PUBLICIDADE
Topo

Joel Santana amaciou chuteira nova para campeão mundial sem saber no Vasco

Do UOL, em São Paulo

20/11/2020 04h00

Conhecido pela carreira como técnico no Brasil, Joel Santana também foi jogador de futebol, atuando como zagueiro do Vasco, do Olaria e do América-RN, mas não levou muito adiante sua história nos gramados por considerar que não tinha talento com a bola nos pés.

Mas ele conta em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, que chegou a se surpreender com uma chuteira nova no período em que atuava pelo cruzmaltino, até descobrir que estava apenas amaciando o material o zagueiro Brito, campeão mundial pela seleção brasileira em 1970.

"O Vasco dava o material em um escaninho de arame e um dia botaram uma chuteira novinha para mim, eu falei 'caramba, eu estou com moral, vou renovar contrato. Chuteira nova, eu vou renovar contrato'. Aí eu botei a chuteira, apertava para cacete, que não é como essas chuteiras agora macias, aquela apertava pra cacete, tinha que passar sebo, aquelas porras todas. E eu aqui e ali com a chuteira, quando eu amaciei a chuteira, a chuteira estava gostosinha", conta Joel.

"Um dia eu fui receber e cadê minha chuteira? Aí fui, era um quadradinho que ali estava o escaninho, e eu falei 'seu Chico, o senhor esqueceu de botar minha chuteira'. Ele falou 'que chuteira?'. 'Aquela chuteira nova que eu usei'. Ele falou 'Joel, vem cá, você acha que está na hora de ganhar chuteira nova?'. Eu falei 'mas e aquela que você botou para mim?'. 'Pô, rapaz, você estava amaciando a chuteira para o Brito!'. Porra, aquilo foi um desânimo geral, cara. 'Você estava amaciando a chuteira para o Brito, o Brito não pode ter calo no pé, não'", completa.

Joel conta que tinha poucas oportunidades no Vasco pelo fato de o clube ter sempre uma boa dupla de zagueiros e acabou desistindo de jogar futebol aos 28 anos para passar a estudar.

"Eu joguei no Olaria, no Vasco e no América-RN, e parei com 28 anos. Quando eu vi que isso daí não ia acontecer nada comigo, eu falei 'vou estudar que é melhor, vou me formar, vou ver se eu passo para outra'. Naquela época, um plantel tinha 50 jogadores porque você tinha o profissional e o aspirante", conta o treinador.

"Fora isso, o Vasco sempre foi uma equipe de fazer bons zagueiros. Quando eu comecei a ver o que era o Vasco, era Bellini e Orlando, dois campeões brasileiros, depois veio quem? Brito e Fontana, dois campeões mundiais, como é que eu vou jogar?", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda terça-feira, às 14h, com programa inédito, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.