PUBLICIDADE
Topo

Futebol

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Ricardo Rocha: Gabriel Menino é um garoto com um futuro brilhante na Europa

Do UOL, em São Paulo

06/01/2021 12h00

Na vitória do Palmeiras diante do River Plate por 3 a 0, pelo primeiro jogo da semifinal da Libertadores, o técnico Abel Ferreira escalou o time alviverde com três jogadores jovens no meio de campo e um dos destaques da partida foi justamente Gabriel Menino, um dos integrantes do trio, que fugiu das intimidações e conseguiu tirar o adversário do sério, causando a expulsão de Carrascal na falta que originou o terceiro gol palmeirense.

No Fim de Papo, live pós-rodada do UOL Esporte — com Isabella Ayami, Danilo Lavieri, Luiz Prósperi e Ricardo Rocha —, a atuação de Gabriel Menino é destacada pela personalidade e também a versatilidade, com o jogador atuando com facilidade tanto no meio de campo quanto na lateral, como analisam Lavieri e Rocha.

"A tranquilidade, a calma, o jeito que ele conduziu o jogo, aguentando a pressão, mais uma vez eu fiquei bastante impressionado com o ele. Eu confesso que antes do jogo eu preferia que o Gabriel Menino jogasse de lateral direito, porque o Marcos Rocha vem em uma fase muito instável, com o Zé Rafael no meio de campo, mas falei 'bom, se o Abel está fazendo isso, ele deve ter um motivo', e agora a gente pode ver que ele estava certo, o que o Gabriel Menino jogou, a personalidade, parecia que ele tinha 40 anos, 50 anos de experiência jogando", diz Lavieri.

O ex-zagueiro Ricardo Rocha voltou a comparar a versatilidade de Gabriel Menino à de Cafu, campeão mundial pela seleção brasileira nas Copas de 1994 e 2002, que jogou no meio de campo e até como ponta no São Paulo de Telê Santana, no início dos anos 1990.

"Sobre o Gabriel Menino, ele me lembra um jogador da minha época, eu já comentei aqui, o Cafu, o Cafu era um jogador que jogava em várias posições e isso ajudava ao nosso time e ao Telê Santana. Se você pegar a final do Campeonato Brasileiro contra o Bragantino, ele era lateral direito e ele jogou de ponta esquerda esse dia, porque o Bragantino tinha o Gil Baiano, que vinha muito para o ataque e o Cafu fez uma partida taticamente perfeita", afirma Rocha.

"Ele jogava em várias posições e o Gabriel Menino é esse jogador. Ele chuta mais que o Cafu de fora da área, tem um chute potente, ele é bom jogador, outro dia eu comentei e volto a falar, ele lembra muito o Cafu no início da sua carreira, joga em qualquer posição e outra coisa, você bota ele para jogar de lateral, ele joga bem você bota no meio e ele joga bem. Não tem essa de dar jeito, ele joga na posição que o treinador quer e outra coisa, são obedientes taticamente e isso é fundamental", completa.

Para Ricardo Rocha, o jovem jogador do Palmeiras deverá conseguir espaço no futebol europeu em breve devido à característica de jogar em diferentes posições com a mesma facilidade.

"Esse é um garoto que eu vejo com um futuro brilhante na Europa, o europeu gosta de jogadores desse nível e ele tem uma coisa que eu enfatizei, que eu acho fundamental, como ele chuta bem fora da área, precisa às vezes até ter mais confiança para isso, mas é um belo jogador e hoje um dos grandes destaques dessa garotada do Palmeiras, o Palmeiras tem uma garotada muito boa", conclui.

O Fim de Papo volta a ser apresentado na noite desta quarta-feira, com os jornalistas Vinicius Mesquita, Renato Maurício Prado, Alicia Klein e José Trajano após o jogo entre Boca Juniors e Santos, na outra semifinal da Libertadores, e o clássico entre Flamengo e Fluminense pelo Brasileirão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Futebol