PUBLICIDADE
Topo

Grêmio

Goleador do Gauchão, Diego Souza renasce com "ambiente perfeito" no Grêmio

Diego Souza, do Gremio, comemora gol contra o Caxias na final do Gaúcho - Pedro H. Tesch/AGIF
Diego Souza, do Gremio, comemora gol contra o Caxias na final do Gaúcho Imagem: Pedro H. Tesch/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

31/08/2020 04h00

Aos 35 anos, é possível dizer que Diego Souza vive um novo começo. Depois de chegar ao Grêmio sob críticas, ele terminou o Campeonato Gaúcho como artilheiro da competição. O posto de goleador, com mais um marcado na final, completa o renascimento em um "ambiente perfeito".

O Tricolor deu condições a Diego Souza. Depois de passar por Botafogo e São Paulo carregando expectativa e desconfiança na mesma proporção, o atacante foi abraçado por clube, comissão técnica e torcida. Renato Gaúcho foi o primeiro a defender e elogiar seu comandado.

"A camisa nove é um problema até na seleção brasileira. Quando conversei com presidente, sugeri o Diego Souza e ele disse que estava pensando a mesma coisa. Os líderes do grupo, Kannemann, Geromel, Maicon, todos pensavam igual. E falei: então vamos trazer. Muita gente achava que ele não tinha ido bem no São Paulo e no Botafogo. Mas aqui encontrou um grupo que abraçaria ele, uma equipe que briga por título, um ambiente que quer vencer sempre. Eu sabia que isso iria favorecer ele", contou Renato.

Até hoje, Portaluppi usa Diego como exemplo. Quando determinado jogador recebe críticas, ele cita que Diego Souza passava pelo mesmo, mas deu a volta por cima e é fundamental na equipe atualmente.

E enquanto qualquer outra torcida teria receio do rendimento do atacante, os gremistas trataram de o abraçar. Pela passagem anterior e a relação que se manteve intacta enquanto ele andou por outras equipes, o jogador achou cenário totalmente favorável para render o que tem rendido.

"Ele veio com pensamento de vencer, treinou, recuperou a forma física e está aqui, nos ajudando. É um dos líderes do grupo, está fazendo os gols", comentou Portaluppi.

Num local tão propício, ele só cresceu. São nove gols no Campeonato Gaúcho, 10 na temporada, em 16 jogos. E mais outras tantas participações em lances fundamentais durante o jogo.

"Hoje ele me deu a camisa depois do jogo, do título. Eu falei: Você é pago para fazer os gols, graças a Deus está fazendo. Este ambiente que temos faz com que o jogador cresça, se sinta à vontade. Ele tem confiança de todo mundo, do roupeiro ao presidente. Quando é assim, o jogador fica livre, leve e solto para jogar e o rendimento cresce. Foi o que aconteceu com ele', acrescentou o treinador.

O Grêmio é tricampeão gaúcho. O time de Renato Gaúcho perdeu para o Caxias por 2 a 1, mas ergueu a taça em razão da vitória por 2 a 0 no duelo de ida. Agora, lutará para ter o mesmo sucesso no Brasileiro, na Libertadores e na Copa do Brasil.

Ainda que procure um centroavante no mercado da bola, a direção sabe que qualquer jogador que chegar ao time azul, branco e preto, irá conviver com a reserva. Diego Souza é absoluto na posição mais perto do gol rival.

Grêmio