PUBLICIDADE
Topo

Mayra se iguala a Fofão como brasileira com mais medalhas olímpicas

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

29/07/2021 06h28

Com o bronze conquistado hoje (29) em Tóquio, a judoca Mayra Aguiar se igualou à ex-jogadora de vôlei Fofão como brasileira com o maior número de medalhas olímpicas da história.

A gaúcha de 29 anos já havia sido bronze também em Londres, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016. Fofão, por sua vez, tem como "critério de desempate" o fato de ter obtido um ouro em Pequim, em 2008, além dos bronzes em Atlanta, em 1996, e Sidney, em 2000.

Mayra Aguiar, porém, pode se orgulhar de ser a mulher que mais conquistou medalhas olímpicas considerando somente os esportes individuais, além de ter sido a primeira a subir no pódio três vezes em três Jogos consecutivos.

Vale lembrar que Fofão disputou cinco Olimpíadas pela seleção brasileira de vôlei, enquanto a gaúcha está em sua terceira. Por ainda ser jovem, a judoca tem chances de estar em Paris, em 2024.

São Paulo - Fofão, levantadora que foi titular no bicampeonato olímpico da seleção brasileira de vôlei em 2008 e 2012, conduz a tocha olímpica em São Paulo - Rio 2016/Fernando Soutello - Rio 2016/Fernando Soutello
Ex-jogadora de vôlei, Fofão tem uma medalha de ouro e duas de bronze em sua carreira olímpica
Imagem: Rio 2016/Fernando Soutello

Mayra pode medalhar em competição por equipes

Após conquistar a medalha de bronze no judô das Olimpíadas de Tóquio e se tornar a primeira atleta brasileira a acumular três premiações olímpicas em competições individuais, Mayra Aguiar ainda tem a chance de superar outra marca nestes Jogos.

A gaúcha pode fazer sua estreia na competição por equipes do judô. Se a comissão técnica realmente optar por Mayra e o grupo garantir uma medalha, ela vai superar a ex-jogadora de vôlei Fofão e se tornará a maior medalhista olímpica do Brasil. Sua participação, porém, ainda não está garantida.

"Eu luto bem na categoria pesado, mas é difícil, precisa estar com corpo bom, firme. A competição não acabou, tenho que continuar no foco, voltar para a Vila (Olímpica), tomar banho, descansar, recuperar o corpo, tratar o que tiver que tratar, porque vou estar, sim, com a equipe dando apoio, dando o melhor de mim e no que puder estar ajudando, vou estar ajudando"",declarou na zona mista após o bronze.