PUBLICIDADE
Topo

Celular roubado no Carnaval? Veja tudo o que você precisa fazer

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Bruna Souza Cruz

De Tilt, em São Paulo

22/02/2020 04h00

É Carnaval! A época mais divertida para muitos brasileiros chegou, mas nem por isso dá para se descuidar da segurança. A gente sabe que é tempo de festa, mas o número de roubos e furtos infelizmente também faz parte da folia.

Por isso, separamos a seguir algumas dicas de segurança para você seguir antes mesmo de sair de casa com o seu celular. No final, ensinamos também o que fazer caso você tenha sido vítima de um furto ou roubo— a dor de cabeça é inevitável nesta situação, mas há algumas formas de se proteger.

Antes de cair na folia

- Repense se a combinação que você usa na senha de desbloqueio de tela do seu celular é segura. Esqueça 123456, data de aniversário de mãe, pai, alguém da família. A mesma reflexão vale para as senhas dos aplicativos instalados no aparelho (Facebook, Instagram, Snapchat...). Se o seu celular tiver reconhecimento de impressão digital, de olhos ou facial, opte por ativá-lo. É mais seguro.

- Mantenha o GPS do seu celular ativado. É fundamental para que ele possa ser rastreado após um furto ou roubo (veja aqui como ativar no Android e iPhone).

- Descubra imediatamente o número IMEI (Identificação Internacional de Equipamento Móvel, em tradução livre) do aparelho e anote em um lugar seguro. Ele funciona como se fosse o RG do celular: cada aparelho tem um código único que o identifica em relação aos demais.

Para descobrir, digite *#06# no teclado e confirme. O IMEI vai aparecer na tela. Outra saída é encontrar o código na caixa em que o smartphone foi vendido.

É importante que esse código esteja registrado no boletim de ocorrência que você terá que fazer ao procurar a polícia após um roubo ou furto. A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) possui um cadastro geral de IMEIs bloqueados. Via de regra, uma vez que o código entra nesse sistema, o celular fica inutilizável. As operadoras de telefone também possuem seus próprios bancos de dados de dispositivos furtados e roubados.

- Ative a autenticação em duas etapas (ou dois fatores) de seus aplicativos. Ela funciona como uma camada a mais de segurança. Sempre que você ou alguém tentar entrar no aplicativo com o seu usuário e senha, o sistema vai enviar um código temporário via SMS. O aplicativo só vai liberar o acesso total após o reconhecimento desses números.

- Por garantia, faça um backup dos arquivos e aplicativos instalados em seu celular em algum serviço de armazenamento em nuvem: Google Drive do Android e iCloud da Apple, por exemplo. Não se esqueça do backup do WhatsApp, que é um pouco diferente.

Socorro, cadê meu celular?

Se você garantiu que todas as recomendações acima foram feitas, o seu prejuízo após um roubo ou furto pode ser bem menor. Vai por mim! Você dificulta a vida do ladrão e ainda aumenta a chance de manter os seus dados e arquivos protegidos.

Caso você tenha sido furtado/roubado ou tenha perdido o telefone, tudo o que você deve fazer é:

Bloqueie o chip agora!

Especialistas em segurança vivem destacando que é importante avisar a sua operadora o mais rápido possível para que ela bloqueie a linha telefônica. Durante o pedido de bloqueio, informe o número do IMEI se a empresa precisar. Como já mencionado, a informação contribui para que o celular fique inutilizado.

Em seguida, você vai precisar comprar um chip em branco e solicitar que a operadora reative a sua linha. O processo pode demorar um pouco, mas é a única saída.

Tente destruir remotamente tudo do celular

Lembra que antes de sair de casa você ativou o sistema de geolocalização do celular? Então, além de ajudar no rastreio do aparelho (se o ladrão não tiver conseguido desativar), ele ajuda na hora de apagar remotamente tudo que tem instalado no smartphone.

Android

Abra o site do Google em um navegador de internet (funciona no computador, tablet, celular) e acesse a ferramenta "Encontrar seu smartphone". Você também pode baixar o app "Localizar o meu dispositivo" em um celular empresado.

Agora, entre com seu usuário e senha do Google. Uma tela vai surgir com o nome/modelo do seu celular e o último horário em que ele emitiu um sinal de conexão. Clique em cima e observe os itens que aparecem.

Nesta etapa, selecione o botão "Localizar" e aguarde um mapa abrir em uma nova tela. Se o GPS ainda estiver ativo, a localização do aparelho vai aparecer.

Na mesma tela, você pode escolher entre: reproduzir um som, proteger o dispositivo (bloqueando o celular e saindo da sua conta no Google) e limpar o dispositivo (tudo é apagado do celular, mas ele também perde a capacidade de ser localizado neste caso).

iOS

Abra um navegador de internet e acesse o site do iCloud. Entre com sua conta e vá na opção "Buscar iPhone".

Se a localização do celular estiver ativada, um mapa vai surgir na tela com um pontinho verde indicando o endereço em que o aparelho está ou a última vez que o dispositivo emitiu um sinal.

Clique no símbolo verde e três opções vão aparecer: reproduzir som, modo perdido (que bloqueia o telefone e começa a rastrear toda a localização), apagar iPhone (deleta tudo o que está instalado).

WhatsApp

Assim que você conseguir reativar a sua conta telefônica, instale o WhatsApp em um aparelho emprestado, insira os seus dados e reative-o no novo celular. Isso vai impedir que pessoas mal intencionadas possam acessar qualquer conteúdo trocado por lá. O aplicativo só permite o uso em um celular por vez.

Caso você não tenha configurado a autenticação em dois fatores, você pode instalar o WhatsApp com seu perfil em outro aparelho assim que conseguir.

Não consegui reativar o WhatsApp, e aí?

Será preciso enviar um email para a empresa comunicando o ocorrido. O endereço é support@whatsapp.com. O assunto do email e no corpo da mensagem devem constar a mensagem:

  • Perdido/Roubado: Por favor, desative minha conta.

Inclua o número do telefone em que sua conta está cadastrada na própria mensagem. O formado dele precisa ser +55 (código do Brasil), o DDD da área em que você mora e o número. Ex: +55119XXXX-XXXX.

Mude as senhas dos aplicativos se for possível

Neste caso, só vai conseguir mudar a senha dos aplicativos e emails quem:

  • Não tiver ativado a autenticação em duas etapas (lembra que os sistemas enviam um código temporário para ativar o acesso do usuário?) anteriormente;
  • Ou já tiver recuperado a linha telefônica com ajuda da operadora.

Vá nas configurações de perfil de cada aplicativo que julgar importante e invista em senhas fortes.

Boletim de ocorrência

O último passo é fazer um boletim de ocorrência. Durante o registro, informe o número do IMEI. Assim, é possível bloquear o aparelho.

As dicas são úteis, mas espero que ninguém tenha nada roubado. Um bom carnaval para todos!

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Segurança