PUBLICIDADE
Topo

Beatriz Ferreira vence estreia e avança às quartas do boxe feminino

Beatriz Ferreira golpeia Wu Shih-Yi durante luta válida pelas Olimpíadas de Tóquio - Ueslei Marcelino/Reuters
Beatriz Ferreira golpeia Wu Shih-Yi durante luta válida pelas Olimpíadas de Tóquio Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Adriano Wilkson

Do UOL, em Tóquio

30/07/2021 05h13

Favorita a ganhar medalha na categoria até 60 kg, a boxeadora Beatriz Ferreira estreou nesta sexta-feira (30) com vitória nas Olimpíadas de Tóquio. Com o avanço para as quartas de final, a pugilista fica a apenas uma vitória de garantir, no mínimo, uma medalha de bronze.

A baiana passou por Shih-Yi Wu, de Taiwan, por decisão unânime dos juízes. Apesar da vitória, Beatriz negou que a luta tenha sido fácil.

"Fácil nada. São cinco anos treinando para isso aqui. Eu estava pronta. Me senti confiante, confiei nos meus corners. Tava conseguindo executar tudo o que eu tinha já pensado", ela disse. "Tenho uma excelente equipe que consegue facilitar meu trabalho falando o que eu devo fazer, o que combina, mas o atleta tem que sentir e confiar executando o trabalho."

Além da ajuda dos técnicos Leo Macedo e Matheus Alves, Bia teve o apoio de outros membros da equipe, que a incentivaram da arquibancada do ginásio Kokugikan, palco tradicional de lutas de sumô na capital japonesa.

Bia enfrentou uma adversária que buscava levar vantagem na maior envergadura. Controlando bem a distância, ela conseguiu vencer os dois primeiros rounds na decisão dos juízes e precisou apenas administrar o terceiro, que também venceu na decisão de quatro dos cinco juízes, para garantir a vaga nas quartas.

A adversária da próxima luta, no dia 3, sairá do confronto entre a uzbeque Raykhona Kodirova e Naomie Yumba, da República Democrática do Congo. Uma das melhores do mundo, Beatriz Ferreira é favorita a chegar ao pódio na modalidade.

Preparada

A brasileira, que já foi campeã mundial, admitiu ser o "alvo" das adversárias, mas afirmou que não fica pensando nisso.

"Até esqueço que eu sou o alvo, eles [os treinadores] que me lembram. Tô pronta para qualquer um", falou. "Eles falam que eu sou aquela que todo mundo estudou, então eu tenho que ter uma carta na manga, um extra. Mas eu sempre estudei os melhores para tentar ser o melhor".

Bia também falou sobre a expectativa e ansiedade para a estreia. "Louca para estrear", a pugilista contou que sabe que a competição vai ser rápida e, por isso, precisou de concentração total na preparação.

"A gente treinou cinco anos para estar uma semana aqui. Uma luta é nove minutos. Eu precisei dessa concentração sim e tô concentrada ainda", concluiu.