PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Felipe Conceição dá volta após Botafogo e vira 'sensação' no RB Bragantino

Técnico Felipe Conceição, hoje no Red Bull Bragantino, teve primeira grande chance no Botafogo - Colagem de fotos de Red Bull Bragantino e Vitor Silva/SSPress/Botafogo.
Técnico Felipe Conceição, hoje no Red Bull Bragantino, teve primeira grande chance no Botafogo Imagem: Colagem de fotos de Red Bull Bragantino e Vitor Silva/SSPress/Botafogo.

Alexandre Araújo e Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

12/08/2020 04h00

O duelo entre Red Bull Bragantino e Botafogo, hoje (12), no Nabi Abi Chedid, reserva um reencontro. À beira do gramado da equipe de Bragança Paulista estará Felipe Conceição, um velho conhecido da torcida alvinegra. Foi no clube de General Severiano, rival desta noite, que ele que deu os primeiros passos como jogador e teve a primeira grande chance como treinador.

Com a melhor campanha na primeira fase do Campeonato Paulista, com 23 pontos, e campeão do Troféu do Interior, o técnico completará o 14º jogo à frente do Red Bull Bragantino. Apesar de ainda ser o começo da caminhada, já será o dobro de partidas em que esteve à frente do Botafogo, equipe que comandou por apenas sete oportunidades no início da temporada de 2018.

Ainda que a experiência como técnico efetivo no Alvinegro tenha sido curta, ele demonstra gratidão ao clube e garante que não há mágoa.

"O Botafogo tem toda importância possível [na carreira]. Um clube centenário e de tantas glórias em que eu tive o privilégio, tanto como jogador como treinador, em ser lançado por eles. Isso é uma chancela que levo para o resto da vida. Mágoa nunca, só agradecimento. Hoje sou o pouco que sou porquê lá eu também somei muita coisa boa. Pessoas fantásticas que em um momento acreditaram em mim. Sou muito grato", disse, ao UOL Esporte.

Felipe, que nos tempos de jogador ganhou o apelido de "Tigrão", começou no Alvinegro em 1998. Aposentou-se dos gramados em 2011 e, depois de passagem como treinador do São Gonçalo, voltou ao Botafogo, onde comandou o sub-15 e sub-17.

Em 2016, se tornou auxiliar técnico do elenco profissional. Com a saída de Jair Ventura, o clube apostou nele para a temporada 2018, mas a relação durou pouco. Após sete partidas — com eliminação na Copa do Brasil e primeiro turno do Campeonato Carioca — a diretoria o demitiu.

De lá para cá, esteve no Macaé e, posteriormente, no América-MG. No Coelho, teve bom desempenho e quase conseguiu a classificação à Série A do Brasileiro. O trabalho fez com que desembarcasse em Bragança para a atual temporada.

Pouco mais de dois anos depois da despedida do Botafogo, Felipe Conceição admite que alguns fatores pesaram para que a permanência no Glorioso não fosse longa.

"Ali faltou tudo. Estrutura da diretoria em me manter, minha conduta que deveria ter sido diferente... Não digo que deveria ser melhor, mas diferente no sentido de pedir mais apoio das pessoas de cima, o que não aconteceu. Não culpo a torcida, pois o que ela quer são títulos. Mas, para se chegar a um título, precisa-se mais do que tínhamos na época, precisa-se de uma união de fatores", indicou.

Paulo Autuori como referência

Paulo Autuori, técnico do Botafogo - Vitor Silva/Botafogo. - Vitor Silva/Botafogo.
Imagem: Vitor Silva/Botafogo.

Atual técnico do Botafogo, Paulo Autuori já esteve à frente do time alvinegro em três oportunidades anteriores, em 1995, 98 e 2001. Na segunda, foi um dos responsáveis por lançar o então atacante Felipe Conceição.

Marcante na carreira do hoje técnico do Red Bull Bragantino, Autuori se tornou uma das referências para o ainda jovem treinador.

"A experiência que trago até hoje foi pelo nível dos profissionais com quem trabalhei, tanto como auxiliar, quanto na época de jogador. Hoje eu tenho esses parâmetros do que tenho e para onde tenho de ir. O Paulo Autuori é uma dessas referências, foi o treinador que me deu a primeira oportunidade no profissional", lembra.

Trabalho no Red Bull Bragantino

Felipe Conceição indica dois fatores preponderantes para o sucesso conquistado até aqui no atual trabalho: o respaldo da diretoria e a estrutura oferecida.

Felipe Conceição com o Troféu do Interior, conquistado pelo Red Bull Bragantino - Red Bull Bragantino - Red Bull Bragantino
Imagem: Red Bull Bragantino

"O Red Bull tem me dado aquilo que faltou no Botafogo, que aliás é o que falta à maioria dos técnicos no Brasil hoje: tempo de trabalho. O nosso objetivo aqui é a médio e longo prazo, o que não nos impede que, já de imediato, almeje um progresso rápido, como conseguimos até agora. Tem ainda a alta qualificação de toda a comissão técnica e do Thiago Scuro [CEO do Red Bull Bragantino], em especial, que me atende um tudo que é possível. O Bragantino não entra em nenhuma partida, seja do Brasileiro ou de qualquer outro campeonato, para ser coadjuvante. Entramos para ganhar, porque a estrutura aqui é uma estrutura de campeão. Não fomos a melhor campanha do Paulista por acaso".

Questionado sobre quais os objetivos traça para a carreira de treinador, Tigrão ressalta que pensa passo a passo, mas aponta que não descarta voos maiores.

"Se você perguntar a um jogador, ele irá te dizer que almeja a seleção. Se perguntar a um cantor em início de carreira, com certeza ele irá responder que seria fazer um show para mais de 100 mil pessoas. Um técnico não pode deixar de achar que ele não é capaz de treinar o melhor time do mundo ou a seleção do seu país. É isso que nos move. De degrau em degrau, as conquistas chegam".

FICHA TÉCNICA:

RED BULL BRAGANTINO x BOTAFOGO

Data: 12 de agosto de 2020, quarta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Local: Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP)
Árbitro: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Leone Carvalho Rocha (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
VAR: Elmo Alves Resende Cunha (GO)

RED BULL BRAGANTINO: Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno, Edimar; Weverson, Ricardo Ryller, Matheus Jesus; Artur, Alerrandro e Morato. Técnico: Felipe Conceição.

BOTAFOGO: Gatito; Barrandeguy, Marcelo, Kanu e Victor Luis; Caio Alexandre, Honda, Bruno Nazario, Luís Henrique e Rhuan (Luiz Fernando); Matheus Babi. Técnico: Paulo Autuori

Botafogo