PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Mattos: Revolta da torcida do Flamengo contra Braz e Landim é pertinente

Colaboração para o UOL, em Aracaju

14/05/2022 04h00

Classificação e Jogos

O Flamengo visita o Ceará hoje (14) às 16h30 no Castelão em busca de sua segunda vitória no Brasileirão. Na 14ª colocação e com apenas 33% de aproveitamento, o Rubro-Negro vai a Fortaleza para tentar espantar a crise que se instalou no clube. No meio da semana, mesmo com a vitória por 2 a 0 sobre o Altos-PI e a classificação às oitavas de final da Copa do Brasil, a torcida vaiou bastante o presidente Rodolfo Landim e o vice-presidente de futebol Marcos Braz.

Na Live do Danilo e do Vitão, transmitida pelo UOL Esporte toda segunda, quarta e sexta às 15h, os jornalistas Danilo Lavieri, Vitor Guedes e Rodrigo Mattos debateram a crise política no Flamengo. Segundo Mattos, o estopim para as vaias aos dirigentes rubro-negros em Volta Redonda foi a aprovação da medida que limita a participação no clube de sócios de fora do Rio de Janeiro.

"No jogo contra o Altos teve um protesto contra o Paulo Sousa, só que parte da torcida abafou, ficou meio a meio, aí teve um protesto contra o Braz um pouco mais alto e quando chegou no Landim foi unânime, ele foi xingado pelo estádio inteiro, uma escalada de protestos até chegar na Presidência."

"Isso se explica não só pelo campo, mas porque foi aprovado recentemente uma limitação do sócio de fora do Rio de Janeiro, o Flamengo só vai poder ter mil sócios de fora do Rio, não sócio-torcedor, mas sócio que pode votar, e isso foi considerado e é de fato um elitismo. Eles estão excluindo a maior parte da torcida do Flamengo, que está fora do Rio de Janeiro", continuou Mattos.

"Tem até um raio de 100 km, Volta Redonda por exemplo eu acho que está fora, que foi onde estavam os torcedores xingando o Landim, e isso causou uma revolta pertinente da torcida. É um absurdo pensar em uma votação de duas, três mil pessoas apenas para presidente do Flamengo", completou o colunista do UOL.

Mattos disse ainda que muitos torcedores estão insatisfeitos com a administração de Landim, o que tem aumentado a pressão política no clube diante da ausência de bons resultados. Ele ainda ironizou a diretoria rubro-negra, que internamente procura manter cerrado o círculo do poder e externamente fala em "time de todos".

"Tem muita gente insatisfeita. A diretoria está sob pressão, eles estão dizendo que não participaram da decisão, que foi uma coisa do Conselho, é querer fazer o torcedor de palhaço. Eles fizeram campanha pelo voto, todo mundo sabe lá dentro, para que houvesse essa limitação. O próprio Landim disse em entrevista para o Mauro Cezar que os sócios são os proprietários do clube."

"Então eles podem abrir mão da receita de R$ 1 bilhão, não vende mais camisa, pacote de pay-per-view, não adianta fazer festa quando tiver no Nordeste e for recebido por aquelas multidões, porque aí é contraditório. Como você fala que é dono do negócio e quando tem festa no Nordeste diz que o Flamengo é de todos, mas na hora de ter voz, só eles que têm voz. Não dá", criticou Mattos.

A próxima edição da Live do Danilo e do Vitão será na segunda (16). Você pode acompanhar a live pelo Canal UOL, no app Placar UOL, na página do UOL Esporte ou no canal do UOL Esporte no Youtube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol