PUBLICIDADE
Topo

Paulo Sérgio: "No Brasil, se está ganhando é o melhor. Se perde, é o pior"

Do UOL, em São Paulo

24/07/2020 16h00

Desde sua chegada ao Brasil para dirigir o Flamengo, o técnico Jorge Jesus foi visto inicialmente com desconfiança e conquistou o reconhecimento no país ao mudar a forma de o clube jogar, aliando o jogo bonito às vitórias para garantir os títulos do Campeonato Brasileiro e da Libertadores, entre outros, até sua saída de volta a Portugal para dirigir o Benfica. Conhecedor do trabalho de Guardiola e outros treinadores na Europa, o ex-jogador Paulo Sérgio vê exageros nas análises de brasileiros mas destaca o trabalho de Jesus como diferenciado no clube carioca.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana no UOL, Paulo Sérgio diz que Jesus conseguiu fazer um trabalho diferenciado, mas que não teria sido possível sem que ele convencesse os jogadores a acreditar no projeto.

"Em relação ao Jorge Jesus, eu costumo dizer o seguinte: enquanto está ganhando no Brasil, o cara é o melhor. Quando começar a perder, o cara é pior, porque a nossa crítica aqui é algo absurdo. E eu creio que ele fez um belíssimo trabalho, conversando com o Juan, o zagueiro, ele fala que o trabalho dele foi um trabalho diferenciado, um trabalho importante, e os jogadores compraram a ideia do Jorge Jesus", afirma Paulo Sérgio.

"Quando o jogador compra a ideia do treinador, as coisas se tornam muito mais fáceis. E aplicado, lógico, com um bom treinamento, com um bom staff técnico, isso faz com que as coisas comecem a fluir. Eu tive um período com o Pep Guardiola no próprio Bayern de Munique, eu vi que foi um trabalho diferenciado, que refletiu na própria seleção alemã, que aí faz um trabalho de 2006 com o Klinsmann e aí na frente lá com o Low, que tinha praticamente todo o grupo do Bayern de Munique, usa um esquema tático parecido com o do Guardiola", completa.

Paulo Sérgio também entende a opção do treinador pelo retorno a Portugal para dirigir o Benfica e diz que não era garantido que ele teria outra oportunidade mais à frente de treinar o time pelo qual mais venceu em seu país, ainda mais considerando as condições diferentes de Brasil e Portugal durante a pandemia do novo coronavírus e a idade do treinador, que hoje completa 66 anos.

"O período, o momento nosso é um momento delicado, e aí ele volta para o país dele, onde pode ser que ele tenha a última chance de trabalhar no Benfica, até mesmo pela idade, e ele vê uma oportunidade, e as oportunidades passam rápido. Então ele aproveitou uma oportunidade de poder nesse momento difícil de uma pandemia, que é no mundo todo, poder estar do lado de seus familiares e dentro de um clube que ele já declaradamente falou que ama", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda semana em duas edições semanais, na terça-feira, às 14h, e na quinta-feira, às 18h, em transmissão ao vivo, ou gravado, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.