PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Dani Alves critica diretoria e diz que SPFC 'não tem condição' de tê-lo

Jogador rescindiu o seu contrato há duas semanas com o clube paulista - Erico Leonan/São Paulo FC
Jogador rescindiu o seu contrato há duas semanas com o clube paulista Imagem: Erico Leonan/São Paulo FC

Do UOL, em São Paulo

29/09/2021 12h03Atualizada em 29/09/2021 14h44

Fora do São Paulo há duas semanas, o experiente lateral Daniel Alves finalmente falou publicamente sobre a rescisão de seu contrato com a equipe paulista.

Em entrevista ao "Flow Sport Club", o jogador de 38 anos disse que seu sonho de jogar no time estava sendo "conduzido" para um lado que não desejava. Ele ainda criticou os atuais diretores do clube.

"O sonho está realizado. Vim aqui para performar e performei. Vim aqui para ganhar e ganhei. Estavam conduzindo meu sonho para um lado que eu não estava sonhando. Então beleza, vamos dar um stop aqui. Vocês não têm condição de me ter... Pô, não vim aqui para prejudicar vocês. Muito pelo contrário, vim para ajudar. Tanto que ajudei, mas não quero mérito, mas sei. Tenho consciência do que fiz nos bastidores".

Ele ainda criticou as mudanças no clube em meio ao Brasileirão de 2020 e disse que, diante disto, a diretoria atual "não tem um plano".

"A sensação que eu tive foi que todo o mundo criticou a outra gestão [do presidente Leco], mas com a outra gestão a gente estava para ser campeão brasileiro. Esta [gestão de Julio Casares] chegou tentando mudar, mas entrou em um momento que não era adequado. Faltava cinco, dez jogos para terminar o campeonato. Esperasse acabar e depois assumia, mudava. Queriam conduzir diferente? Conduzir o quê? Tirou as pessoas que estavam gerindo o negócio", criticou o lateral.

"Para mim, tudo na vida é consequência de como você se organiza e se planeja. Tínhamos um plano, na hora de chegar mudou tudo", prosseguiu.

Para Dani, "as pessoas não sabem lidar e não têm um plano" em relação ao clube. "Tem que criar uma harmonia entre campo, clube e tudo. No campo somos instáveis porque o clube está instável, e sempre estoura aqui [no campo]."

Por fim, ele falou ao podcast que o fato de ter virado "alvo" da torcida também motivou sua saída do clube. "Era tudo culpa do Diniz e minha, quando o Diniz saiu eu me ferrei, porque botaram toda a culpa em mim. Aí foi em mim e no Volpi, agora eu saí, o Volpi se f* também. Então pensei: 'não vou ficar aqui perdendo meu tempo, se o próprio entorno parece não querer'."

Período sabático? Nem tanto...

O jogador, que decidiu ficar sem clube até o fim do ano, revelou que não está exatamente "parado".

"Não malho todo dia. Agora eu peguei um tempo para tirar férias, estava treinando porque poderia surgir alguma coisa. Quando tomei a decisão de não jogar, falei para minha galera: 'ó, a parte física, eu vou pegar como se fosse umas férias, e a partir do mês que vem...'. Mas não consigo ficar tanto tempo parado. Começo a treinar, então parado eu nunca fiquei. Preciso sentir essa adrenalina, correr, praticar esporte... parado eu não consigo ficar", falou.

Por fim, ele afirmou que não está fazendo planos a "longo prazo" em torno de sua carreira, mas garantiu que vai voltar a jogar profissionalmente no ano que vem.

"Não gosto de fazer coisas a longo prazo, prefiro curto prazo. Ano que vem eu vou estar empregado, com certeza. Eu tenho uma equipe [para manter o físico]."

São Paulo