PUBLICIDADE
Topo

Corinthians

Futuro do time sub-23 do Corinthians é incógnita após queda no Brasileiro

Danilo, técnico do Corinthians, à beira do gramado da Fazendinha, em duelo contra o Santos pelo Brasileirão de aspirantes - Rodrigo Gazzanel / Agência Corinthians
Danilo, técnico do Corinthians, à beira do gramado da Fazendinha, em duelo contra o Santos pelo Brasileirão de aspirantes Imagem: Rodrigo Gazzanel / Agência Corinthians

Yago Rudá

Do UOL, em São Paulo

27/09/2021 12h00

Classificação e Jogos

Inaugurado em 2019 sob a gestão do presidente Andrés Sanchez, o time sub-23 do Corinthians está em xeque. Na semana passada, a equipe de aspirantes foi eliminada do Campeonato Brasileiro da categoria e ficou sem calendário pelos próximos meses. Com mais de dez contratos a serem encerrados no curto prazo e sem demonstrar retorno técnico, o elenco pode ser extinto.

Anualmente, o sub-23 custa em torno de R$ 5 milhões aos cofres do clube, que tem uma arrecadação de mais de R$ 400 milhões por temporada. No entanto, o investimento no time de aspirantes não tem apresentado o resultado esperado e, por isso, a economia é estudada pela diretoria — que segue com seu plano de corte de gastos.

Do atual elenco do Corinthians, apenas dois jogadores saíram do sub-23 e foram integrados ao profissional: os volantes Roni e Du Queiroz. Outros nomes fizeram o caminho inverso sendo 'emprestados' aos aspirantes em algum momento. São os casos do goleiro Guilherme Pezão, dos zagueiros Léo Santos e Raul Gustavo e do meia-atacante Adson.

Na temporada passada, com Vagner Mancini no comando, Raul Gustavo e Roni costumavam treinar no CT Joaquim Grava e jogar com os aspirantes quando não eram relacionados aos compromissos do time principal. Naquele momento, a categoria foi utilizada como uma espécie de laboratório para a comissão técnica, mas o trabalho não teve sequência. Muito disto, inclusive, pela ausência de um calendário longo no sub-23.

Em seu ano de estreia, o time de aspirantes disputou a Copa Paulista — competição disputada por clubes profissionais, em sua maioria do interior do Estado de São Paulo. Quando o clube optou em não mais disputá-la, o sub-23 ficou apenas com o Brasileiro da categoria.

Internamente, o entendimento é de que o custo-benefício da equipe tem sido pouco atrativo. Por isso, a diretoria estuda o que fazer com o elenco comandado pelo ex-meia Danilo, mas não tem pressa para tomar uma decisão. A tendência é de que o grupo siga treinando no CT da base e faça alguns amistosos.

Os números da categoria sub-23 em jogos oficiais:

- 46 jogos
- 16 vitórias
- 15 empates
- 15 derrotas
- 53 gols marcados
- 51 gols sofridos
- 45,6% de aproveitamento

Até fevereiro do ano que vem, o Corinthians precisa resolver o futuro de 15 jogadores da categoria, que terão seus contratos encerrados. São 12 atletas que possuem vínculo e outros três que estão emprestados por outros clubes.

Os contratos próximos do fim:

- Alexandre Mantelli (lateral) - 31/10/2021
- Willian Félix (lateral) - 30/11/2021
- Emerson (volante) - 31/12/2021
- Eugênio (goleiro) - 31/12/2021
- Filipe (goleiro) - 31/12/2021
- Alexandre Mantelli (lateral) - 31/10/2021
- Warian (volante) - 31/12/2021
- Gabriel Lima (atacante) - 31/12/2021
- Higor Lapa (lateral) - 31/12/2021
- Luan (lateral) -31/12/2021
- Hugo Borges (atacante) - 31/12/2021
- Wallace (atacante) - 31/12/2021
- Léo Paraíso (zagueiro) - 28/02/2022

Emprestados com fim de contrato:

- Maia (volante) - emprestado pela Aparecidense até 31/12/2021
- Jhon Lessa (zagueiro) - emprestado pelo Vitória até 31/12/2021
- Matheus Melo (meia) - emprestado pelo Linense até 31/12/2021

Corinthians