PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Luta contra Hulk iraniano pode colocar em risco saúde de brasileiro

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

12/03/2019 04h00

O que poderia acontecer com os músculos de Romário dos Santos Alves, o Hulk Brasileiro, em uma luta contra o iraniano Sajad Gharibi, o Hulk Iraniano? Afinal, Romário dos Santos Alves admite e se arrepende de ter usado o óleo Synthol até 2012 para ficar com a aparência musculosa e ainda tem o produto em seus braços. O UOL conversou com um especialista sobre os riscos de Romário entrar no octógono -- os maiores deles são relacionados a infecção e deficiência muscular.

caso de Romário, segundo ele, é acompanhado por especialistas e treinadores que acompanham a preparação do Hulk brasileiro para que uma luta não prejudique nenhum dos oponentes. 

"É importante ressaltar que ele não corre o risco de tomar o soco e explodir. A substância já está cicatrizada, a fibrose, que é quando o músculo tenta se recuperar", disse o médico Wendell Uguetto, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e atualmente médico no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

O médico explicou que Romário corre risco de infecção em caso de um combate mais 'sangrento'. "O maior risco é ele ter deficiência muscular e, na hora da luta, ele não conseguir desempenhar. Uma pancada só não teria risco mesmo ele tendo o Synthol. O óleo já está lá e o dano já está feito. Mas, se na luta, ele tiver uma pancada com cortes mais profundos isso pode ser via de entrada de bactérias e levar à infecção. O problema é que se houver infecção, as células de defesa do nosso organismo não conseguem chegar à substância artificial infectada. E o médico não consegue tirar o material Synthol totalmente do corpo de forma cirúrgica, porque ele se mistura ao músculo", explicou.

O Synthol é uma substância usada em animais de grande porte e contém vitaminas B, D e E. Quando é aplicado, causa inchaço instantâneo por inflamar o local e é por isso que algumas pessoas acabam usando irresponsavelmente diretamente no músculo, para fins estéticos. O músculo incha dando a impressão de um corpo mais malhado, mas os riscos para a saúde são enormes.

O próprio Romário disse ao UOL que se arrepende de ter usado a substância e que correu risco de amputar o braço por causa de uma inflamação. Hoje tem acompanhamento de nutricionista e treinador para ganhar massa muscular de maneira saudável.

Hulk do Irã - Reprodução/ Instagram  - Reprodução/ Instagram
O Hulk do Irã, que procura adversário para luta
Imagem: Reprodução/ Instagram
O doutor Uguetto ressaltou que mesmo sem usar o Synthol por anos, o risco ainda existe. "No momento da injeção e depois, há problemas mesmo a longo prazo. No momento da injeção, a pessoa pode ter infecção, isso nos primeiros dias. Se tem infecção, tem uma reação inflamatória e pode ter a necrose do músculo. Aí é preciso operar para tirar e o óleo pode cair na corrente sanguínea e causar embolia no pulmão e coração e levar a morte".

A longo prazo, a substância no músculo fica 'petrificada', como no caso do Hulk Brasileiro. "O músculo faz uma fibrose, vai tentar cicatrizar. O músculo fica duro e perde a função. A longo prazo, a substância pode mudar de lugar e seguir a lei da gravidade, ir caindo, a estética muda. Pode haver perda da função muscular e pode infeccionar a qualquer momento", ressaltou.

Vida saudável e atividade física ajudam

"A atividade física ajuda. O músculo vai regenerando e isso é um fato positivo. O músculo é como elástico, quando abre estica totalmente e se tem algo duro vai atrapalhar o fato de abrir e fechar. Com atividade física, a fibrose se torna menos dura e a lesão muscular vai melhorando, mas o produto vai ficar lá para sempre", contou o médico.

É melhor não tirar a substância do músculo

"Para tirar, tem que fazer um corte na pele, é uma cicatriz futura. Depois é preciso tentar localizar a área mais dura para retirar, mas quando retiro isso, eu tiro uma parte do músculo, porque quando injeta é como se o óleo penetrasse dentro do músculo.Só vai tirar quando se estiver saindo pus, ou infecção. Senão a gente acaba nem mexendo", explicou Wendell Uguetto.

MMA