PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Titular, Felipe Melo pós-cobrança a Galiotte tem bons números e um cartão

O jogador Felipe Melo, da SE Palmeiras, em jogo contra a equipe do EC Juventude, durante partida válida pela quarta rodada, do Campeonato Brasileiro, Série A, no estádio Alfredo Jaconi. (Foto: Cesar Greco) - Cesar Greco
O jogador Felipe Melo, da SE Palmeiras, em jogo contra a equipe do EC Juventude, durante partida válida pela quarta rodada, do Campeonato Brasileiro, Série A, no estádio Alfredo Jaconi. (Foto: Cesar Greco) Imagem: Cesar Greco

Diego Iwata Lima

De São Paulo

25/07/2021 04h00

Classificação e Jogos

Desde o dia em que cobrou, ao vivo na TV Globo, uma reunião prometida pelo presidente Mauricio Galiotte, Felipe Melo cresceu de rendimento e, fixado como zagueiro por Abel Ferreira, foi titular e capitão em cinco dos seis jogos do Palmeiras no período. Nestes, foi advertido com cartão amarelo apenas uma vez, e o Palmeiras sofreu apenas dois gols.

Contra o Fluminense, no sábado, teve nota 7,5 e foi considerado o melhor em campo pelo algoritmo do site SofaScore: ganhou oito das nove disputas que teve no jogo — quatro de quatro pelo alto, quatro de cinco pelo chão. Acertou 87% dos passes e oito de treze lançamentos. E recebeu um cartão amarelo por trocar empurrões com Manoel.

Junto com Gustavo Gómez e Weverton, Felipe Melo tem sido um dos principais responsáveis pelo quarto jogo consecutivo sem gols sofridos pelo Alviverde. O Palmeiras foi vazado pela última vez contra o Santos, com dois gols de pênalti. Com a bola rolando, os últimos dois foram contra o Bahia, em 27 de junho —Felipe ficou no banco.

O volante transformado em zagueiro por Vanderlei Luxemburgo e resgatado para a função por Abel Ferreira também foi o melhor em campo contra o Sport: 98% nos passes, 100% nos lançamentos, afastou 11 bolas, ganhou seis de sete duelos, sendo 100% pelo alto - quatro de quatro. As médias gerais de Felipe caem um pouco em relação a esses bons números recentes. Englobam também as partidas que ele fez como volante, onde rendeu menos. E aconteceram antes da "crise da reunião".

Felipe, que não considerava deixar o Palmeiras até o incidente, não procurou a diretoria do Palmeiras após a desavença com Galiotte. Ao UOL, indagado se queria comentar a entrevista concedida pelo presidente ao blog de Danilo Lavieri, ele se absteve de comentar.

É em silêncio, e jogando futebol, que Felipe está dizendo a Anderson Barros e Mauricio Galiotte que acredita que eles tenham cometido um erro. Assim como diz aos candidatos a presidente que podem renovar seu contrato que tem lenha para queimar, em caso de extensão do vínculo.

Candidato auto-declarado à presidência do Palmeiras, Paulo Jussio disse ao UOL que, se eleito, oferecerá a Felipe uma renovação de um ano. Leila Pereira, provável adversária de Jussio, bem como Savério Orlandi, favorito a concorrer pela oposição, ainda não se manifestaram sobre o assunto.

Futebol