PUBLICIDADE
Topo

Jejum quebrado, confiança de volta: Pato ganha titularidade no São Paulo

Alexandre Pato comemora gol pelo São Paulo em partida contra o Oeste - Bruno Ulivieri/AGIF
Alexandre Pato comemora gol pelo São Paulo em partida contra o Oeste Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF

23/02/2020 11h00

A goleada do São Paulo sobre o Oeste ontem trouxe vários elementos à tona, muitos deles coletivos, outros tantos individuais. O placar de 4 a 0 teve participação importante de um jogador que precisava demais de uma partida assim para confirmar sua evolução: Alexandre Pato. Com dois gols e uma assistência, o camisa 7 mostrou o porquê de sua titularidade.

Após terminar a temporada 2019 sem entrar em campo nos últimos seis jogos, o atacante entrou em 2020 como um jogador reserva, mas com possibilidade de atuar por conta da ausência de Antony, que estava com a Seleção Olímpica. E isso não aconteceu, Helinho ganhou a vaga que estava aberta e Pablo permaneceu como titular no comando do ataque.

No terceiro jogo, porém, uma lesão de Helinho o colocou de volta no páreo. Contra a Ferroviária, Pato entrou como titular e viu Fernando Diniz preparar o time pensando na melhor forma de acomodá-lo, puxando Pablo para o lado do campo e deixando o camisa 7 mais perto gol adversário. Era o primeiro sinal de que o status de cada um estava começando a mudar no elenco.

"Tem dado muito certo para mim desde que eu tenho conversado com o Diniz, desde a pré-temporada. Vocês acompanharam os jogos na hora que eu tive a oportunidade, fui parado pela trave, uma foi no pé do Cássio, outras duas foram anuladas. Eu acho que vem dando certo desde o começo, aquilo que o professor vem conversando comigo, aquilo que ele vem explicando, ele vem confiando no meu trabalho", disse Pato após o jogo na Arena Barueri.

Com o respaldo do treinador e a titularidade conquistada, já que desde então ele não saiu da equipe, faltava fazer a bola balançar a rede novamente para retomar a confiança. Antes dos dois gols marcados contra o Oeste, o último havia sido no dia 10 de agosto de 2019, ou seja, há mais de seis meses, contra o Santos, no Morumbi, quando também marcou duas vezes.

"É óbvio que, quando você não faz, ou você dá uma assistência, e a bola do companheiro não entra, ou quando você faz um gol e anulam, é normal que você tenha um 'por que isso está acontecendo?', mas eu sei que eu tenho que perseverar, então eu estou ali, persistente, correndo e tentando", avaliou.

A garantia de seu prestígio como titular veio antes mesmo de entrar em campo na Arena Barueri: na escalação de Diniz. Com Antony liberado para jogar, havia a dúvida sobre quem sairia para a entrada do jovem. Se fosse no início do ano, certamente Pato seria o escolhido, mas na cabeça do treinador isso mudou de figura e o sacado acabou sendo o camisa 9, que foi para o banco de reservas.

"Tenho certeza que vamos dar continuidade nesse trabalho, independentemente de quem faz gol, é o grupo. Nosso maior rival somos nós mesmos, porque nós erramos, nós acertamos e podemos fazer cada coisa boa que tenho certeza que o torcedor vai ficar bem contente", concluiu.

Titular, com jejum quebrado e confiança retomada, Pato voltará aos treinamentos na próxima terça-feira, quando o elenco se reapresentação após curtir dois dias de folga. Depois do descanso, terá início a preparação para enfrentar a Ponte Preta, no próximo domingo, às 16h, no Morumbi.

São Paulo