PUBLICIDADE
Topo

Mayra Aguiar ainda pode lutar por medalha em competição do judô por equipes

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

29/07/2021 08h54

Após conquistar a medalha de bronze no judô, na categoria até 78kg, das Olimpíadas de Tóquio e se tornar a primeira atleta brasileira a acumular três premiações olímpicas em competições individuais, Mayra Aguiar ainda tem a oportunidade de superar outra marca nestes Jogos.

A gaúcha pode fazer sua estreia na competição por equipes do judô. Se a comissão técnica realmente optar por convocar Mayra e o grupo garantir uma medalha, ela vai superar a ex-jogadora de vôlei Fofão e se tornará a maior medalhista olímpica do Brasil.

"Eu luto bem na categoria pesado, mas é difícil, precisa estar com corpo bom, firme. A competição não acabou, tenho que continuar no foco, voltar para a Vila (Olímpica), tomar banho, descansar, recuperar o corpo, tratar o que tiver que tratar, porque vou estar, sim, com a equipe dando apoio, dando o melhor de mim e no que puder estar ajudando, vou estar ajudando", declarou em entrevista coletiva após o bronze.

A competição por equipes começa no dia 31 e funciona da seguinte maneira: os times serão formados por três mulheres e três homens, dos pesos leve (-57 kg e -73 kg), médio (-70 kg e -90 kg) e pesado (+78 kg e +100 kg), e que necessariamente se classificaram para a disputa individual.

Hoje (29), na lendária arena Nippon Budokan, Mayra Aguiar derrotou a sul-coreana Hyunji Yoon com um ippon após imobilização, na categoria até 78kg, e subiu ao pódio de Tóquio-2020. Ela também conseguiu o bronze nas edições de Londres, em 2012, e Rio de Janeiro, em 2016. Agora, ela faz história novamente com sua terceira premiação em Olimpíadas e ainda tem chance de voltar para o Brasil com a quarta premiação.