PUBLICIDADE
Topo

Galaxy Z Fold 2 traz dobradiça refeita e novos jeitos de usar o celular

Novo Galaxy Z Fold 2, celular dobrável da Samsung - Divulgação
Novo Galaxy Z Fold 2, celular dobrável da Samsung Imagem: Divulgação

Gabriel Francisco Ribeiro

De Tilt, em São Paulo

01/09/2020 11h00

Sem tempo, irmão

  • Galaxy Z Fold 2 é lançado pela Samsung em evento online
  • Celular dobrável ganhou lançamento próprio após roubar holofotes do Note 20
  • Entre novidades, estão uma dobradiça refeita e modos inovadores no celular
  • Aparelho tenta corrigir bizarrices de protótipo da primeira versão

O Galaxy Z Fold 2, novo celular dobrável da Samsung que tem uma tela flexível do tamanho de um tablet, teve todos os detalhes oficializados nesta terça (1º) quase um mês após ser apresentado com falhas corrigidas e roubando os holofotes do Galaxy Note 20. Entre as novidades, estão uma dobradiça refeita e modos inovadores de usar o smartphone.

A novidade da Samsung foi anunciada por US$ 1.999 (R$ 11.100, na cotação atual e sem impostos), estando disponível em 40 mercados a partir de 18 de setembro de 2020. Para efeito de comparação, o Fold original custava US$ 1.980 —os tops de linha da atualidade que não se dobram costumam custar até US$ 1.300. Ainda não há informações sobre preço e lançamento no Brasil.

O Z Fold 2 corrige diversas bizarrices do design que deixavam o Galaxy Fold original parecendo mais um protótipo feito de forma apressada —principalmente nas telas. O modelo anterior foi lançado há um ano e meio, mas devido a problemas começou a ser vendido apenas em setembro do ano passado. Resta esperar se o novo Z Fold 2 não passará pelos mesmos problemas e ficará mais estável do que o antecessor.

A Samsung chama o Z Fold 2 de "uma nova era dos celulares" e coloca em materiais de divulgação o "adeus às telas planas". O smartphone super premium tem preço exorbitante, acima até dos tradicionais (e caros) tops de linha como Galaxy S20 e Note 20.

O Z Fold 2 compete com os poucos celulares dobráveis no mercado. O mais semelhante ao Fold é o Huawei Mate X, que também tem a ideia de usar uma tela flexível para proporcionar um visor gigante ao usuário.

Além da linha Fold, a Samsung tem outro celular com tela dobrável: o Galaxy Z Flip, que lembra mais os celulares da década de 2000 com o seu estilo de abrir e fechar na vertical. Rumores apontam para lançamentos de celulares dobráveis intermediários no próximo ano, com preços mais baixos também.

Design e tela refeitos

Desta vez, os aspectos de protótipo que analisamos no review do Galaxy Fold do ano passado parecem diminuir bem. No primeiro modelo, a tela externa do celular era completamente estranha e até pouco útil: tinha 4,6 polegadas e era extremamente estreita, com bordas enormes tanto na parte de baixo quanto na parte de cima da parte frontal.

Tela exterior do Galaxy Z Fold 2: bizarrices corrigidas - Divulgação - Divulgação
Tela exterior do Galaxy Z Fold 2: bizarrices corrigidas
Imagem: Divulgação

Já a nova versão vem com uma tela externa de 6,2 polegadas quase sem bordas e mais parecida com o que vemos na maioria dos celulares atuais, com apenas um furo na tela para uma câmera no topo. A tecnologia dessa tela é Super Amoled.

Quando aberto como um livro, a tela interna do celular tem enormes 7,6 polegadas —na versão anterior eram 7,3 polegadas. A tela interna ainda conta com a taxa de atualização variável de até 120 Hz, o que promete transições mais rápidas e melhora principalmente o visual de jogos —tudo isso com a qualidade do Amoled Dinâmico visto nos últimos tops de linha.

O design da tela interna também foi melhorado: sai o enorme entalhe no canto superior direito que abrigava duas câmeras e entra um entalhe único de furo na tela na posição central da parte direita do visor. As bordas estão 27% menores do que no primeiro Fold. Com o aumento da tela, o comprimento dele aberto aumentou, passando de 117,9 mm para 128,2 mm.

Para ter um visor que se dobra, a Samsung usa uma tecnologia chamada UTG (Ultra Thin Glass, ou vidro ultrafino). Esse vidro flexível é tão fino que tem uma espessura menor do que um fio de cabelo humano.

Na traseira, o celular tem um design extremamente parecido com o dos novos Note 20. Traz uma moldura para a câmera, com um visual elegante em tons mais foscos. O smartphone foi lançado em duas cores: bronze e preto. Ainda é possível personalizar a dobradiça nas cores prata, vermelho, dourado e azul.

A dobradiça do aparelho foi totalmente refeita para melhorar a usabilidade do smartphone. A nova tecnologia deixa tanto o celular parado mais firme quando está totalmente aberto. Também permite ficar fechado com menos espaço no encontro entre os dois cantos.

O novo Fold ainda tem uma opção igual à do Z Flip, em que você pode parar a dobradiça em qualquer ângulo. Isso cria uma espécie de "base" para ver conteúdos no celular, tirar fotos ou gravar vídeos.

Tela interna do Galaxy Z Fold 2 pode parar em diferentes ângulos - Divulgação - Divulgação
Tela interna do Galaxy Z Fold 2 pode parar em diferentes ângulos
Imagem: Divulgação

O design repaginado ajudou o celular também a ficar menos espesso. A espessura agora é de 16,8 mm (antes era 17,1) no canto onde está a dobradiça e 13,8 (antes era 15,7) na outra borda. O peso é bem grande comparado aos celulares atuais: 282 gramas.

Novos modos

A presença de uma tela do tamanho de um tablet permite à Samsung fazer adaptações no software específicas para o usuário do Z Fold 2 aproveitar essa telona. Segundo dados da marca, 34% dos usuários fizeram uso contínuo do modo multitarefa no Fold original contra 4% em smartphones "comuns".

O modo de continuidade foi melhorado no Z Fold 2: quando você roda um app na tela exterior, ele continua funcionando do mesmo ponto ao abrir a interior. Dessa vez, ele funcionará mesmo se você não abrir totalmente a tela interna.

Galaxy Z Fold 2 tem tela interna do tamanho de um tablet - Divulgação - Divulgação
Galaxy Z Fold 2 tem tela interna do tamanho de um tablet
Imagem: Divulgação

A Samsung chamou de "Modo Flex" o novo estilo de usar o celular. Quando o aparelho está aberto na posição de 90º, a tela fica dividida. Por exemplo: um vídeo do YouTube pode aparecer na parte superior (aberta) enquanto na parte inferior (base) mostra a navegação do site, com o usuário podendo ver comentários ou procurar outros vídeos.

Isso serve também para as câmeras: quando você tira uma foto com o celular aberto pela metade, a parte de baixo da tela tem os comandos de tirar foto e também mostra uma prévia da última foto tirada em tamanho grande, não precisando abrir essa imagem na galeria.

Ainda nesse modo "meio aberto" o Z Fold 2 tem um enquadramento automático, em que consegue seguir o objeto em um vídeo sem a pessoa mexer no celular, apenas com o celular alterando o zoom automaticamente. O Z Fold 2 ainda detecta gestos para parar ou começar a gravar.

O modo multitarefa com até três janelas pode abrir diferentes janelas do mesmo app ou arrastar e soltar conteúdo de um aplicativo para outro. Serve por exemplo para copiar uma texto de uma nota para outra ou escrever um email enquanto vê outro aberto.

Ao tirar uma captura da tela no modo multitarefa, o sistema vai registrar três prints diferentes: um de cada app aberto, em vez de um geral com os três.

Tudo isso requer potência do celular. A Samsung não confirma especificamente o processador, mas a Qualcomm informou que o aparelho tem o Snapdragon 865+, o mais poderoso da empresa. A memória RAM é de 12 GB, enquanto a interna é de 256 GB.

Galaxy Z Fold 2 teve espessura diminuída graças a uma nova dobradiça - Divulgação - Divulgação
Galaxy Z Fold 2 teve espessura diminuída graças a uma nova dobradiça
Imagem: Divulgação

O celular chega ainda com bateria dupla que somada dá 4.500 mAh —a ver como a bateria vai lidar com uma tela enorme com a taxa de atualização de 120 Hz, que costuma consumir mais energia.

O Z Fold 2 tem, claro, suporte ao 5G e conta com um leitor de digitais que fica na lateral do aparelho —não na tela, como em vários smartphones recentes. A Samsung ainda não confirma se o Z Fold 2 tem resistência a água e poeira, algo considerado como um dos pontos fracos do Fold original.

Câmeras inferiores?

As câmeras do Galaxy Z Fold 2, a princípio, podem parecer inferiores a outros celulares da Samsung. São no total cinco câmeras com essas configurações:

  • Três câmeras traseira de 12 MP (uma principal, uma grande angular e uma teleobjetiva)
  • Uma câmera frontal na tela interna de 10 MP
  • Uma câmera frontal na tela externa de 10 MP

Outros celulares da própria Samsung e de fabricantes rivais contam com mais lentes traseiras, além de terem câmeras de até 108 MP. É claro que sempre lembramos que megapixel não é tudo e que, por exemplo, as câmeras do Z Fold 2 terão fotos com qualidade muito melhor do que intermediários como A51 e A71.

Ainda assim, é provável que o celular não tenha os enormes zooms que passamos a ver em smartphones recentes —no caso do S20 Ultra, chega a até 100x.

O estilo diferente do Z Fold 2 também permite jeitos diferentes de fotografar. Se alguém tirar uma foto sua com a câmera traseira e o smartphone estiver aberto, você consegue ver em tempo real na tela externa como está o enquadramento. Ou seja, não vai ser surpreendido por aquela foto ruim depois.

Traseira e tela exterior do Galaxy Z Fold 2 - Divulgação - Divulgação
Traseira e tela exterior do Galaxy Z Fold 2
Imagem: Divulgação

A câmera do Z Fold 2 ainda conta com um modo profissional no vídeo, com opções de edição de imagem e som. Segundo a Samsung, a câmera tem o modo noturno melhorado e o modo single take visto no S20 e Note 20, em que você clica no disparador e ele registra fotos e vídeos em diferentes estilos.

Ficha técnica: Galaxy Z Fold 2

Telas: interna de 7,6 polegadas (Amoled Dinâmico) e externa de 6,2 polegadas (Super Amoled)
Dimensões e peso 159,2 x 128,2 x 6,9 mm (aberto) ou 159.2 x 68 x 13,8 mm (fechado); 282 g
Processador: Snapdragon 865+ octacore de 7 nanômetros
Memória: 12 GB (RAM) e 256 GB (armazenamento)
Câmeras: Traseira tripla (12 MP + 12 MP + 12 MP); frontal interna (10 MP) e frontal externa (10 MP)
Bateria: 4.500 mAh