PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Edenilson lamenta Inter burocrático e critica falta de critério de árbitros

O volante do Internacional Edenilson recebe a Bola de Prata de melhor do Brasileirão - André Porto
O volante do Internacional Edenilson recebe a Bola de Prata de melhor do Brasileirão Imagem: André Porto

Eder Traskini e Gabriel Carneiro

Do UOL, em Santos e São Paulo

26/02/2021 14h35

O volante Edenilson, do Internacional, venceu o Prêmio Bola de Prata ESPN como melhor de sua posição ao lado de Gerson, do Flamengo. O jogador do Colorado quase se tornou herói do título do Brasileirão no último minuto ao marcar um gol que acabou bem anulado por impedimento — a vitória do clube gaúcho bastaria para tirar o título do Flamengo que foi derrotado pelo São Paulo.

Sem o gol, o Internacional não conseguiu sair do zero contra o Corinthians e viu o rubro-negro se sagrar campeão nacional. Para Edenilson, o Colorado desperdiçou os primeiros 45 minutos da partida contra a equipe paulista e praticou um futebol burocrático.

"Tive essa visão que entramos burocráticos demais no primeiro tempo, não sei se esperando o resultado paralelo (do jogo do Flamengo). Perdemos 45 minutos nessa burocracia e depois o tempo foi correndo muito rápido. Acho que o grupo fica lembrado pelo esforço que fez durante a temporada, pelas mudanças que teve, mudando de treinador quase que no momento final da temporada. Professor Abel lançou inúmeros jovens e isso é muito importante para o clube, o clube vive disso. Perdemos o título, mas tem coisas boas", disse em entrevista coletiva.

Além do gol anulado de Edenilson no último minuto, o Inter ainda teve outro gol anulado também por impedimento, marcado por Yuri Alberto, e um pênalti que chegou a ser assinalado, mas foi anulado após recomendação do VAR. O lance foi de toque de mão dentro da área e o volante lamentou a falta de critério da arbitragem.

"Não vou julgar os árbitros aqui, não acredito que tenha dois pesos e duas medidas. Acredito que erram. Deveria ter um critério único, num jogo tem um, noutro jogo tem outro. Num jogo interpretam como falta, no outro não. Nunca vamos saber a realidade do fato. Se tivesse um critério único ajudaria muito."

Um dos destaques do Internacional no ano, o volante atuou 54 vezes e teve sua temporada mais artilheira da carreira, anotando nove gols.

Internacional