PUBLICIDADE
Topo

Biles diz que atletas serão afetados mentalmente por adiamento de Olimpíada

Ricardo Bufolin/ Panamerica Press/ CBG
Imagem: Ricardo Bufolin/ Panamerica Press/ CBG

01/04/2020 21h07

A ginasta americana Simone Biles, dona de quatro medalhas de ouro e uma de bronze no Rio 2016, disse estar confiante para chegar em forma aos Jogos de Tóquio, adiados para o ano que vem devido à pandemia do novo coronavírus, mas admitiu sentir a mudança no aspecto mental.

A atleta de 23 anos, atual campeão olímpica no individual geral, no salto, no solo e por equipes, afirmou que manteve a preparação que havia planejado, apesar do adiamento.

"Fisicamente, não tenho dúvidas de que os meus treinadores vão me colocar em forma para Tóquio. Mas mentalmente, depois de mais um ano, acho que isso (uma queda) vai acontecer e vai cobrar o seu preço para todos. Temos de manter a forma física e mental", declarou a dona de 19 títulos mundiais à emissora de televisão americana "NBC", que revelou manter conversas online com a sua equipe durante todo o tempo.

"Estou em contato com os meus treinadores. Escrevo e também falamos cara a cara com a ajuda da tecnologia para ver qual é a decisão certa para que eu possa fazer um plano para o próximo ano", afirmou.

A ginasta americana se prepara em casa, como a maioria dos atletas do mundo todo, e interage com o mundo exterior através de telefonemas e chamadas de vídeo para poder ver os rostos dos de seus familiares.

Biles fará 24 anos em julho de 2021, mês para o qual o evento foi remarcado. Se conseguir repetir o sucesso obtido no Rio de Janeiro, será a mulher mais velha a fazer sucesso em duas edições seguidas dos Jogos na ginástica desde a tcheca Vera Caslavska, que faturou três ouros e uma prata em Tóquio 1964 e quatro ouros e duas pratas na Cidade do México 1968.

A americana iniciaria a parte final da preparação neste fim de semana com a presença em uma etapa da Copa do Mundo, que foi cancelada devido à pandemia. "Vamos nos encontrar e repensar a situação para voltarmos fortes em 2021. Uma nova história está começando", disse a treinadora francesa Cecile Landi, ginasta olímpica em Atalanta 1996.

Biles, que domina esporte por quase uma década e não é derrotada no individual geral desde 2013, vai liderar a equipe americana em Tóquio. O objetivo dos EUA é ganhar a sua terceira medalha de ouro por equipe consecutiva, e a multicampeã mira cinco títulos na capital japonesa, incluindo também o solo, o salto e a trave, em que ficou com o bronze no Rio.

Olimpíadas