PUBLICIDADE
Topo

Eurocopa - 2021

Ingleses que perderam pênaltis são alvos de racismo; veja reações

Rashford desperdiçou sua cobrança na final da Eurocopa, vencida pela Itália -  Alex Morton - UEFA/UEFA via Getty Images
Rashford desperdiçou sua cobrança na final da Eurocopa, vencida pela Itália Imagem: Alex Morton - UEFA/UEFA via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

12/07/2021 08h47Atualizada em 12/07/2021 15h11

Classificação e Jogos

Marcus Rashford, Jadon Sancho e Bukayo Saka, três jogadores negros da seleção inglesa que perderam seus pênaltis ontem, na final da Eurocopa vencida pela Itália, foram alvos de racismo em suas páginas nas redes sociais.

Logo depois da partida, que acabou com título para os italianos no estádio londrino de Wembley, dezenas de ofensas foram vistas nos perfis do trio.

Termos como "saia do meu país", "macaco" e "volta para a Nigéria" foram vistos em comentários de fotos antigas dos atletas no Instagram.

Saka, Rashford e Sancho (da esquerda para a direita) sofreram racismo após perderem pênaltis na final da Eurocopa - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Saka, Rashford e Sancho (da esquerda para a direita) sofreram racismo após perderem pênaltis na final da Eurocopa
Imagem: Reprodução/Twitter

Desde a madrugada de hoje, entidades, autoridades e esportistas repudiaram o episódio sofrido pelos três atletas - que ainda não se manifestaram.

A FA (The Football Association, entidade que controla o futebol inglês) e a Uefa classificaram o episódio como "nojento" e pediram providências.

"Condenamos veementemente todas as formas de discriminação e estamos horrorizados com o racismo online que tem se dirigido a alguns de nossos jogadores da Inglaterra nas redes sociais. Não poderíamos deixar mais claro que alguém por trás de tal comportamento nojento não é bem-vindo na nossa equipe. Continuaremos a fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para eliminar a discriminação do jogo, mas imploramos ao governo que aja rapidamente e implemente a legislação apropriada para que esse abuso tenha consequências na vida real", disse a FA.

"A Uefa condena veementemente o nojento abuso racista dirigido a vários jogadores ingleses nas redes sociais após a final do Eurocopa, que não tem lugar no futebol ou na sociedade. Apoiamos os jogadores e o apelo da FA Inglesa às punições mais fortes possíveis", se manifestou a Uefa.

Veja outras personalidades que se manifestaram:

Boris Johnson, primeiro-ministro do Reino Unido:

"Esta seleção da Inglaterra merece ser elogiada como heróis, não abusada racialmente nas redes sociais. Os responsáveis por esse abuso terrível deveriam ter vergonha de si mesmos."

Príncipe William:

"Estou enojado com o abuso racista dirigido aos jogadores da Inglaterra após a partida de ontem à noite. É totalmente inaceitável que os jogadores tenham que suportar esse comportamento repulsivo. Isto deve parar agora e todos os envolvidos devem ser responsabilizados."

Gary Neville, ex-jogador da Inglaterra:

"Li hoje que o primeiro-ministro condena o abuso racista contra jogadores ingleses. É o mesmo primeiro-ministro que há algumas semanas, quando os jogadores estavam se ajoelhando para promover a igualdade, disse que estava tudo bem para a população deste país vaiar aquilo."

Sturridge, jogador que já atuou pela seleção:

"Respeitosamente. Fique longe da bebida se não puder evitar brigar em partidas de futebol e atacar pessoas inocentes. Não tuíte se você for abusar racialmente das pessoas. Futebol é vida, eu entendo, mas leve a derrota com orgulho. Você não precisa descontar em outra pessoa."

Rio Ferdinand, ex-jogador da Inglaterra:

"Acordo com vontade de repassar o jogo na minha cabeça, mas não consigo porque o foco mudou drasticamente. É uma pena que estejamos continuamente aqui fazendo as mesmas perguntas e ainda não recebendo respostas suficientes."

Haaland, atacante norueguês:

"Não entendo por que ainda há espaço para racismo e discriminação. Nunca vamos nos cansar de lutar contra qualquer forma de discriminação. Em vez de serem aplaudidos por terem coragem de cobrar os pênaltis, esses jovens foram agredidos com insultos racistas. Estou sem palavras"