PUBLICIDADE
Topo
Comprar ingresso
Comprar ingresso

Corinthians tem até 30 de junho para pagar por uruguaio e evitar punição

Bruno Méndez, zagueiro do Corinthians, em ação durante treino do clube - Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Bruno Méndez, zagueiro do Corinthians, em ação durante treino do clube Imagem: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

02/06/2020 08h00

Como se não bastassem as dívidas, a diminuição das receitas e a crise causada pelo coronavírus, o Corinthians tem até o fim do mês para quitar um débito que já está na Fifa e pode render punição ao clube. Trata-se de uma parcela da compra de Bruno Méndez junto ao Montevideo Wanderers, do Uruguai. O valor devido é de 1 milhão de dólares (R$ 5,37 milhões na cotação atual) e deveria ter sido pago no dia 30 de junho de 2019.

O zagueiro foi contratado no ano passado por valor total de 3,5 milhões de dólares (R$ 18,8 milhões na cotação atual), sendo que o pagamento foi parcelado em quatro vezes. As três primeiras no valor de 1 milhão de dólares e a última, que vence em 30 de junho de 2020, no valor de 500 mil dólares (R$ 2,68 milhões na cotação atual). Porém, só a primeira foi paga até aqui.

Duas já venceram: uma em 30 de junho de 2019 e outra em 31 de dezembro de 2019. Ambas estão atrasadas. O não cumprimento dos compromissos, que somam 2 milhões de dólares (R$ 10,7 milhões na cotação atual) fez com que o clube uruguaio acionasse a Fifa em janeiro. No entanto, até o momento, só a primeira delas chegou aos estágios mais altos do processo na entidade.

Segundo a Fifa, o Corinthians precisa quitar o pagamento de 1 milhão de dólares até o dia 30 de junho, ou sofrerá sanções, como a perda de pontos no campeonato nacional, algo semelhante ao que aconteceu com o Cruzeiro recentemente. A outra parcela, referente ao mês de dezembro, ainda está em tramitação.

Em entrevista ao "Meu Timão", Sebastian Garcia, diretor do Montevideo Wanderers, disse que houve a tentativa de um acordo. Porém, sem a garantia de que o Corinthians iria pagar e com duas parcelas atrasadas, não teria outra forma senão acionar a Fifa, uma vez que esses valores são essenciais para a manutenção de um clube do tamanho do uruguaio.

"Sempre buscamos primeiro um acordo com o clube. Não era nossa intenção ir até a Fifa. No começo conversamos bastante com os dirigentes do Corinthians. Foram muito amáveis. Mas não encontramos a forma para receber o que nos deviam. Somos um clube pequeno do Uruguai. Você pode imaginar como esse dinheiro para nós é importante. Não tivemos outra alternativa. Tivemos que apelar à Fifa", afirmou.

Ainda segundo o "Meu Timão", a diretoria corintiana reconhece a intimação da Fifa, promete pagar o valor antes do término do prazo e usará o dinheiro da venda de Pedrinho, adiantado com um banco europeu, para quitar essa e outras dívidas mais urgentes.

Reserva e ainda em busca de espaço no time, Bruno Méndez, que é uma das maiores promessas de seu país, tem apenas oito jogos oficiais com a camisa alvinegra. Brigando por vaga zaga com Gil e Pedro Henrique, já chegou a jogar como lateral direito.

Siga o UOL Esporte no

Corinthians