PUBLICIDADE
Topo

Conheça a 1ª suíte de hotel flutuante do mundo, inspirada em filme de 007

A cápsula Anthénea foi construída com princípios de sustentabilidade e, segundo os criadores, é impossível de afundar   - Divulgação
A cápsula Anthénea foi construída com princípios de sustentabilidade e, segundo os criadores, é impossível de afundar
Imagem: Divulgação

Bárbara Ligero

Colaboração para Nossa

01/08/2020 04h00

Apesar de ter sido inspirada em um filme de 1977, a cápsula flutuante Anthénea representa o que há de mais novo no mercado do turismo.

A embarcação foi desenvolvida na França pelo arquiteto naval Jean-Michel Ducancelle, que se baseou no longa "007 - O espião que me amava" para desenvolver um projeto futurista e, principalmente, atento aos problemas ambientais da atualidade.

Além de estar munida com cinco painéis solares, que se movem automaticamente em busca da luz, a estrutura também conta com estações de tratamento de água. A preocupação com a natureza aparece ainda em um sistema de ancoragem especial, que a empresa afirma não danificar a vida subaquática.

Anthénea - visão superior - Divulgação - Divulgação
Visão aérea da Anthénea: todas as unidades têm um solário superior com capacidade para 12 pessoas
Imagem: Divulgação

Feito com material 100% reciclável, o Anthénea é altamente adaptável: pode navegar por rios, lagos e mares, em temperaturas que vão dos -30º do Ártico aos 40ºC dos países tropicais. Para garantir o conforto dos tripulantes, ele conta ainda com estabilizadores de movimento e motores silenciosos.

Outro bônus é que não é preciso ser nenhum James Bond para pilotar a embarcação: não é exigido licença ou experiência navegação para tomar o controle da cápsula. Assim como o Titanic de outrora, o Anthénea alega ser impossível afundá-lo. Teoricamente, seu design resiste até a cataclismos.

Mil e uma possibilidades

Anthénea - Divulgação - Divulgação
As cápsulas custam a partir de R$ 1,5 milhão e podem ter vários usos, de suíte de hotel e sala de reuniões
Imagem: Divulgação

As cápsulas flutuantes do Anthénea estão à venda e custam entre 250 mil e 420 mil euros (cerca de R$ 1,5 milhão e R$ 2,5 milhões). Os valores variam dependendo do uso que será dado às embarcações, que possuem vista 360º e chão de vidro para observar a vida aquática.

A empresa mira principalmente na indústria hoteleira. Em sua versão suíte, a estrutura de 50 m² conta com sala de estar, cozinha, cama e banheira redondas. Esse modelo já foi produzido e está ancorado no porto de Trébeurden, na costa da Bretanha, na França. Ali, a locação custa a partir de 290 euros (cerca de R$ 1 766) por noite para duas pessoas.

Em outras disposições, o espaço é dividido em dois os três quartos para acomodar mais hóspedes. Todas, porém, possuem um solário na parte de cima com guarda-sol e mesa para 12 pessoas. A proposta é que os resorts comprem as cápsulas como uma forma prática e inovadora de expandirem os seus resorts para o mar.

No entanto, as embarcações também podem servir como um spa com duas salas de tratamentos, uma sala de reuniões para 15 pessoas e até um exclusivo espaço de eventos para até 50 convidados.

Entre as variadas possibilidades de uso, o que chama atenção no Anthénea é o seu fator visionário: a embarcação já está pronta para as mudanças climáticas e para a consequente elevação do nível do mar, que pode inundar cidades no futuro.

A curto prazo, a cápsula flutuante pode garantir o distanciamento social e oferecer uma alternativa turística em um mundo com destinos cada vez mais lotados.