PUBLICIDADE
Topo

Joel Santana: A gente não quer que Neymar seja um anjo, mas um ídolo

Do UOL, em São Paulo

18/11/2020 04h00

Técnico que dirigiu diversos jogadores importantes do futebol brasileiro, como Romário e Edmundo, Joel Santana se diz fã de Neymar, acredita que ele joga mais que o português Cristiano Ronaldo, mas afirma que o atacante brasileiro precisa de mudanças para que seja reconhecido como melhor do mundo, além de se consolidar como ídolo no país.

Em entrevista ao programa Os Canalhas, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana, Joel Santana elogia o talento de Neymar, mas diz que o jogador tem coisas a melhorar e conta o conselho que daria para o jogador se ele estivesse disposto a ouvir.

"Eu acho ele hoje como jogador, ele está entre os três ou cinco melhores. Mas eu acho que ele é muito mal trabalhado dentro da cabeça dele, eu acho. Agora, sou apaixonado por ele porque ele é um talento, ele é talento. Eu acompanho o Ney, joguei contra ele e essas coisas todas, mas tem algumas coisas, se eu pudesse chegar perto dele e se ele quisesse ouvir, falaria 'filho, não faz isso por causa disso, você é ídolo de uma nação brasileira, que teve os maiores jogadores do mundo, cara'", diz Joel.

"Por que com esse talento todo ele até hoje não foi eleito o melhor do mundo? Por que? Alguma coisa tem. Ou você não acha que ele joga melhor do que aquele português? O Messi não, eu nem falo tanto, porque o Messi é outro cara, o Messi anda em um mundo que a gente não sabe", completa.

Em sua análise sobre Neymar, Joel afirma que ele precisa saber melhor o momento de driblar, além das atitudes dentro e fora de campo para agir mais como um ídolo. Ele cita como exemplo a participação na última Copa do Mundo, quando o Brasil foi eliminado nas quartas de final pela Bélgica, o que para o treinador, pela tradição da seleção brasileira, não poderia ocorrer de forma alguma.

"O Ney é um talento, mas ele tem que saber a hora de driblar, ele tem que saber a hora de se aborrecer, entendeu? Ele sabe que está em outro país, ele não pode fazer algumas coisas que os caras vão pegar no pé dele, a gente não quer que ele seja um anjo, mas que ele seja um ídolo. E ser um ídolo dentro do futebol, tu tem que ser um ídolo particularmente falando, tu tem que saber dividir as coisas. Então para você chegar para ser o melhor do mundo, que ele tem futebol para isso, você tem que ter um comportamento de melhor do mundo, ninguém chega a ser um Edson Arantes do Nascimento à toa", diz

"Eu adoro o Ney, gosto do futebol dele, ele é talento puro. Mas essa última Copa do Mundo, ele puxava porrada nele e os caras queriam dar porrada lá no meio de campo. Então aqui eu não driblo, eu driblo daqui para a frente, se não os caras vão pegar. E nós perdemos a porra da Copa do Mundo para a Bélgica, a gente não pode perder para a Bélgica, pelo amor de Deus. A Bélgica pode ter cinco Messis, três Cristianos Ronaldos, dois não sei o quê, mas quando a nossa camisa bate com a deles, tem que tremer só de olhar para a gente", conclui.

Os Canalhas: Quando e onde?

O programa Os Canalhas vai ao ar toda terça-feira, às 14h, com programa inédito, disponível na home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte no Youtube e no Facebook e Twitter, com os jornalistas João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana entrevistando personalidades importantes do esporte brasileiro. Inscreva-se no canal Os Canalhas no Youtube para conferir mais de João Carlos Albuquerque e Rodrigo Viana.