PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Roger Machado faz testes e busca soluções para Flu de olho em Libertadores

Roger Machado, técnico do Fluminense - Lucas Merçon / Fluminense F.C.
Roger Machado, técnico do Fluminense Imagem: Lucas Merçon / Fluminense F.C.

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

09/04/2021 04h00

O Fluminense conhece, hoje (9), os adversários da fase de grupos da Copa Libertadores e, enquanto a estreia na competição se aproxima, o técnico Roger Machado faz testes, busca correções e coloca em prática a mescla citada à época da apresentação. Em meio a esforços no mercado da bola, a tendência é que o Tricolor inicie o torneio com o time base que terminou a última edição do Campeonato Brasileiro.

O curto tempo até o primeiro jogo pela Libertadores, inclusive, tem sido inimiga da diretoria, que se encontra pressionada diante da ausência de acertos por novos nomes para o elenco. A cúpula se mantém na busca de reforços, mas ainda sem avanços significativos.

Recentemente, o Tricolor desistiu da contratação do atacante Matheus Babi, do Botafogo, e vê travado o negócio por Willian Bigode, do Palmeiras. O interesse no meia Jean Pyerre, do Grêmio, também não recebeu sinal verde. Há, por outro lado, o acerto com o zagueiro David Braz, que ainda finaliza alguns trâmites com o Tricolor gaúcho.

Enquanto isso, Roger Machado buscar arrumar a equipe. Na goleada sobre o Macaé, na última terça-feira (6), pelo Campeonato Carioca, ele pôde contar com a dupla de zaga Luccas Claro e Nino, até aqui apontada como titular, e viu melhoras no setor que apresentava falhas no início do Estadual.

Ao mesmo tempo, com o grupo que tem à disposição, vem fazendo testes e buscando soluções, como Igor Julião no meio e Ganso no ataque. Além disso, tem tentado implementar a mescla entre os Meninos de Xerém, como Kayke e Gabriel Teixeira, e os jogadores mais experientes, como Fred e Nenê.

No meio de campo, porém, demonstra ainda ter dúvidas sobre qual a melhor formação, como uma disputa mais acirrada entre Yago Felipe e Wellington, uma das novidades para 2021.

"São duas vias: amadurecer o time para a Libertadores sem deixar de valorizar o Estadual. Não gostaria de ter o Carioca como laboratório, de forma pejorativa. É uma oportunidade que temos de ver atletas em campo em jogos mais pesados, atletas mais jovens que podem nos ajudar. Quando houver oportunidade e o jogo permitir, não tenha dúvida que eu vou querer utilizá-los. Mas também tem a segunda via, que é amadurecer o time, encaixando as peças para as finais do campeonato e a Libertadores que se avizinha", disse, depois da goleada sobre o Macaé.

Na chegada às Laranjeiras, o comandante tricolor já apontava essa mistura como uma alternativa, salientando que, durante a negociação para o acerto, "não foi prometido nada mirabolante".

"Dificuldades financeiras, no futebol brasileiro, não estão restritas ao Fluminense. Sobretudo depois da pandemia que a gente atravessa. O que me foi prometido foi um ambiente de trabalho e a capacidade de honrar os compromissos que nós assumirmos. A possibilidade com essa mescla juventude e experiência, a gente ter um ambiente estruturado e seguir construindo, reformulando o clube para conquistas que em sua história sempre teve. Não me foi prometido nada mirabolante", afirmou, na ocasião.

Xavier vive expectativa por estreia

Samuel Xavier, lateral-direito do Fluminense - Lucas Merçon / Fluminense F.C - Lucas Merçon / Fluminense F.C
Imagem: Lucas Merçon / Fluminense F.C

Primeiro reforço do Fluminense para 2021, o lateral direito Samuel Xavier ainda não estreou pelo clube. O jogador, que estava no Ceará na última temporada, foi diagnosticado com Covid-19 logo que chegou ao Tricolor e, após a recuperação, ficou como opção no duelo com o Macaé, na última terça-feira.

Para o setor, Roger tem como alternativa, além de Xavier, Calegari, um dos destaques da equipe em 2020 e que vem sendo titular, e Igor Julião.

Fluminense