PUBLICIDADE
Topo

UOL Esporte vê TV

Rizek acredita em fim de carreira de Robinho após condenação

André Rizek acredita que nenhum clube daria espaço para Robinho após condenação - Reprodução/SporTV
André Rizek acredita que nenhum clube daria espaço para Robinho após condenação Imagem: Reprodução/SporTV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/01/2022 13h59

O apresentador André Rizek acredita que a condenação em última instância a nove anos de prisão por violência sexual de grupo cometida contra uma mulher albanesa em uma boate em Milão, em 2013, encerrou a carreira de Robinho como jogador de futebol.

Na abertura do "Seleção SporTV" de hoje, o jornalista afirmou que não vê nenhum clube "dando espaço a alguém condenado por um crime de violência sexual em pleno 2022".

"Do ponto de vista da carreira dele, acho pouquíssimo provável, não consigo enxergar ninguém, nenhum clube, dada a reação que aconteceu em 2020, dando espaço a alguém condenado por um crime de violência sexual em pleno 2022. Mas isso a gente ainda não sabe", iniciou Rizek, que apontou Robinho como um dos grandes jogadores do século:

"O Robinho é um dos jogadores que eu mais torci na minha vida. Ele é um dos grandes jogadores do futebol brasileiro neste século. O Robinho foi um dos jogadores que mais me deu prazer de ver jogar, só que hoje não é dia de mostrar empatia ou lamentação pelo destino dele. Eu guardo esse sentimento para a vítima", completou.

Pouco depois, o apresentador explicou que Robinho ainda é um cidadão livre no Brasil, mas questiona "como alguém consegue viver livremente depois de uma condenação por estupro".

"Ele ainda é um cidadão livre. Ele pode circular livremente, trabalhar, ser contratado por algum clube. Eu só me pergunto como alguém condenado por estupro consegue ir na padaria. Como alguém consegue ir no mercado, ao restaurante, olhar para os filhos, para a mulher. A minha dúvida é como alguém consegue viver livremente depois de uma condenação por estupro, e dos episódios tão lamentáveis que vieram à tona", encerrou Rizek.

Com a condenação, a justiça italiana poderá pedir a extradição de Robinho, mas dificilmente ele será mandado para a Itália, pois a constituição brasileira veta a extradição de brasileiros. Sendo assim, a Itália poderá pedir que eles cumpram as penas em uma penitenciária brasileira.

Segundo apurou o UOL Esporte, Robinho vai pagar indenização de 60 mil euros (cerca de R$ 372 mil) para a vítima de estupro coletivo.

UOL Esporte vê TV