PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Mattos rebate críticas e diz que base do Palmeiras foi feita "na sua sala"

Alexandre Mattos trabalhou no Palmeiras entre 2015 e 2019 - Cesar Greco/SE Palmeiras
Alexandre Mattos trabalhou no Palmeiras entre 2015 e 2019 Imagem: Cesar Greco/SE Palmeiras

Danilo Lavieri e Thiago Ferri

Do UOL, em São Paulo

15/09/2020 15h33

Diretor de futebol do Palmeiras entre 2015 e 2019, Alexandre Mattos se defendeu das críticas de que durante sua gestão os garotos das categorias da base não tinham chance para jogar. Na temporada após sua saída, o clube decidiu contratar menos e, enfim, usar mais os jovens, mas o atual dirigente do Atlético-MG diz que este era um plano já em sua gestão.

"O Palmeiras passou anos de sua história sem ter excelência e sem dar relevância às categorias de base. Esses meninos não chegaram hoje. A categoria de base foi construída na minha sala, comigo, com João Paulo (Sampaio, coordenador das categorias de base), com o Cícero (Souza, gerente de futebol). Isto foi montado. As pessoas não entendem que quem coloca para jogar é treinador e comissão técnica. Eles que veem se está pronto ou não. Eu tenho a gestão e que criar os garotos, que não tinham", disse.

"A base foi formatada nestes cinco anos. Ninguém está mais alegre de ver o Patrick (de Paula), (Gabriel) Menino e Veron do que eu. Foi feito sob a minha gestão. Mas colocar para jogar não é com o diretor de futebol. Os jogadores ficaram um ano, um ano e meio trabalhando com o profissional, crescendo. Era outro momento. Mas quando você está levando pancada de todo lado, a lógica é: foi criado um projeto de categoria de base, quebramos paradigmas, fizemos investimentos, para não jogar? Que loucura é essa? Não tem louco aqui. Temos de aplaudir o Luxemburgo que entendeu que os meninos poderiam jogar agora", completou.

A reformulação das categorias de base foi um dos alicerces na recuperação do departamento de futebol após 2014, quanto Mattos e Cícero chegaram ao clube - eles deram sequência e desenvolveram o trabalho iniciado com Erasmo Damiani, na primeira gestão de Paulo Nobre. Ainda que nos últimos anos o clube estivesse batendo recordes de títulos e convocações na base, os garotos não conseguiram espaço no Palmeiras, marcado por uma postura agressiva no mercado.

Depois de gastar até acima do planejado em 2019 e não conseguir títulos, o Palmeiras realizou uma adequação e projetava usar mais os garotos e contratar menos. Mattos chegou a anunciar as promoções de Patrick de Paula, Gabriel Menino, Veron e até Artur, vendido após sua saída para o Red Bull Bragantino. Ele foi demitido dias depois.

Campeão mineiro no Galo, Alexandre Mattos esteve em São Paulo hoje (15) para fazer o lançamento do seu livro, "Tudo começa com um sonho". Nele, o diretor conta sua trajetória desde o América-MG e muito dos dias no Palmeiras, onde conquistou dois títulos brasileiros e uma Copa do Brasil.

Palmeiras