PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Fla fecha acordo com mais duas famílias de vítimas de incêndio do Ninho

Alojamento da base no Ninho do Urubu pegou fogo em fevereiro do ano passado - Folhapress
Alojamento da base no Ninho do Urubu pegou fogo em fevereiro do ano passado Imagem: Folhapress

Alexandre Araújo, Mauro Cezar Pereira e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro e em São Paulo

23/12/2020 15h19Atualizada em 18/01/2021 19h49

O Flamengo chegou, hoje (23), a acordos com as famílias de Pablo Henrique e Arthur Vinicius, duas das 10 vítimas fatais do incêndio no CT Ninho do Urubu, que aconteceu em fevereiro do ano passado. Neste cenário, o Rubro-Negro alcançou nove resoluções em 11 negociações. Familiares de Christian Esmério ainda tratam com o clube. Já a mãe de Rykelmo, que acionou a Justiça, aguarda o andamento do processo.

Familiares e representantes evitaram comentar o acordo. O UOL Esporte apurou que o Rubro-negro solicitou formalmente que os envolvidos nas negociações evitassem declarações públicas sobre as tratativas.

As conversas entre a cúpula do Flamengo e as famílias estavam paralisadas e, inicialmente, as respectivas defesas aguardavam a conclusão do inquérito sobre o caso. Porém, diante da demora na finalização do documento, as tratativas foram retomadas mais recentemente e os familiares decidiram aceitar o proposto pelo clube.

No caso de Esmério, família e defesa, a princípio, ainda aguardam o encerramento das investigações para que novos passos possam acontecer.

"Tive uma reunião com eles e conversamos muito, foram muito compreensivos também conosco, apesar de ter acontecido algo tão lamentável, mas sinto que a conversa foi boa. A mãe dele falou que discordava de algumas coisas que o clube fez, houve alguns mal-entendidos, outras coisas em que ela tinha razão, pedi desculpas, estamos no caminho de uma conciliação. É muito importante a conversa olho no olho, ouvindo as dificuldades. É muito doloroso. A distância é difícil, mas agora estamos mais próximos", disse Rodrigo Dunshee, vice-presidente Geral e Jurídico do clube, em nota oficial divulgada pelo Rubro-Negro.

A informação sobre o entendimento com a família de Pablo Henrique foi publicada, primeiramente, pelo "ge" e confirmada pelo UOL Esporte.

Até o momento, além dos casos de Arthur Vinicius e Pablo Henrique, o Rubro-Negro chegou a um denominador comum com familiares de Samuel, Athila Paixão, Bernardo Piseta, Gedson Santos, o Gedinho, Jorge Eduardo, Vitor Isaias, e com o pai de Rykelmo.

Veja nota oficial do Flamengo na íntegra:

"O Clube de Regatas do Flamengo fechou mais dois acordos com os familiares dos Garotos do Ninho que foram vítimas do terrível incêndio do dia 8 de fevereiro de 2019, no Centro de Treinamento George Helal. Após muito diálogo com o vice-presidente Geral e Jurídico rubro-negro, Rodrigo Dunshee, os pais de Arthur Vinicius e Pablo Henrique chegaram a um entendimento. Com estes dois, são oito acordos e meio - com os responsáveis de Arthur Vinicius, Athila Paixão, Bernardo Piseta, Gedson Santos, Jorge Eduardo, Samuel, Pablo Henrique, Vitor Isaías e o pai de Rykelmo - fechados entre o clube e as famílias.

"Conversamos com os pais dos meninos (Arthur Vinícius e Pablo Henrique) e fechamos mais dois acordos. Tive a oportunidade de me aproximar deles. Cada um tem seu tempo, é uma situação muito dolorosa. Eles têm razão em algumas de suas ponderações, em achar que poderíamos ter sido mais próximos, mas as diferenças foram superadas. A perda dos meninos nunca será uma página virada, mas sabemos que a dor diminui um pouco quando fechamos certas feridas, encerramos certos assuntos", disse Dunshee, em entrevista ao programa Seleção SporTV, na tarde desta quarta-feira (23).

O dirigente rubro-negro também falou sobre o andamento das conversas com a família de Christian Esmerio.

"Tive uma reunião com eles e conversamos muito, foram muito compreensivos também conosco, apesar de ter acontecido algo tão lamentável, mas sinto que a conversa foi boa. A mãe dele falou que discordava de algumas coisas que o clube fez, houve alguns mal-entendidos, outras coisas em que ela tinha razão, pedi desculpas, estamos no caminho de uma conciliação. É muito importante a conversa olho no olho, ouvindo as dificuldades. É muito doloroso. A distância é difícil, mas agora estamos mais próximos", disse.

Dunshee reiterou, ainda, que sempre será "prioridade máxima" do Flamengo atender às famílias.

"A gente nunca esqueceu e nunca vai esquecer. O presidente Landim sempre me pediu prioridade máxima nesta questão, para estar próximo e trabalhar em respeito às famílias dos atletas que faleceram", concluiu"

Flamengo