PUBLICIDADE
Topo

Futebol

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Mauro: Guardiola é um técnico que mostra resultado se tiver um tempo mínimo

Do UOL, em São Paulo

24/02/2021 20h48

Classificação e Jogos

O Manchester City conseguiu abrir vantagem na primeira partida do confronto pelas oitavas de final da Liga dos Campeões com o Borussia Mönchengladbach, vencendo por 2 a 0, com um gol marcado pelo brasileiro Gabriel Jesus na Puskás Arena, em Budapeste, local que recebeu a partida devido a restrições alemãs por causa da covid-19, enquanto na outra partida de hoje (24), o Real Madrid aproveitou a superioridade numérica para fazer 1 a 0 na Atalanta, em Bergamo, na Itália.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte, os jornalistas Julio Gomes, Mauro Cezar Pereira e Rafael Oliveira analisam os destaques das partidas disputadas nesta semana, também com a análise do que aconteceu na vitória do Chelsea sobre o Atlético de Madri, com direito a gol de bicicleta de Giroud, e na goleada do Bayern de Munique diante da Lazio.

Mauro Cezar Pereira comenta a evolução do Manchester City sob o comando de Pep Guardiola na temporada atual, com o time dificilmente sendo batido e contando com um sistema defensivo que é pouco vazado. Ele destaca como o técnico consegue, com tempo, adaptar o seu jogo e encaixar os jogadores para recolocar sua equipe em superioridade no Campeonato Inglês e com reflexo na primeira partida de oitavas de final da Liga dos Campeões.

"O trabalho de um técnico como o Guardiola depende de um certo tempo, de adaptação, jogadores que vão se encaixando em diferentes funções, todo mundo sabe, é muito comum, ele traz um jogador para o seu elenco e acaba utilizando muitas vezes de uma maneira diferente do que o cara vinha jogando a carreira inteira, e isso demanda um certo tempo", diz Mauro Cezar (no vídeo a partir de 6:58).

"Na temporada passada havia dentro da Premier League um time que se destacava, que era o Liverpool, e ele não conseguiu acompanhar o ritmo, se tivesse um campeonato mais equilibrado, ele iria brigar pelo título", completa.

O jornalista destaca a forma como João Cancelo muda de papel no jogo com Guardiola e também a solidez do sistema defensivo, que parece funcionar mais do que em outros trabalhos realizados pelo treinador do Manchester City.

"Eu vejo como uma sequência ele conseguindo ter essa evolução. Hoje, por exemplo, jogada do Cancelo jogando pelo lado esquerdo, ele adora laterais que trabalham pela faixa central do campo, como meia armadores, e o Cancelo fazendo esse papel pelo lado esquerdo, faz o passe excelente para o gol do Bernardo Silva. Esse tipo de jogada, esse tipo de situação, esses movimentos que vão acontecendo naturalmente demandam tempo e acho que o tempo vai ajudando e o trabalho vai amadurecendo", analisa o jornalista.

"Também me chama a atenção o fato de ser um time muito forte defensivamente, um time que não toma gols. Não fiz essa pesquisa, mas será que na carreira do Guardiola em algum momento ele teve um time que conseguia se defender tão bem, que não permitia aos adversários ir às redes? É impressionante, de fato", completa.

Mauro Cezar não é defensor de que o técnico precise de tempo, mas afirma que no caso do treinador do Manchester City, ele dá mostras de que com o tempo é capaz de fazer o seu time evoluir e jogar de forma diversificada.

"Acho que é tudo fruto de um trabalho maduro, de um técnico que de fato consegue apresentar resultado se tiver um tempo mínimo, os jogadores entenderem e as coisas forem seguindo o ciclo natural. É quase que uma certa, em algum tempo, pode ter um acidente de percurso aqui e outro ali, mas as coisas vão acontecendo. 'Ah, mas não ganha a Champions League'. Pois é, um torneio de mata-mata tem disso, por mais que você tenha um time maduro, um time que seja consistente, você pode ser eliminado", diz Mauro.

"É uma sequencia de trabalho, eu não concordo muito com a tese de que tem que dar tempo para o técnico, acho que tem que dar tempo para o técnico quando ele é bom e o trabalho aponta numa direção. Tem técnico que você pode dar o tempo que for, você daria tempo para o Luxemburgo no Vasco agora? Vai sair dali e não vai para lugar nenhum, não vai acontecer rigorosamente nada. Vai para a terceira divisão? Essa é a meta? Já está indo para a segunda. Então, há situações em que não adianta dar tempo, com o Guardiola, dê tempo que a coisa vai funcionar, dificilmente vai falhar", conclui.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol