Topo

Mattos anuncia promoção de Veron, volta de Artur e alerta para saídas

Gabriel Veron só completará 18 anos em setembro no ano que vem, mas já será promovido - Heber Gomes/AGIF
Gabriel Veron só completará 18 anos em setembro no ano que vem, mas já será promovido Imagem: Heber Gomes/AGIF

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

24/11/2019 15h53

O Palmeiras terá novidades no elenco para 2020. Essa é a promessa do diretor de futebol Alexandre Mattos, que hoje (24) anunciou a promoção de cinco atletas da base e o retorno de três emprestados. Os principais nomes são os de Gabriel Veron, campeão mundial sub-17 com a seleção brasileira, e Artur, destaque do Bahia no Campeonato Brasileiro.

Por outro lado, Mattos deixou claro que saídas também vão acontecer. Ele diz que a diretoria está incomodada com o ano sem conquistas e que os jogadores que não compartilharem dessa indignação não farão mais parte do grupo. Depois, reduziu o tom da cobrança e assegurou que os casos serão analisados com calma e as saídas, definidas após o fim da temporada.

"O que a gente fala pro torcedor é: entendemos a chateação, o momento difícil, a angústia, a decepção. Mas saiba também que aqui todo mundo está assim. Quem não está assim, está fora. Óbvio que ainda não é o momento de tirar ninguém, porque ainda temos jogos a serem disputados. Temos que ter responsabilidade. Muitas vezes o torcedor acha que 'ah, manda esse cara embora', e o cara tem contrato, não podemos criar processo trabalhista. Mas ações serão tomadas e é assim que tem que ser, com aprendizado não só na hora do erro. Tem que saber porque perdeu, porque ganhou e na hora que ganha, tem erro também. Acho que o Palmeiras tem um norte, um comando, um rumo e assim vai ser", afirmou o dirigente, pouco antes do confronto com o Grêmio no Allianz Parque.

Sobre os jovens que receberão chances no profissional, Mattos assegura que não se trata apenas de uma resposta à cobrança de torcedores por maior uso da base. O diretor assegura que a medida foi planejada com a comissão técnica, que pediu a presença dos garotos desde o início de janeiro, mesmo que alguns ainda tenham idade para disputar a Copa São Paulo — são os casos do volante Gabriel Menino, do lateral-esquerdo Esteves e do próprio Veron: "Eles precisam largar juntos para não perder espaço".

Os outros dois promovidos já estouraram o limite de idade da Copinha: o volante Patrick de Paula e o atacante colombiano Ivan Angulo. Entre os retornos de empréstimos, além de Artur, estão o goleiro Vinicius Silvestre, que estava no CRB, e o zagueiro Pedrão, que defendeu o América-MG em 2019.

Mattos falou ainda sobre a maior frustração da temporada, com a queda na Copa Libertadores da América, e explicou como foi o planejamento deste ano. A ideia era contratar jovens substitutos para referências como Bruno Henrique e Dudu, pensando em eventuais vendas que acabaram não acontecendo. Além disso, os reforços não vingaram. Nem mesmo os de peso, como Ricardo Goulart. O cartola, entretanto, considera que o processo foi correto e que o planejamento para 2020 terá moldes parecidos.

"Mudanças acontecem, sempre aconteceram. Aqui, em qualquer clube do mundo, de ano a ano. Quero lembrar que o Palmeiras foi campeão brasileiro há menos de um ano, utilizando seu time reserva em quase um turno inteiro. Qual a maior contratação do Palmeiras? Manutenção do elenco. Foi difícil segurar o Dudu, o Gustavo Gómez, o Weverton, o Bruno Henrique. O Ricardo Goulart, que veio para ser titular, infelizmente lesionou", declarou.

Confira outras respostas do diretor de futebol Alexandre Mattos:

Decisão de dar entrevista
É minha obrigação estar aqui falando. Eu tinha a obrigação de estar aqui e falar com o torcedor, que é aquele que nos representa, e dizer que está muito doído o ano, não só para ele. Falando de mim, dói absurdamente, porque é minha vida. Muitas vezes dói até mais do que no próprio torcedor. Falar do Palmeiras, hoje, me entristece, me coloca com raiva, eu discuto, brigo, porque aprendi a respeitar o Palmeiras, o que representa esse clube. Busco fazer sempre o certo, sabendo que a gente não acerta sempre. Mas a gente tem que ter convicção. Vale a pena lembrar que é um projeto muito vitorioso, que vem desde 2015 com conquistas e hegemonia de um campeonato principal, que é o Brasileiro. Nos últimos quatro anos, tem dois títulos, um vice e agora está para ficar no pódio.

Problemas financeiros
Não temos nada atrasado, pode perguntar aos jogadores. O que acontece é que tem uma comparação muito forte com o Flamengo, e não é verídica. O patamar financeiro deles é acima do nosso, algo em torno de R$ 200 milhões a mais por ano. As pessoas têm que entender, o Palmeiras tem seus limites. Há algumas situações bloqueadas, mas o Palmeiras continua fazendo sua vida. Quando houver necessidade e nos cinco anos que estou aqui, teve necessidade de venda de jogador, vamos vender. Como vendemos o Gabriel Jesus e alguns jovens, para manutenção do Dudu, Bruno. O Palmeiras continua absolutamente normal nesse quesito e sempre com responsabilidade.

Principal erro da temporada
Apostamos em um planejamento de manutenção de elenco, o Palmeiras vinha de bons resultados com o time reserva e priorizamos isso. Tentamos o Goulart, não deu certo. O processo de contratações é o mesmo desde 2015, tem uma demanda técnica, passa para a diretoria para aprovação de negócios e valores, e aí vai para o presidente decidir. No todo, o Palmeiras ficou devendo no coletivo. Acabamos sucumbindo em algumas situações, a principal delas foi a Libertadores. Infelizmente, fomos muito incompetentes, todos nós: atletas, comissão técnica, diretoria. Ali foi muito doloroso. Mas se pegar o Brasileiro, ainda estamos disputando o título. O que acontece é que temos um time fora da curva e por mérito, provavelmente serão campeões.

Comparações com o Flamengo
Projetos diferentes. Temos que parabenizar o Flamengo, os jogadores e o acerto enorme que foi o treinador Jorge Jesus. Ele fez diferença. Em agosto o Palmeiras era o time mais completo. O Jorge chegou e fez um trabalho excepcional, fora do que se vê há muito tempo por aqui. O Palmeiras ainda está arrumando a casa, mas enfileirando alguns títulos, quebrando tabus e resultados negativos, conseguimos reestruturar e reconquistar o torcedor, por isso somos cobrados.

Palmeiras