PUBLICIDADE
Topo

FluTV melhora e tenta dar "tratamento global" para final do Carioca

Fluminense X Flamengo _ final

Gols UOL Esporte

Gabriel Vaquer

Colaboração para o UOL, em Aracaju

12/07/2020 18h09Atualizada em 13/07/2020 08h28

Depois de ser criticada por excesso de clubismo e por uma transmissão tecnicamente ruim, a FluTV parece ter aprendido com os erros iniciais. A exibição do primeiro jogo da final do Campeonato Carioca, vencida por 2 a 1 pelo Flamengo hoje (12) no Maracanã, teve imagens bem mais próximas ao chamado padrão Globo. O clubismo exacerbado, onde nem mesmo o nome dos jogadores foi citado na Taça Rio, também foi parcialmente abolido.

Lógico, ainda é uma transmissão em uma TV de clube. Por diversos momentos, houve torcida em boas tramas do Flu. No primeiro gol Rubro-Negro, marcado pelo atacante Pedro, ex-Tricolor, o narrador Anderson Cardoso gritou gol de forma mais contida e quase sem emoção. Já no gol de empate do Flu, marcado por Evanilson, muita alegria. Ao falar sobre Gabigol, artilheiro do ano passado, por exemplo, foi ressaltado que ele não marcava há três partidas — o jejum, aliás, segue, já que os dois gols do Fla foram de Pedro e Michael (com belo passe de Gabigol).

Para quem não torce para nenhum dos dois clubes, ainda teve alguns equívocos. Por alguns momentos, a narração estava mais focada na propaganda dos anunciantes da FluTV do que no jogo em si. Aos 15 minutos do primeiro tempo, por exemplo, enquanto Cardoso fazia um merchandising de um dos anunciantes da transmissão, o atacante Gabigol quase fez o primeiro com do Flamengo — impedido por uma defesa muito boa de Muriel.

Para um narrador, perder um lance primordial da partida é quase imperdoável. O destaque continuou sendo o comentarista Marcelo Pires. Sóbrio, sem entrar no mérito de estar em uma transmissão tida clubista, Pires analisou os dois times de forma correta e sem favorecer o clube que trabalhava inclusive.

A qualidade superior da transmissão de hoje em referência a final da Taça Rio tem explicação. No primeiro jogo, o Flu disponibilizou apenas seis a sete câmeras no máximo, e muitas delas eram da própria FluTV. Já o jogo de hoje contou com 12 câmaras, drones, imagens em super slowmotion e closes, além de gruas eletrônicas atrás dos gols.

A audiência também foi boa. O pico de acessos simultâneos foi de 3,2 milhões de acessos no YouTube, um resultado abaixo da Taça Rio, que fechou com 3,6 milhões, mas ainda assim em um grande patamar. Na quarta, até pelo SBT estar na transmissão, a FlaTV não deve atingir números tão altos.

O fato é que o Fluminense foi a cobaia da transmissão clubista em decisões. Tecnicamente, parece ter entendido o recado e entregou o melhor. No tom de sua narração, ainda há questões para melhorar. Mas isso é uma lição para o ano que vem, já que um jogo do Carioca só pode ser exibido apenas na internet em 2021.

UOL Esporte vê TV