PUBLICIDADE
Topo

Odair Hellmann: Será que dá para produzir em outro time o Flamengo de 2019?

Do UOL, em São Paulo

12/11/2020 04h00

Com a contratação do técnico português Jorge Jesus no ano passado, o Flamengo foi a sensação da temporada, com um futebol envolvente, ofensivo e que rendeu ao clube os títulos do Campeonato Brasileiro e da Libertadores no fim de 2019. O resultado levou clubes brasileiros a procurar por mais treinadores estrangeiros. Atual treinador do Fluminense, Odair Hellmann ressalta a qualidade do time de Jesus e questiona se o trabalho do português poderia ser replicado por outra equipe.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, Hellmann diz que é preciso considerar o contexto no qual o Flamengo de Jesus conseguiu alcançar o patamar de 2019 e reclama de comparações.

"O comparativo também é injusto, não só no futebol como na vida. Você não pode comparar aspectos, por exemplo, o Flamengo de 2019 foi avassalador em todos os sentidos. Será que dá para produzir em outra equipe tudo aquilo que foi produzido no Flamengo de 2019? Tem que pegar o contexto, a possibilidade financeira, a capacidade de contratação, a situação do clube atual, o momento", afirma Hellmann.

"O comparativo é ruim e às vezes nesse processo todo acabam rotulando alguns profissionais que um é ofensivo, o outro é defensivo, com as quais eu não concordo, ainda mais profissionais com início de carreira, com poucos anos de carreira, imagina rotular profissionais, eu não rotulo profissionais com 30 anos, 25, imagina com 3. Eu tenho 2 anos e 10 meses de carreira como treinador. 2 anos e 10 meses de treinador, tem muitas coisas que eu faço na excelência hoje, mas tem muitas coisas que eu preciso evoluir, que eu vou buscar, que eu vou crescer", completa.

Quanto ao fato de mais times brasileiros terem apostado em treinadores estrangeiros após o sucesso de Jorge Jesus, Hellmann ressalta não ver problemas em relação à nacionalidade, mas se incomoda com a forma como os profissionais são comparados.

"Eu não discuto nacionalidade. Eu respeito profissionais, como nós profissionais vamos para fora do Brasil trabalhar, profissionais de fora do Brasil vêm trabalhar aqui. Eu admiro bons trabalhos, bons profissionais. Tento buscar, aprender, visualizar o que aquele cara está trabalhando, qual é a ideia daquele cara, estudo o time dele para jogar contra, para visualizar qual é o trabalho, o processo, o que pode agregar para mim", diz o treinador.

"O comparativo é ruim, ele é difícil de fazer. Eu acho que para você elogiar um brasileiro você não precisa denegrir um estrangeiro. Tem oportunidade e espaço para todos, dá para elogiar os estrangeiros porque eles estão realmente fazendo bons trabalhos. São bons treinadores, estão fazendo grandes trabalhos, mas tem bons treinadores brasileiros, tem bons treinadores brasileiros fazendo bons trabalhos e com boa capacidade. Acho que tudo é uma questão de oportunidade. Quando se tem a oportunidade, que cada um possa mostrar o seu talento", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda terça-feira, às 14h, com programa inédito, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.