PUBLICIDADE
Topo

MMA


Temos que admitir: luta de Overeem é diversão na certa, mas não vai longe

Overeem proporciona emoção, mas não confunda com competitivdade - Zuffa LLC via Getty Images
Overeem proporciona emoção, mas não confunda com competitivdade Imagem: Zuffa LLC via Getty Images

José Ricardo Leite

Do UOL, em São Paulo

17/05/2020 12h19

Temos que admitir, um card com luta de Alistair Overeem é diversão pura. No domingo, não foi diferente, na pancadaria do UFC Jacksonville contra Walt Harris. Pra quem gosta da famosa emoção e cara estragada, teve isso de sobra nos cerca de 8 minutos de combate no qual o holandês, quase grogue e nocauteado, ressuscitou pra nocautear um americano que tem pouco a mais do que isso a oferecer no MMA.

Apesar de todo esse encanto que o veterano de 40 anos e mais de 60 lutas no MMA causa ainda hoje, é importante ter em mente que isso, nem de longe, significa alta competitividade na categoria dos pesados atualmente. Overeem é, não à toa, apenas o nono do ranking hoje, e já não possui mais condições físicas que possibilitem estratégias mais vencedoras além da de ir para o tudo ou nada como um "touro louco".

Como diversão e entretenimento pra quem quer ver pancadaria do sofá, claro que é ótimo. É verdade que seu estilo agressivo e encantador vem desde o começo da carreira, tanto que apenas 8 de suas 64 lutas, quase 1 a cada 10, duram até o final e vão pra mãos dos juízes. Mas, nos últimos anos, já sentindo a idade e com cerco muito mais apertado a substâncias proibidas pelo sistema antidoping (algo sempre controverso em sua carreira), os combates viraram ainda mais uma roleta russa pra ver no que vai dar.

Confesso que, em alguns dos anteriores, foram até surpreendentes suas vitórias sobre os ex-campeões Junior Cigano e Fabricio Werdum, que mesmo distantes do auge na carreira no momento desses combates, ainda têm mais repertório a apresentar para lutas mais técnicas. Do resto, foram shows de nocautes devastadores a favor ou contra, como a última luta até então, contra Jairzinho Rozenstruik, quando Overeem virou meme pelo lábio rasgado que até agora chama atenção pelos pontos recebidos na chamada "funilaria".

É divertido ver tudo isso, pelo entretenimento? Claro que sim, só não caiamos no erro de entender como alta competitividade. Hoje, Overeem não tem como fazer um combate parelho com os principais nomes da categoria, como o campeão Stipe Miocic (contra quem seu estilo kamikaze já rendeu derrota por nocaute no primeiro round há 3 anos), Daniel Cormier, Curtis Blaydes ou Francis Ngannou -os dois últimos, do qual já perdeu nos últimos anos. É quase um devaneio imaginá-lo disputar o cinturão contra algum desses caras.

"Amo lutar e sei que não farei isso pelos próximos 20 anos, então tenho que aproveitar esses momentos". A frase pós luta resume bem a química que ainda é capaz de criar, admitamos seus méritos, com o público: poucos minutos de muita porrada e faces estragadas, aproveitando cada segundo como uma contagem regressiva para um final que se aproxima cada vez mais.

Mesmo pela controversa carreira de casos de doping, quando partir, deixará um currículo muito respeitável, de títulos do Strikeforce, Dream e momentos de alto nível no UFC e Pride. Enquanto o sinal não toca, veremos contra quem será mais uma diversão de pancadaria de poucos minutos. Como pitaco, o russo Alexander Volkov seria bom nome pra mais um show nas nossas telas.

Confira todos os resultados:

Peso-pesado: Alistair Overeem venceu Walt Harris por TKO no 2ºR;
Peso-palha: Cláudia Gadelha venceu Angela Hill por decisão dividida;
Peso-pena: Dan Ige venceu Edson Barboza por decisão dividida;
Peso-médio: Krzysztof Jotko venceu Eryk Anders por decisão unânime;
Peso-pena: Song Yadong venceu Marlon Vera por decisão unânime;
Peso-meio-médio: Miguel Baeza venceu Matt Brown por KO no 2ºR;
Peso-médio: Kevin Holland venceu Anthony Hernandez por TKO no 1ºR;
Peso-pena: Giga Chikadze venceu Irwin Rivera por decisão unânime;
Peso-pena: Nate Landwehr venceu Darren Elkins por decisão unânime;
Peso-mosca: Cortney Casey finalizou Mara Romero Borella no 1ºR;
Peso-pesado: Rodrigo 'Zé Colmeia' finalizou Dontale Mayes no 2ºR.

MMA