Topo

MMA


Shogun admite 'luta em casa' para continuar e sugere revanche com Craig

Shogun não concordou com a decisão dos juízes laterias - Leandro Bernardes/PxImages
Shogun não concordou com a decisão dos juízes laterias Imagem: Leandro Bernardes/PxImages

Marcel Alcântara e Neri Fung, de São Paulo (SP)

Ag. Fight

17/11/2019 11h45

O UFC São Paulo, realizado neste sábado (16), teve um duelo em específico que deve ter deixado todos os presentes no Ginásio do Ibirapuera bastante decepcionados. Após três rounds equilibrados entre Maurício 'Shogun' e Paul Craig os juízes laterais determinaram que o duelo terminou sem um vencedor.

Em entrevista coletiva após o evento, o curitibano já falou sobre uma possível revanche contra o escocês. Segundo Shogun, esse confronto precisa ser realizado novamente para poder ter certeza de quem levaria a melhor.

"Ele (Craig) falou em revanche, não sei onde. Essa luta merece uma revanche, não ficou bem resolvida, com todo o respeito a ele, que é um excelente atleta. Eu aceitaria (a revanche). É só ver a data. A minha equipe autorizando... com certeza", disse o brasileiro.

Aos 37 anos e com 38 lutas na carreira, Shogun já havia dito que sofre com a pressão de sua mulher e família para que ele pare de lutar em breve. Perguntado sobre esse assunto, em tom de brincadeira, o ex-campeão do UFC revelou que ainda deve ter uma conversa com a sua esposa para poder pisar no octógono por mais vezes.

"Agora falta uma luta só (risos), vou ter que ir para Paris para tentar convencê-la (risos). Gosto da adrenalina, luto desde... Da quarta luta da carreira para cá lutei contra os melhores. Luto contra caras mais novos, de 26 ou 30 anos. Falam que o Shogun não está tão velho, mas luto há muito tempo. É difícil ficar no auge por muito tempo. Eu me sinto bem e faço frente com a molecada. Agora tenho uma luta em casa (risos)", brincou Shogun.

Ainda falando sobre o duelo com Craig, o ex-campeão foi outro a criticar o resultado dos juízes laterais. Shogun contestou o critério utilizado pelos árbitros e ainda revelou como é frustrante sair de uma luta sem ter um vencedor.

"Eu tinha a nítida consciência que perdi o primeiro round e venci o segundo e o terceiro. O meu córner falou a mesma coisa. Todos que falei, disseram a mesma coisa... Pessoas do UFC, matchmakers, juízes... Não entendi o critério de avaliação do juiz que deu a vitória para o Paul. É uma coisa que não está no controle, acontece, mas ninguém entendeu o critério de avaliação", analisou Shogun.

"É bem frustrante. Só tenho a lamentar. Treinei muito para dar o meu melhor e acontecer isso. (...) O empate nunca fez parte da minha carreira, foi a primeira vez. Eu senti os golpes no primeiro round, mas estava consciente a todo momento, não fiquei fora de mim. Estava acuado, mas consciente. Estava grogue, não vou mentir, ser hipócrita. Tanto que respondi alguns golpes, do mesmo jeito que no segundo round ele sentiu a minha mão e ficou grogue".

MMA