PUBLICIDADE
Topo

Foo Fighters: baterista Taylor Hawkins morre 2 dias antes de show no Lolla

De Splash, em São Paulo

26/03/2022 00h18Atualizada em 26/03/2022 13h35

O músico Taylor Hawkins, baterista do Foo Fighters, que tocaria no Lollapalooza Brasil no domingo (27), foi encontrado morto aos 50 anos na Colômbia. A informação foi divulgada pela própria banda nas redes sociais.

Segundo o jornal colombiano Semana, o músico foi encontrado sem vida em um hotel na capital Bogotá. A polícia investiga a morte e já isolou o hotel.

A Rádio Caracol, também da Colômbia, disse que a causa da morte ainda não foi confirmada, mas pessoas próximas afirmaram que pode ter sido em decorrência do uso de entorpecentes. Já a secretaria de saúde de Bogotá afirmou que foi chamada para atender Taylor, que reclamou de dores no peito. No entanto, as tentativas de reanimá-lo não tiveram sucesso.

"A família Foo Fighters está devastada pela perda trágica e prematura de nosso amado Taylor Hawkins", diz comunicado divulgado pelo grupo.

"Seu espírito musical e sua risada contagiante viverão com todos nós para sempre. Nossos corações estão com sua mulher, filhos e família. Pedimos que sua privacidade seja tratada com o maior respeito neste momento inimaginavelmente difícil", acrescenta o comunicado.

O Lollapalooza lamentou a morte, descrita como devastadora.

O festival Estereopìcnic, no qual o Foo Fighters ia tocar na sexta-feira, anunciou que a banda cancelou a turnê sul-americana.

Splash apurou que o show da banda no Lollapalooza Brasil está realmente cancelado. O texto será atualizado assim que houver informações oficiais da organização.

Início no Foo Fighters

Hawkins se juntou ao Foo Fighters em 1997, no disco "There Is Nothing Left to Lose" após a gravação do segundo álbum da banda, "The Colour and the Shape". O álbum teve clássicos como "Learn to Fly" e "Breakout", também famosos por seus clipes bem humorados e com os músicos atuando.

Sua entrada para o Foo Fighters aconteceu após um atrito entre Dave Grohl, vocalista da banda, e William Goldsmith, baterista até então. Curiosamente, ele tinha de se sentar na posição em que o "dono" da banda ficou famoso - já que Grohl ganhou fama como baterista do Nirvana.

Além da bateria, ele assumia os microfones em muitas oportunidades, especialmente ao vivo, como em covers de clássicos como "Somebody to Love", do Queen.

Antes de se juntar ao grupo, Hawkins teve uma breve passagem pela banda da cantora Alanis Morissette. Grohl procurou o amigo para uma indicação para a vaga de Goldsmith e ele se ofereceu para fazer parte do Foo Fighters.

Além de seu trabalho principal com a banda, Hawkins teve um projeto paralelo chamado de Taylor Hawkins and the Coattail Riders.

O músico chegou a enfrentar uma overdose de heroína há 20 anos, mas disse que a situação serviu para dar uma virada em sua vida.

Taylor e o Foo Fighters lançaram o álbum "Medicine at Midnight" em 2021 e vinham o promovendo, assim como o primeiro filme da banda: "Studio 666", que chegou em março aos cinemas. A produção, em que os músicos interpretam os personagens principais, é uma história de terror, cheia de sangue e com direito a um álbum em que o Foo Fighters leva o nome de Dream Widow - e toca heavy metal.

Hawkins era casado com Alyson Hawkins e tinha três filhos, Oliver Shane, Annabele e Everleigh, de 16, 13 e oito anos, respectivamente.

Fotos do 1º dia do Lollapalooza Brasil 2022