PUBLICIDADE
Topo

Santos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Maurício Barros: "Quero crer que o Carille possa repensar o esquema"

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

18/10/2021 04h00

A atuação do Santos no empate sem gols com o Sport, ontem (17), na Arena Pernambuco, pelo Campeonato Brasileiro, fez com que o esquema utilizado pelo técnico Carille fosse colocado em xeque. Com o resultado, o Peixe foi a 29 pontos, e tem um a mais em relação ao Juventude, primeiro na degola.

Na Live do Santos, programa do UOL Esporte logo após os jogos do Peixe, os jornalistas Maurício Barros e Gabriela Brino analisaram o que a equipe do técnico Carille demonstrou em campo.

"O jogo com o América-MG é um jogo importante, que vai precisar de criatividade. Não sei nem se o Carille deveria ir com três zagueiros. Não necessariamente o time com três zagueiros será mais defensivo, quando tem os dois alas se mexendo, é até ofensivo, mas não tem sido", disse Maurício Barros

O jornalista ressalta o valor de se conseguir um resultado positivo frente ao Coelho, em casa, e o quanto é preciso ter uma outra postura em relação ao confronto com o Sport.

"Esse campeonato está muito embolado, tem muito time que está ameaçado. Do 12º para baixo está todo mundo perigando, que é justamente o América-MG. Esses confrontos diretos são importantes. Por isso, analisando assim, o empate com o Sport não é tão ruim, mas o jogo em casa, contra o América-MG, é uma oportunidade de ouro. E quero crer que o Carille possa repensar a questão do esquema. Quero crer que o Carille pense nisso e, certamente, vai passar ao grupo a importância do Santos ter uma parte criativa efetiva".

"Já tem três zagueiros. Tem, no meio, o Camacho e o Zanocelo, que são volantes mais pesados. Têm técnica, marcadores, mas não são jogadores de velocidade. E quando se tem o Sánchez, fica dependendo muito da leveza dos alas. Eu gostaria de aproveitar o Lucas Braga mais à frente, mais na parte criativa, do que nessa função meio torta, de ala. Acho que foi uma tentativa. O treinador está aí para fazer experiências e tentar, mas neste momento, prefiro entrar com o lateral, lateral canhoto, que é o Felipe Jonatan. Tem de mexer as peças. Não são muitas, mas tem de fazer alguma coisa porque neste jogo de sábado tem de trazer os três pontos", completou.

Gabriela Brino, por sua vez, salienta que o trabalho de Carille na Vila Belmiro ainda é recente, e acredita que o treinador vai fazer mais alguns testes até achar a formação que considera ideal.

"Acho que ele ainda vai experimentar mais. Em minha concepção, o Marcos Guilherme teve um início muito bom quando chegou ao Santos. Mostrou bastante o futebol, se destacou, mas ao longo do tempo não está mais decidindo. Hoje senti ele muito perdido. O pessoal está cornetando e entendo porque não tem dado esse retorno. Acho que o Carille ainda vai insistir em algumas peças, experimentar algumas coisas. Acho que não vai definir o que tem em mente quanto ao time titular perfeito. Acho que não encontrou e acho que vai ter dificuldade para encontrar. É um trabalho recente, já conseguiu filtrar, mas é um trabalho que ainda vamos ver bastante coisa", avaliou.

Barros ressaltou a questão do DNA do Santos, que sempre teve times mais ofensivos, o que pode ser conflitante com a ideia inicial do atual comandante.

"Carille é um treinador sério, transparente, acho isso legal. É jovem e tem títulos importantes, além de experiência internacional, mas, de fato, quando chegou no Santos, quando olha a trajetória e a concepção dele de futebol, se choca um pouco com o que os santistas estão acostumados", apontou.

A repórter do UOL Esporte, porém, ressalta que o comandante luta contra o rótulo de retranqueiro que acabou ganhando e pode ter bons resultados no Peixe.

"O pessoal chama muito ele de retranqueiro, que não encaixa no Santos por causa do DNA ofensivo, mas desde que chegou ele disse que queria mudar essa imagem. Acho que ele vai tentar desmistificar isso no Santos. Realmente, o Santos sempre teve DNA ofensivo, de jogar para frente, mas até agora, dada às devidas proporções, ele consegue escapar do rebaixamento até o momento. É um cara que trabalha com calma, jogo a jogo. É um trabalho que pode dar certo, no fim das contas".

A próxima edição da Live do Santos UOL será no sábado (23), logo após a partida contra o América-MG, pelo Brasileiro. Você pode acompanhar a live pelo Canal UOL, no app Placar UOL, na página do Santos no UOL Esporte ou no canal do UOL Esporte no YouTube.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Santos