PUBLICIDADE
Topo

Hellmann: "Acidente com o Brasil de Pelotas me trouxe mudanças como pessoa"

Do UOL, em São Paulo

12/11/2020 04h00

Em janeiro de 2009, Odair Hellmann atuava como volante pelo Brasil de Pelotas e esteve em uma das maiores tragédias do futebol brasileiro, no acidente com o ônibus do clube Xavante, que feriu diversos membros da delegação do clube gaúcho e vitimou os jogadores Claudio Millar e Régis Gouveia, além do preparador de goleiros Giovani Guimarães. O acidente teve grande influência na decisão de Odair encerrar sua carreira nos gramados.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, o treinador do Fluminense revela que a tragédia o fez refletir mais e ocasionou mudanças não apenas profissionais, mas também em suas atitudes pessoais.

"Pós acidente eu realmente me trouxe algumas modificações como pessoa. Eu sempre fui um cara de muita organização, disciplina e tinha um planejamento futuro a longo prazo, preocupado com situação financeira, preocupado com não ter conseguido comprar uma casa naquele caminho de ali de jogador e queria estabelecer isso para a minha esposa e meus filhos. Só que no dia que eu tive o acidente, logo depois, eu me lembro que eu me preocupei no dia quando eu fui para o jogo, eu me preocupei que as minhas filhas tinham bagunçado a sala com os brinquedos", conta Odair.

"Quando me tiraram de dentro do ônibus, que o Danrlei me arrancou, uma das primeiras coisas foi essa, eu disse 'cara, que necessidade tem dessa loucura de falar com as minhas filhas que elas não podem brincar um pouco e deixar as bonecas na sala?'. Eu tenho que ter um pouco mais de compreensão e viver um pouco mais a vida. E em relação ao futuro, planejar futuro, mas sem o hoje. Agora eu estou aqui pedindo a Deus e agradecendo a Deus, sendo que tem colegas mortos aqui do lado e eu agradecendo a Deus porque estou vivo, olha o dilema, olha a situação, então para quê essa loucura toda, essa cobrança, esse desespero?", completa.

O treinador diz que passou a encarar diferente o dia a dia e a própria relação que tem com a mulher e os filhos, assim como na carreira profissional, para superar as dificuldades no trabalho como treinador.

"Isso transformou a minha vida pessoal, minha relação com a minha mulher, com meus filhos, transformou a minha leveza também de poder superar e suportar as pancadas que é o futebol, que é um moedor de pessoas e a gente, se não tem essa caixa para suportar, você não suporta, o processo te arrebenta mesmo. Então eu acho que tudo isso fez com que eu fortalecesse como pessoa, como ser humano e pudesse seguir em frente aí na minha caminhada como profissional", conta Hellmann.

"Quando eu recebi a oportunidade no Internacional, me perguntaram 'mas você está pronto para ser treinador do Internacional?'. Eu falei 'pronto, não. E nem quero estar. Estou preparado, mas pronto, a partir do momento que eu achar que estou pronto, eu não estou aberto a mais nada para conhecer, eu não estou com capacidade de mudança, eu não estou aberto para visualizar situações novas para mim como pessoa e como profissional'. Então eu nunca quero estar pronto, mas preparado eu estou para qualquer brincadeira", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda terça-feira, às 14h, com programa inédito, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.