PUBLICIDADE
Topo

René Simões: Acho ótimo trazer técnicos estrangeiros, com tratamento igual

Do UOL, em São Paulo

03/12/2020 04h00

René Simões acumulou passagens como técnico em países de diferentes regiões do planeta, treinando times em Portugal e no Qatar, além de seleções como as de Jamaica, Honduras e Irã. E como um treinador que foi estrangeiro durante a carreira, ele vê com bons olhos a chegada de profissionais de outros países ao Brasil, mas cobra um tratamento mais igualitário em relação aos técnicos brasileiros.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com o jornalista Rodrigo Viana, René afirma que pelo seu histórico não seria coerente ele se colocar contrário às chegadas de técnicos como Jorge Jesus no Flamengo em 2019, Eduardo Coudet no Internacional e Abel Ferreira no Palmeiras em 2020, entre outros nomes que desembarcaram para trabalhar no país desde o ano passado.

"Para quem trabalhou em sete países, ser contra treinador estrangeiro no Brasil seria uma incoerência sem tamanho, eu acho ótimo. Agora, não consigo ver o radicalismo de que o treinador brasileiro não presta e não sabe nada, quem sabe é o estrangeiro. Tem muito estrangeiro, eu digo ótimo, porque não vão ser todos estrangeiros campeões, nós já começamos a mandar estrangeiro embora, porque no Brasil é diferente", diz René.

"Você pode ter o Klopp durante três anos não ganhando nada, vai ganhar no quarto ano, você pode ter o Alex Ferguson, que ficou 28 anos, mas que no primeiro ano quase caiu para a segunda divisão, no segundo não ganhou nada, no terceiro ganhou uma copinha e no quarto foi campeão nacional. Lá pode, aqui não pode", completa.

Um aspecto que René afirma é que os clubes deveriam ter com os técnicos brasileiros a mesma paciência e darem o mesmo tempo para o desenvolvimento de um trabalho em relação aos estrangeiros, citando como exemplo a manutenção de Jorge Sampaoli no Santos em 2019 após eliminações na Copa do Brasil e na Copa Sul-Americana.

"O Sampaoli foi desclassificado em tudo e não ganhou nada no Santos e é um excelente treinador e eu concordo que ele é um excelente treinador, mas nenhum brasileiro ficaria no Santos perdendo o que ele perdeu e só vindo a ser vice-campeão brasileiro depois, não ficaria. Então, vamos tratar igual todo mundo, que sejam diferentes, mas o tratamento tem que ser igual", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda terça-feira, às 14h, com programa inédito, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.