PUBLICIDADE
Topo

Abner Teixeira vence nas quartas e garante medalha para o Brasil no Boxe

Brasileiro está entre os quatro melhores do peso pesado no boxe masculino de Tóquio - Buda Mendes/Getty Images
Brasileiro está entre os quatro melhores do peso pesado no boxe masculino de Tóquio Imagem: Buda Mendes/Getty Images

Adriano Wilkson

Do UOL, em Tóquio

30/07/2021 08h03Atualizada em 30/07/2021 14h46

Em luta válida pelas quartas de final dos pesos pesados do boxe olímpico, Abner Teixeira enfrentou nesta sexta-feira (30) o jordaniano Hussein Iashaish. O brasileiro venceu a luta por decisão dos árbitros e já garantiu mais uma medalha para o boxe brasileiro. Isso porque não há confrontos para definir o terceiro lugar, e os dois derrotados nas semifinais ficam com o bronze.

O confronto da semifinal está marcado para terça-feira (3), às 6h50, de Brasília. Esta é a segunda vitoria de Abner em Tóquio. Ele vinha de uma vitória por pontos nas oitavas de final contra o britânico Cheavon Clarke.

O jordaniano começou o combate de forma furiosa, partindo para cima de Abner com intensidade e obrigando o brasileiro a se fechar. Abner conseguiu alguns golpes na reta final do round, o que pode ter ajudado a dividir os juízes. Dois dos cinco deram vitória para o brasileiro.

O ritmo frenético se manteve no segundo round, mas Hussein não aguentou e acabou baixando a velocidade. Isso permitiu que Abner aceitasse mais golpes e virasse a opinião dos árbitros, que deram 4 a 1 a favor do brasileiro. O jogo virou completamente no terceiro round, com o jordaniano se vendo obrigado a defender diante dos golpes de Abner, que estavam encaixando melhor.

"Ele veio no primeiro round muito mais intenso do que achei que fosse vir. Achei que ele ia começar morno e crescer no segundo e terceiro, mas ele começou no primeiro já a mil por hora. Perdi o primeiro round. No segundo, consegui equilibrar. No terceiro, estava 1 a 1 e falei: "é a hora". É a hora que todo boxeador tem de passar um dia, que é estar em uma situação adversa e virar o jogo. E foi o que fiz", comentou o brasileiro.

"Foi um alívio, eu falei que ganhei, mas a luta não foi manteiga, né? Foi uma luta muito dura, foi pau a pau, estilo Rocky Balboa, naquele vai e vem. Quando ganhei eu falei: putz, que teste", concluiu.

Esperança do Brasil para quebrar um tabu dos peso pesados nas Olimpíadas, agora Abner irá enfrentar o cubano Julio de la Cruz, que venceu o espanhol Enmanuel Reyes no outro duelo das quartas de final. A semi será na próxima terça-feira (3 de agosto), às 6h50 (horário de Brasília). Se vencer, ele irá disputar o ouro contra o vencedor de Muslim Gadzhimagomedov (Comitê russo) e David Nyika (Nova Zelândia).