PUBLICIDADE
Topo

Bolha na selva e berçário em jatinho: o isolamento de luxo dos super-ricos

Rotas de fuga que oferecem luxo são as escolhas dos ricaços para se manterem no isolamento em lugares que fogem do comum - Divulgação
Rotas de fuga que oferecem luxo são as escolhas dos ricaços para se manterem no isolamento em lugares que fogem do comum
Imagem: Divulgação

Marcel Vincenti

Colaboração para Nossa

30/08/2020 04h00

Durante a pandemia, muita gente vem quebrando a cabeça para encontrar formas seguras de viajar, que evitem aglomerações e outros cenários propensos à disseminação do coronavírus.

Para o viajante que tem muito dinheiro no bolso, porém, diversas soluções já estão postas sobre a mesa.

Nas últimas semanas, o mercado de turismo de luxo divulgou serviços e produtos inacreditáveis que prometem propiciar, como resposta à covid-19, muito distanciamento e conforto para seus clientes.

No cardápio, há desde um jatinho com berçário ("o primeiro do mundo") e tendas luxuosas no deserto até um andar inteiro a seu dispor no Copacabana Palace.

Bolhas na selva

Localizado em Chiang Rai, na Tailândia, o Anantara Elephant Camp & Resort possui duas acomodações chamadas Jungle Bubbles: são estruturas transparentes que lembram bolhas, que abrigam confortáveis acomodações e ficam em uma área de selva por onde circulam elefantes.

"Os especialistas em viagens preveem que, após a pandemia, haverá uma maior demanda por experiências que permitam praticar confortavelmente o distanciamento social. E, aqui, nossos hóspedes têm a oportunidade única de passar a noite nas Jungle Bubbles, no meio de majestosos elefantes", informa o resort.

Possibilitando que os turistas fiquem distantes de outros hóspedes, as "bolhas" são climatizadas e, em seus 22 m² de espaço interno, oferecem quarto com cama king, sala de estar sob um teto transparente e banheiro privativo.

Tarifas a partir de 17.700 baht (aproximadamente R$ 3.200) por noite para duas pessoas. A diária inclui uma cesta de jantar e minibar totalmente abastecido, além de serviço de quarto 24 horas.

Berçário voador

Para proporcionar isolamento e privacidade para famílias endinheiradas que precisam voar durante a pandemia, a companhia de jatos particulares FlyEliteJets desenvolveu, junto com a premiada empresa de design de interiores Jenny Allan Design, o que eles chamam de "o primeiro berçário voador do mundo".

Trata-se de um espaço interno de avião privativo adaptado para receber crianças pequenas com conforto. Ele inclui um teto com luzes estreladas, ursinhos de pelúcia nos assentos, uma tenda em miniatura com almofadas que podem ser facilmente dobradas durante a decolagem e o pouso, além de um balanço em forma de cavalo e prateleiras para brinquedos e livros infantis.

"A pandemia aumentou o número de clientes procurando opções de jatos particulares para proteger suas famílias, mas mesmo os aviões mais atualizados não atendem aos passageiros mais jovens", informa a FlyEliteJets. "O objetivo é fornecer um espaço privado e seguro para que os pais possam alimentar seus bebês durante o voo, além de oportunidade para que crianças pequenas possam dormir, brincar e relaxar a bordo de jatos particulares".

O "berçário voador" ainda é um protótipo, mas a empresa quer que esta inovação comece a ser instalada em aeronaves privativas em breve.

Sexto andar do Copacabana Palace

O Belmond Copacabana Palace reabriu as portas no último dia 20 de agosto, após meses fechado por causa da pandemia.

E, neste retorno, o mais icônico hotel do Rio de Janeiro está oferecendo uma nova experiência chamada Exclusive Places, que permite que o sexto andar de seu edifício seja alugado inteiro e de maneira exclusiva por um grupo de hóspedes.

Este piso do Copacabana Palace abriga quatro suítes com terraço e vista para o mar, um lounge de convivência para as refeições e uma piscina.

Custa R$ 60 mil (mais 15,5% de taxas) para alugar todo este espaço (o preço dá direito a três noites de hospedagem e à presença de até oito adultos e quatro crianças).

Spa contra o estresse da pandemia

Luxuoso estabelecimento hoteleiro da Sicília, na Itália, o Verdura Resort adotou um programa de bem-estar que tem como objetivo combater problemas físicos e psicológicos causados pela pandemia.

O programa tem duração de dez dias e, durante este tempo, o hóspede segue uma agenda que inclui sessões de ioga e meditação, alimentação com ingredientes mediterrâneos, ingestão de chás terapêuticos e sessões de um tipo de massagem que promete melhorar a circulação do sangue para o cérebro.

A iniciativa pretende renovar as energias das pessoas que, por exemplo, ficaram por muito tempo trancadas em casa por causa da coronavírus.

O programa de bem-estar custa 3.650 euros (mais de R$ 24 mil) por pessoa — e só estará disponível entre os dias 1º e 10 de setembro deste ano.

A diária de uma acomodação dupla no Verdura Resort, por sua vez, custa a partir de 560 euros (cerca de R$ 3.700).

"Tendas" de luxo no deserto

O Camp Sarika by Amangiri está cercado por uma enorme aérea de natureza selvagem e oferece acomodações de luxo (cujo desenho lembra tendas nômades) no meio de uma região desértica do Estado norte-americano de Utah.

"Dentro deste santuário remoto e totalmente sintonizado com a natureza, os clientes podem experimentar privacidade, escapismo e aventura", informa o estabelecimento, que está promovendo estes meios de hospedagem como opção para quem busca isolamento nestes tempos de pandemia.

"O Camp Sarika é composto por dez acomodações luxuosas, cada uma com seu próprio deque ao ar livre e piscina privativa. Elas estão posicionadas de forma intuitiva para proporcionar o máximo isolamento e vistas desimpedidas, enquanto, ao mesmo tempo, permitem fácil acesso ao pavilhão principal do acampamento, que possui spa, restaurante, piscina e jacuzzi".

Diárias a partir de R$ 18.700.

Acomodação flutuante

Esta acomodação flutuante se chama Anthénea e foi desenvolvida na França por uma equipe de designers, engenheiros e arquitetos navais.

Abastecida com energia solar e equipada com estações de tratamento de água, a cápsula tem 50m² e possui sofá, cama circular, banheiro, minibar e uma grande janela subaquática.

Além disso, oferece um solário de 360° na sua parte superior que comporta até 12 pessoas.

E se trata de uma estrutura móvel: a Anthénea pode navegar pelo mar e, também, por rios e lagos.

A companhia francesa que desenvolveu a cápsula pretende, agora, produzi-la em larga escala e vendê-la para hotéis de luxo: cada unidade chega a custar mais de US$ 500 mil (mais de R$ 2,7 milhões).

Durante a pandemia, a empresa está promovendo esta acomodação flutuante como opção para turistas em busca de isolamento nas férias.