5G
  • Além deles, empresa lança o relógio Galaxy Watch 4 e os fones de ouvido sem fio Galaxy Buds 2
  • Ainda não há previsão de início das vendas no Brasil ou preço oficial confirmado

A Samsung apresenta nesta quarta-feira (11) o lançamento global de uma série de novos produtos. O carro-chefe do evento Galaxy Unpacked, exibido ao vivo pela internet, são os novos telefones dobráveis da marca: o Galaxy Z Fold 3, que traz câmera oculta sob a tela, e o Galaxy Z Flip 3.

Além deles, a Samsung anuncia também hoje o relógio inteligente Galaxy Watch 4 e os fones de ouvido sem fios Galaxy Buds 2. Por enquanto, não há previsão de lançamento dos produtos no Brasil ou preço oficial confirmado para o país.

Os telefones da linha dobrável chegam este ano para substituir a linha Galaxy Note, que não terá nova geração lançada em 2021. Por isso, o Z Fold 3 assumiu o suporte à caneta eletrônica S Pen e o perfil de produto "focado em produtividade".

Já o Z Flip 3, apesar do nome, é apenas a segunda geração do celular dobrável mais simples da marca sul-coreana. Diferentemente do Fold, que abre e fecha como um caderno, o Flip abre e fecha como um clássico celular simples de "flip", ou como o rival Motorola Razr.

A Samsung, que lidera o incipiente mercado de dobráveis no mundo, considera a categoria estratégica. Segundo dados da consultoria Strategy Analytics, o setor deve triplicar em número de aparelhos vendidos em 2021, e a expectativa é de que cresça 113% até 2025.

Nenhum dos novos lançamentos vem com carregador ou fones de ouvido na caixa. Atualmente, no Brasil, o Galaxy Z Fold 2 e o Z Flip de primeira geração são vendidos pelos preços sugeridos de R$ 12.599 e R$ 8.999, respectivamente.

Nos Estados Unidos, os preços oficiais são:

  • Galaxy Z Fold 3: US$ 1.799 (cerca de R$ 9.300)
  • Galaxy Z Flip 3: US$ 999 (cerca de R$ 5.200)
  • Galaxy Watch 4: US$ 249 (cerca de R$ 1.300)
  • Galaxy Watch 4 Classic: US$ 349 (cerca de R$ 1.800)
  • Galaxy Buds 2: US$ 149 (cerca de R$ 770)

O que há de novo com o Galaxy Z Fold 3

zfold - Divulgação/Samsung - Divulgação/Samsung
Samsung Galaxy Z Fold3
Imagem: Divulgação/Samsung

Após uma primeira geração cheia de problemas e uma segunda tentativa melhorada, o Z Fold 3 chega ao mercado mais maduro. Além da ficha técnica de top de linha e do suporte à caneta S Pen, o aparelho vem com um corpo teoricamente mais resistente.

O Z Fold 3 vem com certificação IPX8, o que significa que ele é resistente a água (1 metro e meio de profundidade por até 30 minutos), mas não foi testado contra resíduos sólidos, como poeira. O corpo do aparelho também está mais fino e leve, pesando 271 gramas, contra 282 gramas do antecessor.

Além disso, as telas interna e externa usam o vidro Gorilla Glass Victus, que é, segundo a fabricante, 50% mais resistente que o Gorilla Glass 6 usado na maioria dos celulares top de linha atualmente. A película protetora da tela interna dessa vez é "80% mais durável", segundo a Samsung.

Por falar em telas, aquela que fica do lado de fora ficou um pouco mais alta e mais estreita. Ainda são 6,2 polegadas (15,7 centímetros) de um canto a outro na diagonal. A resolução está um pouco mais alta — subiu de 386 para 387 pixels por polegada — e a taxa de atualização também, agora em 120 Hz, que deixa as animações mais suaves ao olhar.

A tela interna mantém a mesma medida de 7,6 polegadas (19,3 centímetros), mas não tem mais aquele furo para a câmera de selfies. Em vez disso, o Z Fold 3 tem uma câmera oculta sob a tela, que fica quase invisível quando não está sendo utilizada. A Samsung alerta, porém, que a qualidade das imagens com essa lente é baixa, com apenas 4 MP de resolução.

fold - Divulgação/Samsung - Divulgação/Samsung
Galaxy Z Fold3 tem suporte à caneta S Pen; tela interna tem câmera frontal oculta sob a tela
Imagem: Divulgação/Samsung

A tela externa, porém, também tem uma câmera de selfies, localizada num furo no painel, com resolução de 10 MP. Quem quiser também pode usar o conjunto de câmeras principais na traseira do aparelho — são três, todas de 12 MP.

O processador do Z Fold 3 é um Snapdragon 888, da Qualcomm — o mais potente do mercado atual — equipado com 5G, 12 GB de RAM e a partir de 256 GB de armazenamento. Desta vez não haverá uma versão com chip Exynos, feito pela Samsung. A bateria é dividida em duas células que somam 4.400 mAh.

Ficha técnica: Galaxy Z Fold 3

  • Telas: interna de 7,6 polegadas (Amoled, 2208 x 1768 pixels, 120 Hz) e externa de 6,2 polegadas (Amoled, 2268 x 832 pixels, 120 Hz);
  • Dimensões e peso: 128 x 158 x 6,4 milímetros (aberto); ou 67 x 158 x 16 milímetros (fechado); 271 gramas;
  • Processador: Snapdragon 888 (5 nanômetros, octa-core)
  • Memória: 12 GB de RAM, 256 GB ou 512 GB de armazenamento;
  • Câmeras: traseira tripla (ultra wide + wide + telefoto, 12 MP cada); frontal externa (10 MP); e frontal interna (4 MP, sob a tela);
  • Bateria: 4.400 mAh.

O que há de novo com o Galaxy Z Flip 3

zflip - Divulgação/Samsung - Divulgação/Samsung
Samsung Galaxy Z Flip 3
Imagem: Divulgação/Samsung

A nova geração do celular de flip da Samsung também aposta em um design mais fino, leve e resistente. Aqui também há proteção contra água com certificação IPX8 e o vidro Gorilla Glass Victus em todos os lados do aparelho.

Mas embora tenha ficado cerca de 1 milímetro mais fino, tanto aberto quanto fechado, o peso do aparelho continua o mesmo: 183 gramas, segundo a fabricante.

A novidade mais chamativa é a tela externa. Enquanto o antecessor tinha um painel minúsculo do lado de fora que servia para mostrar algumas notificações, a hora e até para selfies (se você pudesse enxergar), o modelo deste ano aposta num display bem maior e mais útil.

A tela externa desta vez tem quase 2 polegadas (5 centímetros) de um canto ao outro na diagonal, quase o dobro do tamanho do modelo anterior. Além de notificações, relógio e selfies, o painel também permite interagir com alguns apps mais complexos, como o do Samsung Music e o Samsung Pay.

Por dentro, o tamanho da tela não mudou e continua em 6,7 polegadas (17 cm) quando desdobrado. O que mudou foi a taxa de atualização, que subiu de 60 Hz para 120 Hz, tornando a navegação mais suave.

flip - Divulgação/Samsung - Divulgação/Samsung
Galaxy Z Flip 3: tela externa permite tirar selfies com as câmeras principais
Imagem: Divulgação/Samsung

O conjunto de câmeras também não mudou muito: ainda são dois sensores na parte externa do aparelho, ambos com 12 MP cada, e uma só lente de selfies na parte interna, localizada num furinho no topo da tela, com 10 MP. Essa câmera de selfies, aliás, não fica sob a tela como a do Z Fold 3.

O processador também é o poderoso Snapdragon 888, mas são apenas 8 GB de RAM e a partir de 128 GB de armazenamento. A bateria, também dividida em duas partes, soma apenas 3.300 mAh. Completando o pacote, o Z Flip 3 também vêm com suporte a 5G.

Ficha técnica: Galaxy Z Flip 3

  • Telas: principal de 6,7 polegadas (Amoled, 2640 x 1080 pixels, 120 Hz) e externa de 1,9 polegadas (Amoled, 260 x 512 pixels);
  • Dimensões e peso: 72 x 166 x 6,9 milímetros (aberto); ou 72 x 86 x 17 milímetros (fechado); 183 gramas;
  • Processador: Snapdragon 888 (5 nanômetros, octa-core)
  • Memória: 8 GB de RAM, 128 GB ou 256 GB de armazenamento;
  • Câmeras: traseira dupla (ultra wide + wide, 12 MP cada); frontal (10 MP);
  • Bateria: 3.300 mAh.

Os acessórios: Galaxy Watch 4 e Galaxy Buds 2

watch4 - Divulgação/Samsung - Divulgação/Samsung
Galaxy Watch 4 e Watch 4 Classic (à direita)
Imagem: Divulgação/Samsung

Completando o "ecossistema Galaxy", como a Samsung chama sua linha de acessórios, o Galaxy Watch 4 é um relógio inteligente feito para competir com o Apple Watch. São duas versões: a tradicional e a edição Classic, que se diferencia pelo visual de relógio "analógico".

Focado em atividades físicas e saúde, o Galaxy Watch 4 tem como principal novidade o chip BioActive, que une três sensores: frequência cardíaca, eletrocardiograma e bioimpedância. Com ele, o relógio consegue oferecer um leitor de composição corporal, que analisa dados como percentual de gordura e de água no corpo.

Outra novidade está no sistema operacional, que agora é o Wear OS — uma espécie de Android para relógios, feito pelo Google — em vez do Tizen desenvolvido pela Samsung. A mudança permite melhor integração e sincronia entre o relógio e smartphones da Samsung ou de outras marcas, além de liberar apps como Google Maps para o Watch.

Já os Galaxy Buds 2 são fones de ouvido da categoria TWS ("True Wireless Stereo") que chegam para substituir os Galaxy Buds+. A principal novidade é a inclusão de cancelamento ativo de ruído, semelhante ao Galaxy Buds Pro.

buds2 - Divulgação/Samsung - Divulgação/Samsung
Galaxy Buds 2
Imagem: Divulgação/Samsung