PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Ex-campeã do UFC se retrata e explica sua posição sobre atletas no OnlyFans

Miesha Tate em ação pelo UFC contra Holly Holm - Mark J. Rebilas/USA Today
Miesha Tate em ação pelo UFC contra Holly Holm Imagem: Mark J. Rebilas/USA Today

Ag. Fight

18/01/2022 14h59

Depois de se envolver em uma polêmica, ao comentar sobre sua falta de interesse em seguir os passos de muitos colegas lutadores que aderiram à venda de conteúdo exclusivo - muitas vezes de origem sensual - para fãs através da plataforma 'OnlyFans', Miesha Tate precisou vir a público se justificar e se defender das críticas recebidas.

Em entrevista ao 'The MMA Hour', a ex-campeã do UFC admitiu que pode ter errado na escolha das palavras ao se posicionar sobre o assunto e, inclusive, se desculpou com os possíveis ofendidos, mas ressaltou que sua declaração tratava apenas de seu interesse - ou falta de interesse - pessoal em aderir ao movimento cada vez maior de atletas que utilizam o site para negociar a venda de conteúdos privados para seus fãs.

O imbróglio entre Tate e parte de seus colegas lutadores começou quando, em seu canal do 'Youtube', 'Cupcake' - em resposta a um fã - disse não estar "desesperada" a ponto de se aventurar no 'OnlyFans', o que causou uma imediata reação por parte de alguns atletas que optaram por seguir o caminho da venda de conteúdos exclusivos na internet. A veterana esclareceu ainda que seu foco permanece totalmente voltado à sua carreira como lutadora e pediu que os fãs respeitem suas opções profissionais.

"Eu não quero ter um OnlyFans porque eu sinto que na minha posição, as pessoas já estão pedindo pela minha aposentadoria. Eles já estão me descartando. Eu trabalhei muito duro, por muito tempo, sendo uma pioneira desse esporte e eu vou fazer tudo que eu puder para ser levada a sério. Essa é uma escolha pessoal. Isso não é um reflexo de como qualquer um deve escolher como seguir sua vida, ou se eles se sentem bem fazendo um OnlyFans, então ótimo! Faça isso! Eu não tenho nenhum problema com mulheres ou homens que queiram entrar no OnlyFans, façam isso. Mas, para mim, eu não quero ser visto como alguém que luta como uma opção secundária ou receber atenção por lutar de forma secundária. Eu não quero que o OnlyFans seja a razão pela qual as pessoas se interessam por mim", explicou Miesha, antes de se desculpar com os possíveis ofendidos por sua declaração.

"Eu estou noiva, sou mãe de duas (crianças), e eu deixei um fã me irritar, e isso foi o acúmulo de pessoas dizendo: 'Abra um OnlyFans! Se aposente'. Eu falei: 'Caras, eu não estou desesperada para isso. Eu quero lutar. Não preciso de dinheiro'. E é aí que eu preciso esclarecer. Eu não me venderia no OnlyFans apenas por dinheiro. Eu não preciso de dinheiro e não vou fazer isso por grana. Eu estou bem. A escolha da palavra que eu usei foi errada e eu sinto muito se isso ofendeu alguém que tenha um OnlyFans, porque isso certamente não foi minha intenção. Eu não estava mirando em ninguém. (...) Espero que isso esclareça o que eu quis dizer. Eu apoio qualquer um que faça qualquer coisa que os deixe feliz, mas na minha jornada pessoal, eu agradeceria se os fãs parassem de me pedir para abrir um OnlyFans", concluiu.

Ex-campeã peso-galo (61 kg) do UFC, Miesha Tate é um dos principais nomes do MMA feminino na história. Recentemente, a veterana, de 35 anos, abandonou sua aposentadoria, que durou cerca de quatro anos, e fez seu retorno ao octógono, em busca de um novo título. Depois de vencer Marion Reneau na sua reestreia pelo Ultimate, a americana foi superada por Ketlen Vieira em novembro do ano passado.

Com o revés em sua mais recente apresentação e a conquista do cinturão da categoria por Julianna Peña, sua amiga pessoal, no último mês de dezembro, 'Cupcake' decidiu descer de categoria e vai estrear no peso-mosca (57 kg) no próximo dia 14 de maio, diante da ex-desafiante Lauren Murphy, em evento do UFC ainda sem sede definida.

MMA