PUBLICIDADE
Topo

Fluminense

Em fim de contrato, Hudson admite vontade de seguir no Flu: 'Só agradecer'

Com contrato perto do fim, Hudson admitiu vontade de ficar no Fluminense em 2021 - DANIEL PERPETUO / FLUMINENSE F.C
Com contrato perto do fim, Hudson admitiu vontade de ficar no Fluminense em 2021 Imagem: DANIEL PERPETUO / FLUMINENSE F.C

Caio Blois

Do UOL, no Rio de Janeiro

11/01/2021 12h57

Classificação e Jogos

Titular e um dos líderes do elenco do Fluminense, o volante Hudson tem contrato apenas até o fim do Campeonato Brasileiro. Com o vínculo chegando ao fim, o jogador de 32 anos falou sobre a vontade de seguir no Tricolor em 2021.

"O Fluminense me abraçou muito mais do que eu esperava. Só tenho a agradecer. Se eu puder continuar, gostaria de continuar sim o trabalho aqui. É um clube que, se conseguirmos a classificação à Libertadores, teremos um 2021 promissor e é vontade minha participar disso, dar sequência. Não depende só de mim, mas também do Flu e do São Paulo. Na hora certa vamos todos sentar e resolver o o que é melhor para todo mundo", disse, em coletiva no CT Carlos Castilho.

Hudson tem os direitos econômicos vinculados ao São Paulo, onde possui contrato até o fim do ano. Sem saber se será aproveitado pelo time paulista, o volante ainda não tem certeza de seu futuro. Antes, entretanto, topou até mudar de posição para seguir no time titular do Flu, que briga por uma vaga na Libertadores. O volante tem atuado mais adiantado, e admite ter dificuldades com a função.

"Eu tenho jogado mais à frente, quase como um meia, e exige muito fisicamente, tem que ter força para defender e atacar na mesma intensidade. Hoje, o futebol, como é muito intenso, exige bastante dessa posição, como jogar de costas, que não é um costume na minha carreira", declarou, para prosseguir:

"Tenho buscado trabalhar para melhorar minha performance, é questão de adaptação. Tive algumas lesões, mas não uso isso como muleta. Sei que posso e tenho que render mais. Estou me esforçando nos treinamentos para dar mais segurança ao time, à comissão técnica e ao torcedor. A autocrítica, que eu sempre tive durante a carreira, é o meu maior parâmetro. Sei que preciso de uma performance melhor e vou trabalhar para isso", opinou.

O volante projetou a próxima partida, contra o Corinthians, na quarta-feira (13), às 21h30, na Neo Química Arena, como mais uma decisão para o Tricolor no Brasileirão.

"É até clichê falar que é mais uma final. Mas é um jogo muito importante para a nossa posição na tabela. Temos falado demais sobre isso, é um jogo de extrema importância para a gente e estamos pensando nisso desde já. Estamos pensando nos pontos fortes dele, em melhorar o que estamos errando e estamos preparados para fazer um grande jogo lá", afirmou.

Para o jogo, o Flu, sétimo colocado do Campeonato Brasileiro com 43 pontos, terá o retorno de Nino à zaga. No banco, entretanto, segue com o auxiliar Aílton, já que Marcão, que testou positivo para covid-19, cumprirá o último dia de sua quarentena.

"[Marcão e Ailton] e assemelham muito no trabalho dentro de campo e no extracampo, no relacionamento. São dois jogadores que fizeram história no Fluminense, respeitadíssimos, e a gente vê neles dois caras com potencial enorme na profissão e vamos tentar corresponder e ajudar eles ao máximo. O desafio é grande, assumir a equipe na reta final do campeonato que é tão difícil, então vamos procurar ajudar eles para que conquistemos nossos objetivos", destacou.

Confira outras respostas de Hudson na coletiva de imprensa:

Queda de rendimento sem Odair

Tanto o Marcão quanto o Ailton buscam se assemelhar muito ao Odair. Claro que há um rompimento do trabalho, natural, e o time sentiu um pouco nos primeiros jogos. É difícil no Brasileirão, que é muito difícil, a gente fazer isso. É mérito do adversário também. Os adversários tem o mérito deles também pela qualidade e vamos trabalhar para evitar que essas situações se repitam. Temos uma defesa forte, mas o ataque também já se mostrou presente para ajudar quano precido.

Yuri

Função que exige muito. O Yuri tem uma saída de bola muito boa. Além da marcação, organiza o time de trás, tem muito potencial para isso. Conviveu com um pouco de lesão, está buscando o melhor da sua forma e vai conseguir.

Virada no Fla-Flu

A mudança de postura contra o Flamengo saiu do vestiário, partiu muito do Ailton, do jeito como ele falou com a gente, da nossa imposição, o que poderíamos fazer. O time deles tem qualidade, sabemos disso, mérito deles. A nossa reação é muito importante. Já tivemos alguns jogos em que reagimos muito bem, e é uma vitória que mostra que a equipe tem muito potencial, está ligada e pode ser assim do início ao fim.

É uma vitória importantíssima contra o Flamengo, por ser clássico, por ser uma equipe que briga pelo título, está à nossa frente na tabela de classificação, nos dá força para o jogo contra o Corinthians, que é um confronto direto na classificação, nos dá confiança e mostra que podemos vencer e brigar com as equipes que estão à nossa frente. Só tem pontos positivos. Até no primeiro tempo, que fomos mal, a gente pode tirar coisas boas para melhorar a equipe. O torcedor ficou muito feliz, a gente também, mas agora o foco é o Corinthians. Se tivermos um resultado adverso lá, essa vitória sobre o Flamengo pode ser esquecida e a gente não quer isso.

Fred

Já joguei inúmeras vezes contra ele, e é um cara que a gente tem medo de enfrentar. Pela qualidade, pela importância dele... e os adversários sentem. Com o Fred, o Fluminense é mais forte. Muda a característica, temos uma referência. Quando ele conseguiu ter uma sequência de treinos e jogos, podemos ver que a qualidade dele é muito evidente e pode nos ajudar muito.

Fluminense